Racionalização construtiva

Presença de um profissional responsável pela gestão de projetos em todas as etapas do empreendimento ajuda a reduzir problemas e obter ganhos de produtividade e qualidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 04/09/2008 14:35 / atualizado em 25/04/2013 16:34
Luiz Eduardo defende investimentos em testes de materiais e em procedimentos - Jackson Romanelli/EM/D.A Press Luiz Eduardo defende investimentos em testes de materiais e em procedimentos
As construtoras estão descobrindo que, quando aplicadas às obras, as metodologias da gestão de projetos ajudam a reduzir o número de problemas construtivos e ainda permitem ganhos de produtividade e qualidade. O que antes era restrito ao universo dos escritórios ganhou terreno nos canteiros de obras. Gestores estão presentes em todas as etapas do processo, da concepção à entrega do empreendimento.

Embora as grandes empresas estejam na linha de frente da incorporação desses profissionais, construtoras de todos os portes também estão aderindo às metodologias. Isso porque estão motivadas pela consciência de que todo empreendimento necessita ser controlado financeiramente e ter o prazo bem definido, o escopo técnico precisa ser gerenciado, os contratos elaborados e comparados com a necessidade do empreendimento.

Para o coordenador da pós-graduação em gestão de projetos do Instituto de Educação Tecnológica (Ietec), Clênio Senra, a preparação focada de profissionais para atuar antecipando ações, planejando riscos, mensurando recursos humanos e maquinário impacta positivamente nos resultados. “O gestor aplica um conjunto das melhores práticas percebidas e reunidas ao longo de anos, para evitar erros de estimativa de prazo e custo, falta de integração entre as diversas disciplinas envolvidas, comprometimento do trabalho por riscos não previstos, falha no fornecimento de materiais e na integração do pessoal envolvido, entre muitos outros.”

Quanto maior o empreendimento, maior a redução de custos e tempo com a gestão de projetos. “Podemos alcançar uma queda entre 10% e 20% nos prazos estabelecidos e em até 10% de economia”, garante Clênio. “Para chegar a essa meta, o gestor não precisa ter as qualificações de todas as engenharias envolvidas, pois conta com uma equipe multidisciplinar. O importante é ser um bom líder, comunicador, negociador de conflitos e de compras, agregador e bom solucionador de problemas.”

Alexandre Soares, superintendente da construtora Habitare, investe em profissionais especializados na gestão de projetos desde 2002, quando criou um setor para gerenciar os projetos de engenharia de todas as obras. A equipe atua na centralização e compatibilização dos diversos projetos. Realizam análises prévias para garantir a integração e evitar conflitos entre eles. “Nosso desafio diário é melhorar a produtividade. Os insumos da construção civil têm crescido num ritmo muito grande, e o bolso do consumidor não tem como acompanhar. A otimização é indispensável. Hoje, o arquiteto faz o projeto, envia para um colega definir os pontos de estrutura, que por sua vez repassa ao eletricista de instalações para que ele detrmine os locais por onde vão passar tubulações e fios, e assim por diante. Até voltar ao arquiteto para finalizar o projeto, que chega à prefeitura com todas as soluções definidas.”

RETRABALHO Ainda segundo Alexandre, o maior ganho com esse trabalho se dá na economia de tempo e dinheiro por evitar o retrabalho. “Quando os projetos não tinham harmonia, era preciso quebrar algo pronto para cumprir algo planejado em outro projeto. Uma obra que há 10 anos levava 30 meses hoje é feita em 18. Esse cuidado prévio é um dos motivos. Evita uma série de gastos fixos com pessoal, energia elétrica, equipamentos locados e IPTU, por exemplo”, pondera.

Segundo Luiz Eduardo Prosdocimi Corrêa, engenheiro civil e pós-graduado em gestão de projetos pelo Ietec, a construção civil brasileira enfrenta há muitos anos acentuada dificuldade, passando por diferentes crises de mercado. Isso faz com que as empresas do setor restrinjam os investimentos em novas tecnologias, tanto na execução quanto na gestão de seus projetos. "Para fazer frente à atual explosão de demanda, como resultado da estabilidade econômica e da maior oferta de crédito imobiliário, as empresas estão buscando competitividade. Para isso, a indústria da construção civil tem buscado aplicar em seus canteiros novas tecnologias construtivas aliadas e respaldadas por novas metodologias de gestão", comenta ele, que é gerente de Obras da Gerance Gerenciamento e Consultoria.

