Comentários
600

Hospitais verdes

"Algumas ações já são corriqueiras nesse tipo de edificação, como o reaproveitamento da água e a iluminação natural"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Os temas relacionados à sustentabilidade e defesa do meio ambiente são cada vez mais recorrentes em diversos setores da economia. No mercado imobiliário, ganharam significativo impulso com o surgimento dos edifícios certificados, inicialmente no segmento comercial, mas que logo se estendeu ao ramo residencial, cujo apelo vem aumentando em decorrência dos níveis de conscientização da população. Ainda que, em um primeiro momento, ocorreu desconfiança quanto à sua eficácia, especialmente em função dos custos mais elevados.

Nessa mesma linha, uma notícia interessante circulou recentemente, abrangendo um segmento específico, que é o ramo hospitalar. Em decorrência de uma iniciativa da organização internacional First Care Without Harm, que pode ser traduzido como saúde sem dano, surgia no país uma rede de hospitais que se comprometia, entre outras ações, a tratar resíduos, reduzir consumo de água e energia, substituir substâncias químicas perigosas e construir prédios sustentáveis.

Importante observar que não existe um sistema de certificação específico para hospitais, o que exigiria uma rigorosa metodologia associada a uma sistemática de auditoria. Além da adesão a uma rede denominada Projeto Hospitais Saudáveis, em que se devem cumprir no mínimo dois dos 10 objetivos propostos. Deve-se, ainda, comprometer a ampliar os itens existentes para se tornar um hospital sustentável.

Essa rede, formada no fim de 2012, conta com 25 hospitais, cuja perspectiva é alcançar 10% das 7 mil instituições públicas e privadas no país. A expectativa é trocar experiências e encontrar soluções locais para os problemas comuns.

Os objetivos da Rede Global de Hospitais Verdes e Sustentáveis são priorizar a saúde ambiental; substituir substâncias perigosas; reduzir, tratar e dispor de forma segura os resíduos de serviços de saúde; implementar eficiência energética e geração de energia limpa e renovável; reduzir o consumo de água; e fornecer água potável. E, ainda, melhorar as estratégias de transporte para pacientes e funcionários, comprar e oferecer alimentos saudáveis e cultivados de forma sustentável; prescrever, administrar e destinar corretamente produtos farmacêuticos; apoiar projetos e construções de hospitais verdes e sustentáveis, bem como adquirir produtos e materiais mais seguros e sustentáveis.

Algumas ações já são corriqueiras nesse tipo de edificação, como o reaproveitamento da água e a iluminação natural. Há também reformas para implementação de práticas sustentáveis, como a criação de telhados verdes, que reduzem a temperatura interna em até oito graus.

No Brasil, foi certificado o primeiro hospital verde, sinalizando que as práticas sustentáveis no setor vieram para ficar, e com elas uma significativa redução nos custos operacionais.

*Engenheiro e advogado, sócio da Precisão Consultoria e autor do livro Guia de negócios imobiliários - Como comprar, vender ou alugar seu imóvel

E-mail para esta coluna: coluna@precisaoconsultoria.com.br

Anúncios do Lugar Certo

Outros Artigos

ver todas
13 de março de 2017
21 de novembro de 2016
24 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
01 de setembro de 2016