Decoração adequada cria apartamento com jeito de casa

Móveis clássicos e maiores, janelas grandes, melhor aproveitamento do pé-direito e jardim vertical são alguns elementos que transformam os ambientes pequenos em um lar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 03/07/2011 14:42 / atualizado em 03/07/2011 15:18 Júnia Leticia /Estado de Minas
Eduardo Almeida/RA Studio

Sala ampla, espaço para receber os amigos e até jardim. Pode parecer a descrição de uma casa, mas é de um apartamento. Com imóveis cada vez menores, o segredo para fazer o que muitos acham que é um verdadeiro milagre é investir na decoração adequada. Para ganhar espaço, profissionais investem em estratégias combinadas. A arquiteta Marina Dubal diz que é importante o projeto levar isso em consideração desde o início. “Uma parede retirada ou uma divisória de correr em vez de uma esquadria padrão entregue pela construtora são detalhes que fazem a diferença para ganhar espaço e amplitude”, explica.

Acertar nas escolhas, além de garantir mais aconchego, resulta em mais conforto. E isso também vale para as esquadrias. “Portas maiores que o padrão podem, além de permitir uma melhor circulação e renovação do ar, dar um toque contemporâneo ao ambiente, integrando melhor os espaços”, diz Marina.

A arquiteta aposta, ainda, na valorização do pé-direito alto – medida do piso ao teto –, aliado a elementos verticais e espelhos, além de cores claras. “Essa combinação cria profundidade e auxilia na concepção do novo ambiente. O pé-direito é um fator fundamental e determinante para um ambiente.”

De acordo com Marina Dubal, o pé-direito mínimo aprovado atualmente pela Prefeitura de Belo Horizonte é de 2,60m, para ambientes de longa permanência, como quartos e salas. “Quando se tem um pé-direito alto, como se vê em alguns apartamentos com pé-direito duplo na sala, elementos verticais, como cortinas, obras de arte ou ainda um pendente de iluminação que se distribua nessa distância essa altura é valorizada, pois eleva os olhares”, afirma.

Para a designer Carolina Lage, vários elementos podem valorizar a decoração - Eduardo Almeida/RA Studio Para a designer Carolina Lage, vários elementos podem valorizar a decoração


A arquiteta e designer de interiores Valéria Alves também acredita que uma boa forma de valorizar o pé-direito é com cortinas de grandes dimensões, cobrindo toda uma parede e que alçam a altura do piso ao teto. “Painéis de madeira e papéis de parede cobrindo toda a área de uma parede também podem valorizá-lo. Outro ótimo recurso é usar uma estante com livros que cubra toda uma parede”, sugere.

Marina reconhece que estantes são elementos que podem valorizar a altura do ambiente e ajudar a dar apoio para guardar louças, entre outros objetos. “No entanto, deve-se atentar que prateleiras acumulam poeira e quanto mais alta a estante, mais difícil a manutenção e limpeza.”

Com relação ao uso do espelho, apesar de ser um elemento eficiente e harmônico que não introduz cor ou estilho ao ambiente, a arquiteta diz que deve-se obedecer critérios. “É o recurso mais antigo para ‘multiplicar’ a sensação de espaço, sendo totalmente neutro. No entanto, o uso do espelho também deve ser orientado, evitando duplicar 100% os ambientes para que não gere cansaço.”

REFLEXO


Outra dica é evitar duplicar os espaços que têm pendente ou luminária decorativa. Isso evita que eles fiquem muito monótonos. “Nesses casos, opte por colocar um espelho em meia parede ou somente acima do aparador. Além de ampliar o espaço, espelhos dão um toque sofisticado quando bem dimensionados e instalados”, completa Marina.

Mais do que ampliar o ambiente, a design de interiores Carolina Lage fala que os espelhos têm a função de refletir algo interessante. “Não adianta revestir uma parede inteira de uma sala se ela vai refletir uma imagem ruim. Portanto, o local que o espelho será instalado deve ser escolhido cuidadosamente para que ele valorize ainda mais o apartamento”, destaca.

Aí vale tanto revestir toda uma parede com espelho ou colocar dois ou três deles com molduras largas, de forma solta, conforme Valéria Alves. “Espelhos dispostos de forma a contemplar janelas com floreiras também pode proporcionar um ambiente amplo e iluminado”, sugere a arquiteta.