Ele defende, ainda, investimentos em testes de materiais, em procedimentos e em treinamento de pessoal. “Com essas medidas e mecanismos de controle para manter a atuação dentro dos padrões planejados, atacaremos os gargalos da construção de forma eficaz”, garante. “Ao valorizar os colaboradores, treinando-os e mantendo-os informados, a empresa mantém a equipe alinhada e comprometida com seus objetivos.”

O gerenciamento de projeto pode ser adotado em diferentes tipos de empresas ou obras – construções residenciais, grandes edificações, plantas industriais. No entanto, o nível de controle de um projeto deve respeitar o tamanho da obra. Ele ainda lembra que empresas de outros setores também podem se envolver com obras, como a construção de um alto forno.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
{'atualizado_em': '2014-10-20', 'dados': {'destaque': [{'titulo': 'Funda\xe7\xe3o Louis Vuitton inaugura nova sede de cristal com lan\xe7amento de cole\xe7\xe3o', 'img': 'ns601/app/noticia_128576568202/2014/10/20/48350/20141020161545596131u.jpg', 'descricao': 'Pr\xe9dio projetado por Frank Gehry em Paris lembra um barco a vela de cristal e chama a aten\xe7\xe3o pela arquitetura imponente'}], 'foto': [{'arquivo_grande': '', 'credito': 'Bertrand Guay/AFP', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns601/app/noticia_128576568202/2014/10/20/48350/20141020161550607023u.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}, {'arquivo_grande': '', 'credito': 'Bertrand Guay/AFP', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns601/app/noticia_128576568202/2014/10/20/48350/20141020161605238725o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}, {'arquivo_grande': '', 'credito': 'Alain Jocard/AFP', 'link': '', 'legenda': 'Na foto, a pianista francesa Helene Aranault e o marido, o presidente do grupo LVMH Bernard Arnault, o presidente da Fran\xe7a Fran\xe7ois Hollande, o arquiteto Frank Gehry e sua esposa, Berta Isabel Aguilera, a prefeita de Paris Anne Hidalgo e a ministra da cultura da Fran\xe7a Fleur Pellerin, durante a inaugura\xe7\xe3o, nesta segunda', 'arquivo': 'ns601/app/noticia_128576568202/2014/10/20/48350/20141020161612200088i.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}, {'arquivo_grande': '', 'credito': 'Bertrand Guay/AFP', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns601/app/noticia_128576568202/2014/10/20/48350/20141020161621728087a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}], 'tags': [], 'has_galeria': False, 'has_audio': False, 'data_edicao': None, 'has_video': False, 'autor': [{'id_conteudo': 48350, 'id_autor': 446, 'email': 'jornalismo@uai.com.br', 'nome': 'AFP'}], 'antesdepois': [], 'video': [{'embed': '', 'id_video': 10010}], 'editor': True, 'titulo': 'Funda\xe7\xe3o Louis Vuitton inaugura nova sede de cristal com lan\xe7amento de cole\xe7\xe3o', 'tipo_noticia': 'Normal', 'corpo': '[FOTO1] A Fundação Louis Vuitton apresentou sua coleção, nesta sexta-feira, antes da abertura ao público do edifício de sua nova sede em Paris, semelhante a um barco a vela de cristal, desenhado pelo arquiteto Frank Gehry. Protagonista de uma semana cultural notável na capital francesa, juntamente com a inauguração da FIAC (Feira Internacional de Arte Contemporânea) e a reabertura do Museu Picasso depois de cinco anos de obras para restauração, a fundação foi inaugurada nesta segunda-feira pelo presidente francês, François Hollande, e o público poderá visitá-la a partir do dia 27 de outubro.

