Comentários
600

Espaços públicos transportáveis transformam cotidiano de bairro na periferia de Londres

Parques que surgem de mini edifícios carregados em bicicletas fazem parte de projeto de revitalização de subúrbios da cidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/11/2013 07:05 / atualizado em 29/11/2013 07:56 Joana Gontijo /Lugar Certo
Cricklewood Town Square/Divulgação
A ausência de equipamentos urbanos básicos, essenciais para a boa relação das pessoas com as cidades, em um bairro de Londres, levou uma agência local a criar uma proposta inovadora. E que mudou a percepção dos moradores sobre o subúrbio de Cricklewood, onde quase não há bancos nas ruas, praças ou bibliotecas. Um espaço público móvel. O trabalho teve ancorados recursos do município como protótipo de um projeto posterior maior, que vai revitalizar de forma mais abrangente as demais periferias londrinas.


O Cricklewood Town Square é um edifício público em miniatura – uma réplica perfeita que remete à arquitetura característica da região em alvenaria -, transportado por bicicletas. Até setembro, a intervenção apresentada pelos profissionais da Spacemakers percorreu as cinco zonas menos favorecidas do bairro, com índices mais baixos de atividades, e neste mês integrou uma exposição na capital inglesa. A intenção é mostrar como uma simples ação é capaz de transformar completamente um ambiente compartilhado, e como o próprio espaço público pode interferir na vida dos habitantes de uma comunidade e da coletividade como um todo.
Cricklewood Town Square/Divulgação

Quando a casa sobre rodas está estacionada, surge um parque de 10 m² que inclui bancos, livros, mesas com tabuleiro de xadrez e guarda-sóis, coisas que não são costumeiras para os residentes de Cricklewood. Por onde passou, o modelo também serviu como suporte para uma tela de cinema, gerando uma sala de exibição ao ar livre montada em um estacionamento e em uma calçada.

Um estudo sociológico de autoria de William Whyte, realizado na década de 1980 em Nova York, serviu de suporte teórico para a conceituação da ideia. A linha de pensamento segue a hipótese e conclui que um espaço bem planejado atrai mais atividades, baseando-se no projeto lançado à época no Brooklyn que converteu pequenos lotes vagos em praças públicas e chegou à diminuição da delinqüência.
Cricklewood Town Square/Divulgação

O autor da praça móvel, Tom James, afirmou que, para um espaço ser considerado público, isto significa que não é preciso pagar para estar nele, e lamenta que cada vez mais as pessoas assistam a uma privatização desenfreada que faz aparecer lugares onde, por exemplo, não se consegue andar de bicicleta ou tirar uma foto sem permissão. “Nos espaços públicos é possível encontrar pessoas não necessariamente conhecidas, mas que são como você”, acrescentou. É onde se tem a oportunidade de exercer não o papel de simples consumidor, mais o real poder de um cidadão.
Cricklewood Town Square/Divulgação

Tags: móvel

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
13 de dezembro de 2016
23 de fevereiro de 2016
25 de junho de 2015
17 de junho de 2015
09 de maio de 2015