Comentários
600
Mercado imobiliário

Impactos do Projeto Aerotrópole

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Belo Horizonte, terça-feira, 19/8/14, 19h, a caminho da plenária na Câmara do Mercado Imobiliário-Secovi-MG. Tema: “A nova economia e o surgimento da Aerotrópole BH”. Luiz Antônio Athayde, subsecretário de Investimentos Estratégicos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de Minas Gerais, apresenta ao mercado imobiliário a nova proposta Work live play para a urbanização da cidade. O inovador masterplan econômico da Região Metropolitana de BH é de brilhar os olhos. Exatamente como deve ser: planejamento sustentável com visão humanista. A expansão da cidade apresentada tem lógica e equilibra os maiores desafios urbanos, buscando o bem-estar da população.

Não é ficção científica, é planejamento estratégico, estudo de mais de 10 anos com foco em prosperidade: expansão, conectividade, acessibilidade, desenvolvimento dos setores baseado no conhecimento e crescimento de novos centros inteligentes. Desde 2010, o governo do estado vem tomando decisões que desagradaram a muitos, mas que iniciaram uma revolução na infraestrutura e no desenvolvimento da capital, do estado e do país como um todo. Tudo começou com o Aeroporto Tancredo Neves, passou pela criação da Cidade Administrativa e é focado num projeto audacioso: a Aerotrópole Belo Horizonte.

O conceito do projeto parte da combinação de um grande aeroporto, de uma cidade planejada, de um complexo aeroviário e um polo de logística avançado. John Kassarda, professor de estratégia e empreendedorismo e diretor do Instituto Kenan das Empresas Privadas, na Universidade de Carolina do Norte, integrante do Instituto de Comércio, publicou mais de 100 artigos e nove livros sobre cidades aeroportuárias, infraestrutura aeronáutica, desenvolvimento econômico e competitividade, e esteve em junho em Belo Horizonte. Demonstrou como essa proposta está reconfigurando a vida em cidades como Amsterdã, Cingapura, Pequim. Há 80 aerotrópoles em estudo no mundo e a de Belo Horizonte é a primeira e mais avançada na América do Sul. Nossa posição geográfica estratégica permite que sejamos a fronteira para a globalização. A área patrimonial do aeroporto e a forte decisão política de trazer desenvolvimento ao nosso estado nos levam diretamente ao futuro.

Portanto, precisamos compreender o mundo num contexto de grandes e constantes mudanças, e nosso papel dentro dele. O desafio é buscar o desenvolvimento e aumentar a nossa capacitação. A abordagem entusiasmada do nosso subsecretário nos direciona para um estilo de vida urbano moderno, ancorado no bem-estar. O projeto gera estímulo, melhorando e refinando o desenvolvimento público e privado da nossa cidade.

O Vetor Norte se desenvolverá ainda mais com interligação de toda a malha viária da região metropolitana. Haverá crescimento de parques industriais, centros comerciais e de serviços e as alterações no entorno para incremento e ligação com o aeroporto da Pampulha. Além disso, serão necessários inúmeros condomínios-residências para todas as classes sociais envolvidas nesse projeto. Tudo isso alavanca e incrementa diversos empreendimentos imobiliários, gerando investimentos, empregos, competitividade e capacitação.

Antes embrionário, agora inquietante, o sucesso do projeto dependerá da continuidade e da velocidade da decisão e vontade de conectar o nome de Belo Horizonte ao mundo. Foi curioso e instigante verificar a revolução econômica, social e cultural que abrange a proposta da aerotrópole ao perceber a dimensão de uma das primeiras atitudes da nova concessionária do aeroporto ao alterar a nomenclatura do Aeroporto Tancredo Neves de Confins para Aeroporto Internacional de Belo Horizonte. Parece singela, mas é uma mudança muito significativa, pois Confins significa extremidades, limites de um território. E nosso horizonte agora, além de belo, vai progressivamente muito além das montanhas, pois o aeroporto nos conectará ao que há de mais arrojado no mundo e trará um desenvolvimento imensurável para nossa cidade.

Belo Horizonte, terça-feira, 19/8/14, 22h, a caminho de casa, com muita vibração e esperança.

 

* Diretora da Céu-Lar Imóveis, diretora da Rede Netimóveis, conselheira da Câmara do Mercado Imobiliário e vice-presidente da CMI-Secovi Mulher


E-mail para esta coluna: adriana@ceularimoveis.com.br

Tags: mercado imobiliário

Anúncios do Lugar Certo

Outros Artigos

ver todas
17 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
21 de agosto de 2016
25 de julho de 2016
27 de junho de 2016