[SAIBAMAIS]Complexo, mas ao mesmo tempo leve e dotado de grande fluidez, o edifício de Frank Gehry, construído em uma pequena parte do parque Bois de Boulogne, no oeste de Paris, é, na realidade, a primeira obra de arte da fundação. "O edifício, deliberadamente, parece inacabado. Ele está aberto a mudanças e isso convida as pessoas a interagirem com ele. Eu olho para ele e penso em tudo que gostaria de modificar. Sete anos depois, já tenho outras ideias", disse o arquiteto de 85 anos, que tem a retrospectiva de seus trabalhos exposta no Centro Pompidou.


A Fundação é cercada por doze velas envidraçadas, cada uma com uma curvatura diferente. Elas saem do centro do edifício - formando o que o arquiteto chama de "iceberg" - sustentadas por um sistema sofisticado de vigas de aço e madeira. No topo, terraços ligados por escadas em diferentes níveis possibilitam a contemplação do Bois de Boulogne, dos arranha-céus do distrito empresarial de La Défense e a Torre Eiffel.
[FOTO2] Na "proa do navio", um auditório se abre para uma ampla escadaria, pela qual desce uma cascata de água até uma lagoa. "Rapidamente prevaleceu a evidência de que não tínhamos a tecnologia necessária para construir este edifício. Foram necessários dois anos de estudo e trabalho, além de uma equipe de mais de cem engenheiros de alto nível, para desenvolver uma tecnologia capaz de tornar realidade o desenho do artista", disse Jean-Paul Claverie, conselheiro do presidente do grupo LVMH Bernard Arnault.

Seis obras em ressonância

No total, a fundação dispõe de 3,5 mil m² de galerias para 11,7 mil m² de área útil e 4,5 mil m² no nível do solo. A capacidade é de aproximadamente 1,6 mil pessoas. A previsão é de que o prédio receba cerca de 800 mil visitantes por ano em suas onze galerias.
[FOTO3] O grupo LVMH não revelou o orçamento operacional nem o custo do edifício, financiado por diferentes empresas do grupo Bernard Arnault. François Pinault, dono do grupo Kering - maior rival do conglomerado - criou uma fundação pessoal, em 2005, no Palazzo Grassi de Veneza.

Para a inauguração, o artista islandês Olafur Eliasson, que terá uma exposição em sua homenagem na fundação em dezembro, concebeu uma espécie de caleidoscópio com espelhos imersos em uma atmosfera luminosa amarela que reflete na água da lagoa.
[FOTO4] Já a diretora artística da Fundação Vuitton e ex-presidente do Museu de Arte Moderna de Paris, Suzanne Pagé, desenvolveu seis obras em ressonância com a arquitetura do edifício. Pagé, que orienta Bernard Arnault desde 2006, preparou para a ocasião uma "seleção de obras emblemáticas" representada por um "homem na lama" gigante e que reúne seis artistas, incluindo Christian Bolranski, Pierre Huyghe, Gerhar Richter e Thomas Schütte.', 'descricao': 'Pr\xe9dio projetado por Frank Gehry em Paris lembra um barco a vela de cristal e chama a aten\xe7\xe3o pela arquitetura imponente', 'titulo_categoria': ''}, 'expira_em': None, 'seo_description': 'Pr\xe9dio projetado por Frank Gehry em Paris lembra um barco a vela de cristal e chama a aten\xe7\xe3o pela arquitetura imponente', 'content_published': True, 'seo_keywords': '', 'id_aplicativo': 5, 'voto': 0, 'id_treeapp': 62, 'publicado': True, 'acesso': 70, 'comentario': 1, 'id_site': 601, 'publicado_em': '2014-10-20 16:13', 'id_content': 27563, 'url': 'http://estadodeminas.lugarcerto.com.br/app/noticia/noticias/2014/10/20/interna_noticias,48350/fundacao-louis-vuitton-inaugura-nova-sede-de-cristal-com-lancamento-de.shtml', 'seo_title': 'Funda\xe7\xe3o Louis Vuitton inaugura nova sede de cristal com lan\xe7amento de', 'id_conteudo': 48350L, 'meta_type': 'noticia', 'titulo': 'Funda\xe7\xe3o Louis Vuitton inaugura nova sede de cristal com lan\xe7amento de cole\xe7\xe3o', 'creators': ['AFP'], 'schema': 'noticia_128576568202'}

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
16 de dezembro de 2016
21 de outubro de 2016
07 de outubro de 2016
28 de setembro de 2016
10 de setembro de 2016