Sinteco

Resina é indispensável para manter pisos de madeira

Quem opta por pisos de madeira em casa deve cuidar bem deles. Aplicar sinteco é uma das formas de mantê-los bem conservados e sempre bonitos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 04/03/2016 10:23 Ludymilla Sá /Estado de Minas
Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press 20/12/2006
O sinteco nunca sai de moda. Simplesmente, porque os pisos de madeira sempre estiveram no auge. É bem verdade que os pisos frios viraram a vedete de quem busca elegância na decoração e praticidade no dia a dia. Mas os assoalhos de madeira ainda são a preferência da maioria das pessoas, que preferem ambientes mais requintados e aconchegantes. Especialmente, quando se trata dos quartos.

O sinteco é uma fina, mas resistente, camada de resina que é espalhada sobre o piso de madeira para, além de realçar sua beleza, protegê-lo. De acordo com o empresário Anderson Lage Soares, proprietário da Sinteco BH, atuante nesse segmento há 21 anos, apesar da febre dos porcelanatos, a madeira ainda é a preferência da maior parte dos consumidores. “Hoje em dia, começaram a vender a madeira bruta e, por isso, as pessoas têm optado por instalar tacos nos ambientes. Nos quartos, essa opção é quase uma unanimidade para o lugar da casa ficar mais requintado e aconchegante. Nunca sai de moda.”

Os pisos de madeira são mais caros, mas bem mais duradouros que os outros, assegura o especialista. “Tudo vai depender dos cuidados. E isso começa com a aplicação do sinteco e passa pela manutenção, que é por conta do contratante do serviço.”

Para aplicar o sinteco é preciso lixar, rejuntar o piso de madeira e poli-lo antes de iniciar o processo, de acordo com Anderson. Aplicado o sinteco, são necessárias 48 horas para que o produto fique completamente seco. “Nesse período, não pode haver trânsito de pessoas dentro do ambiente para não manchar o piso”, explica.

Há dois tipos de produtos usados nos pisos: uma resina à base de ureia e formol, e o bona, à base de água - Eduardo de Almeida/RA studio - 23/1/2013 Há dois tipos de produtos usados nos pisos: uma resina à base de ureia e formol, e o bona, à base de água
A durabilidade do sinteco gira em torno de oito anos, mas pode chegar a 12 conforme os cuidados do dono da casa. Depois desse tempo, o sinteco deve ser reaplicado. “Tudo vai depender da manutenção. Para limpeza, só pode ser utilizado um pano úmido, quase seco, e só. Deve ser evitada a aplicação de qualquer outro produto químico. Para prolongar a durabilidade, até desinfetante deve ser evitado”, comenta o especialista

TIPOS DE SINTECO Há dois tipos de sinteco no mercado: o tradicional e o bona. Os dois produtos, de fabricantes diferentes, normalmente são usados depois do lixamento e calafetação do piso. Eles trazem de volta a cor da madeira ou o brilho, dependendo do tipo de acabamento. O primeiro é uma resina à base de ureia e formol. Não funciona como impermeabilizante, apenas dá brilho à madeira. Ele pode ser encontrado nos acabamentos fosco, semifosco e brilhante. Sua aplicação ocorre em duas demãos, com intervalo de um dia entre elas. Como a resina tem cheiro forte do amoníaco e do formol, o ideal é que a casa fique vazia por 72 horas.

O bona é à base de água, não tem cheiro e sua secagem é mais rápida. Permite retoque e não mancha se cair água. Por essas qualidades, é um produto mais caro que o comum, em torno de R$ 70 o metro quadrado. O comum custa cerca de R$ 30. “Esse é o valor praticado no mercado, com uma pequena variação entre os fornecedores do serviço”, explica Anderson.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Outros artigos

ver todas
16 de dezembro de 2016
21 de outubro de 2016
07 de outubro de 2016
28 de setembro de 2016
10 de setembro de 2016