Referência para o mundo

Conheça as tendências e os grandes lançamentos do Salão Internacional do Móvel de Milão 2017

O evento mais importante do setor direciona todo o mercado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 14/05/2017 14:43 / atualizado em 14/05/2017 14:51 Lilian Monteiro /Estado de Minas
No estande kartell, destaque para o sofá em veludo rosa e cadeiras douradas - Kartell/Divulgação No estande kartell, destaque para o sofá em veludo rosa e cadeiras douradas

O Salão Internacional do Móvel de Milão apresenta os grandes lançamentos e tendências direcionados para o setor de design de mobiliário e produção de ambientes. É também uma grande referência em termos de exposição para os equipamentos da indústria moveleira, de iluminação e artigos de decoração. Maior feira do gênero no mundo, a exposição apresenta o que há de mais recente nesses segmentos desde a década de 1960. “Sem falar que tem o poder de exportar o italian style para o mundo inteiro. As maiores empresas do setor contratam os designers mais talentosos de diversos países, portanto, é um ponto de referência no âmbito mundial, onde se encontram, além das indústrias nacionais, marcas da Alemanha, França, Inglaterra, Japão, Dinamarca, Finlândia, Suécia, Holanda e nos últimos anos do Brasil”, explica Maria Lúcia Machado, designer de interiores, especialista em design e cultura visual e mestre em design de produção de ambientes, que acaba de chegar de Milão, onde já visita a feira há mais de 20 anos.

Criada em 1961, a maior feira do mobiliário mundial ocorre anualmente em abril, e este ano o salão chegou à 56ª edição. “O diferencial desse evento é que os visitantes, na sua maioria designers, arquitetos, jornalistas, fotógrafos e empresários, podem ver, tocar, experimentar e se refestelar no melhor que a indústria do mobiliário pode oferecer. Visitar o Salão do Móvel significa testemunhar o encontro entre a alta qualidade de produção e a diversidade cultural, dando origem a móveis e objetos excepcionais. É uma grande oportunidade de se inteirar e conhecer novos produtos, materiais, revestimentos e uma fonte de inspiração inesgotável para o desenvolvimento de projetos de design de ambientes”, enfatiza a designer.

Maria Lúcia conta que as inspirações são diversas. “Não existe nada mais estanque, não há mais padronização ou imposição de estilos. Há uma combinação de épocas, que decorrem desde os anos 1950, mas com ênfase na década de 1970.” Com sua experiência, a designer diz que o que mais se destacou e chamou a atenção nesta edição foi a multiplicidade de formas e a explosão de cores. Os móveis não mais denotam uma origem precisa, não têm inspiração em um só país ou região geográfica. Mas há uma miscigenação, uma diversidade cultural.

Tapetes Paola Lenti: as cores vivas sugerem espaços com forte personalidade - Giz Brasil/Divulgação Tapetes Paola Lenti: as cores vivas sugerem espaços com forte personalidade

Para a professora, é muito enriquecedor para designers de ambientes acompanhar essa evolução no design de mobiliário. “Mesmo que sejam sutis, as mudanças surpreendem sempre com a inovação e a criatividade. A empresa italiana Kartell definiu bem esse conceito: Contamination (Contaminação), apresentando sua nova coleção. 'O nome vem da agregação de diferentes culturas, pensamentos e estilos de vida, que interagem, se cruzam e contaminam o mundo produzindo criatividade'”, observa.

Maria Lúcia conta que as formas do mobiliário variam do geométrico às mais orgânicas entre sofás e poltronas. E ovaladas ou triangulares para os tampos de mesas. “As estruturas dos sofás, mesas e cadeiras têm como materiais chapas e tubos, que aparecem em metal perolizado ou pintura. Os revestimentos mesclam padronagens diversas, com destaque para estampas que retratam a fauna e a flora. Os tecidos em algodão, linho, veludo, couro natural e fibra sintética se alternam na composição dos estofados.”

A designer diz ainda que os materiais variam do bronze – presente nos anos anteriores – ao dourado, que ganha destaque nas grandes marcas. “As cores sugerem espaços com personalidade. O rosa e o azul em vários matizes continuam presentes. Há um predomínio do verde nos estofados. Vale destacar o paisagismo dos ambientes internos, com plantas expostas em grandes vasos ou jardins onde as espécies tropicais imperam. Percebem-se também tons terrosos, mostardas, amarelos e laranjas”, destaca.

Underconstrution, de Pedro Franco, com painel ao fundo retratando a fauna e flora brasileira apresentado na Mostra Be Brasil - Casa Casada/Divulgação Underconstrution, de Pedro Franco, com painel ao fundo retratando a fauna e flora brasileira apresentado na Mostra Be Brasil
FUORI SALONE

Já os eventos paralelos à feira (Fuori Salone) são um acontecimento à parte. A cidade, literalmente, respira o design. As ruas, parques, museus, galerias e lojas abrigam exposições de artes, instalações, lançamentos de móveis, objetos decorativos, utilitários e iluminação. As ambientações, além de grandiosas, são um verdadeiro espetáculo, com cenografias magníficas. “Para 2017, a palavra-chave foi a experimentação, voltada para o social e a sustentabilidade. Designers propõem trabalhos a partir do slogan “Young designers save – change – dream the world”, com atenção especial para materiais reciclados e a relação com a natureza. Na feira, várias pessoas vestiam camisetas brancas estampadas com os dizeres 'Criativity, save the world', uma grande campanha para preservar o planeta por meio da criatividade.”

BRASIL E MINAS

Maria Lúcia destaca a presença brasileira em exposições no Fuori Salone. “Completando sua 8ª edição, a Brazil S/A ocorre paralelamente ao Salão do Móvel. Pelo terceiro ano consecutivo o evento foi na Universitá Degli Studi di Milano. Destaque para as exposições do design brasileiro contemporâneo na Be Brasil, organizada pela Apex. A mostra apresentou 'A alma do design brasileiro', com a presença de 60 profissionais. Em outros espaços, designers brasileiros apresentaram suas criações. Caso de Jader Almeida e Sérgio Mattos. A festejada poltrona Mole, de Sérgio Rodrigues, foi tema de exposição. Em comemoração aos 60 anos de sua criação, ela ganhou uma edição limitada a 60 peças e estava exposta no Corso Garibaldi. E finalmente os Irmãos Campana, Fernando e Humberto, também estavam presentes com suas belas criações” diz.

Sofá Bomboca, dos Irmãos Campana, que estavam presentes com sua coleção Objets Nomades da Louis Vuitton - Design Boom/Divulgação Sofá Bomboca, dos Irmãos Campana, que estavam presentes com sua coleção Objets Nomades da Louis Vuitton

Professora de arquitetura e design de interiores, Maria Lúcia chama a atenção para os designers mineiros. “Juliana Vasconcellos e Matheus Barreto marcaram presença. Lançaram uma poltrona em bronze fundido e pelo de boi desenhada especialmente para a galeria Nilufar. A peça foi a primeira produzida da coleção intitulada 'Galho', com inspiração na morfologia das árvores.”
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Outros artigos

ver todas
21 de agosto de 2017
14 de agosto de 2017
09 de agosto de 2017
01 de agosto de 2017
28 de julho de 2017