Telha ecológica e barata

Mais resistentes e leves, coberturas de PVC se mantêm estáveis às tempestades, granizos e outras intempéries

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 05/05/2011 14:44 Humberto Siqueira /Estado de Minas
Fabricante oferece telhas em três cores, nos modelos colonial, ondulado, minionda e trapezoidal - Gustavo Andrade/Precon/Divulgação Fabricante oferece telhas em três cores, nos modelos colonial, ondulado, minionda e trapezoidal
Visando a ganhar agilidade, produtividade, baratear os custos e combater o déficit habitacional, a indústria da construção civil tem buscado novas soluções, equipamentos e materiais. Uma novidade em especial tem chamado a atenção dos trabalhadores do setor. A estrela em questão é a telha de PVC. Em seu lançamento, na Feira Internacional da Construção 2011, em São Paulo, gerou uma enxurrada de 8 mil e-mails aos funcionários da Precon, expositores e fabricantes no Brasil.

Um dos diferenciais está no peso. O PVC chega a 5% a 10% do peso das telhas de barro, por exemplo, o que dispensa o uso de caibros, ripas e outras estruturas de sustentação. Enquanto a cerâmica exige um espaçamento do madeiramento que dá suporte às telhas de 30 em 30 centímetros, a de PVC requer um metro. Isso gera economia com a madeira e a mão de obra, já que o serviço a ser executado é menor. “Além disso, o projeto foi desenvolvido com matérias-primas não tóxicas e recicláveis. Nossa produção não gera resíduos e tem circuito fechado e todo automatizado”, revela Cléber Mário Borges, diretor de Operações da unidade de PVC da Precon.

Para uma cobertura colonial de área de 280 metros quadrados (m²), com telhas de 2,30m (área útil de 1,87m²), seriam necessárias 150 unidades de telhas PVC, a um custo de R$ 5,1 mil. No caso de telhas de cerâmica, o custo subiria para R$ 5.850. Os valores não levam em consideração os custos com madeiramento e mão de obra. “A economia é de 15% a 20% usando o PVC”, calcula Eder Campos Ferreira Filho, diretor da Precon.

A durabilidade do PVC também gera economia. As telhas de PVC se mantêm estáveis às tempestades, granizos e outras intempéries. Também podem ser usadas como fechamento de espaços. As peças têm baixíssimos índices de expansão térmica e, frente a variações de temperatura, sua estabilidade dimensional e de cor é superior à das telhas convencionais. Em caso de incêndio não propaga as chamas.

O produto já pode ser encontrado em 650 pontos de venda no Brasil. “Nossa expectativa é de que seja largamente conhecido e aceito em cinco anos”, estima o presidente da Precon, Bruno Simões Dias. “Ele foi aprovado por vários órgãos e instituições e obedece a todas as normas da ABNT”, confirma ele.

Leia a continuação desta matéria:
Tecnologia com a cara do Brasil

VARIEDADE

A empresa oferece quatro modelos de telhas: colonial, ondulado, minionda e trapezoidal, nas cores colonial, marfim e branca. Também comercializa todas as peças de concordância como cumeeiras centrais, triangular, lateral, peças de fixação, capa lateral e fechamento da cumeeira.

Para produzir as novas peças, a Precon ergueu uma planta industrial em Pedro Leopoldo, com investimento de R$ 23 milhões e capacidade de produção de 285 mil metros quadrados por mês. “Nossa expectativa é ampliar o faturamento da empresa de R$ 260 milhões para R$ 430 milhões até o fim do ano. Para o futuro, a ideia é fazer mais duas ou três fábricas pelo Brasil, começando pelo Nordeste”, revela Bruno.

Bruno garante que todo o sistema é mais barato. “O transporte, as perdas, espaço para exposição. E a tendência é que até a madeira seja substituída por perfil de PVC. Para quebrar as resistências iniciais, temos uma equipe para atender ao público e outra especificamente para as construtoras”, diz.

Tags: pvc

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
23 de janeiro de 2017
18 de dezembro de 2016
15 de dezembro de 2016
13 de dezembro de 2016