A arquiteta Marina Dubal diz que é importante os espaços internos terem boa circulação de ar e uma integração equilibrada  - Eduardo Almeida/RA Studio A arquiteta Marina Dubal diz que é importante os espaços internos terem boa circulação de ar e uma integração equilibrada


Detalhe faz a diferença

Mas, afinal, quais são as características de uma casa que fazem com que ela seja diferente de um apartamento, além, é claro, de sua dimensão? Para a arquiteta e design de interiores Valéria Alves é a liberdade de espaço, “com portas abertas e jardins a vista.” A interação com o exterior poderá passar a sensação de se estar em uma casa. “Usando janelas grandes e o mais abertas possível, com menor intervenção de estrutura, e uma jardineira bem cuidada, parecerá que logo após há um jardim. A relação com o exterior é um forte aliado”, explica.

A designer de interiores Carolina Lage também aponta o fator liberdade como o maior diferencial. “Ou seja, o espaço é só seu e você pode desfrutá-lo com maior liberdade, sem regras pré-estabelecidas por condomínios”, exemplifica. As janelas e portas maiores também possibilitam uma visão externa ampliada.

Valorizar a amplitude e a integração com o exterior é fundamental para Carolina. Principalmente se o imóvel tem uma vista privilegiada e bonita da área em torno dele. “Caso não tenha, abuse das plantas na varanda. Isso trará a sensação de casa que tantos buscam”, sugere a designer de interiores.

Equilíbrio e originalidade são fatores essenciais para um bom resultado - Eduardo Almeida/RA Studio Equilíbrio e originalidade são fatores essenciais para um bom resultado


Além disso, há características especiais. Quem teve o privilégio de desfrutar a infância na casa dos avós, por exemplo, tem saudades da sensação de aconchego. Para reproduzi-lo, uma boa alternativa é apostar em objetos pessoais e personalizados. “Quem sabe você não pode levar para o seu apartamento aquele relógio antigo da vovó?”, diz Carolina.

No entanto, a designer de interiores chama a atenção para a escolha certa dos móveis, que devem ser proporcionais ao ambiente e, ao mesmo tempo, funcionais. Isso porque uma casa cheia não significa que ela está bem decorada. “Respeite os espaços de circulação do ambiente, que deve ser, no mínimo, de 60cm. Faça o uso de cores neutras na base da decoração, como paredes, tetos e em moveis maiores, como sofá”, indica Carolina Lage.

Já a arquiteta Marina Dubal aponta como mais determinante e difícil de reproduzir a área externa da casa. “Um jardim bem cuidado e árvores dando sombra são um natural convite ao relaxamento e ambientam a parte interna da casa”, observa. Para levar essa sensação ao apartamento, a arquiteta diz que o melhor é investir em imóveis com varandas amplas, áreas privativas ou uma cobertura.

A designer de interiores Valéria Alves diz que liberdade de espaço para circulação é fundamental dentro dos apartamentos - Eduardo Almeida/RA Studio A designer de interiores Valéria Alves diz que liberdade de espaço para circulação é fundamental dentro dos apartamentos


Mas, dependendo do projeto, o verde também pode ser inserido em vasos, jardineiras e painéis verticais, tanto na sala quanto em varandas. “Com o cuidado de escolher espécies adequadas e resistentes ao local. O uso de jardins verticais está em alta, mas toda planta utilizada em casa ou apartamento requer cuidados e manutenções para estar sempre bonita”, ressalta Carolina Lage.


Instalar espelhos em áreas aparentemente perdidas é estratégia para expandir local - Eduardo Almeida/RA Studio Instalar espelhos em áreas aparentemente perdidas é estratégia para expandir local
ESPÉCIES

Entre as plantas que podem ser utilizadas, a design de interiores cita samambaias, bambu mossô, em áreas de sombra a palmeira rafis, lanças de são jorge, orquídeas, e bromélias. “O essencial é a avaliação do espaço por um paisagista para que seja indicada a melhor espécie de acordo com o local e a incidência solar”, completa Carolina Lage. No caso de quem optar por jardineiras, Valéria Alves lembra que, devido ao seu tamanho e profundidades, o melhor é usar os temperos (hortelã, cebolinha e salsa) e flores de pequeno porte, como minimargaridas. “Para os vasos e cachepôs, temos que levar em consideração seu tamanho e local em que ficarão dispostas, pois algumas plantas necessitam de mais luz solar que outras”, reforça.


Com relação ao valor do projeto para transformar um apartamento em uma casa, as profissionais são unânimes em dizer que tudo depende dos objetivos. “Um projeto pode abranger desde o desenho de um móvel para a sala ou um armário sob medida até o projeto completo, passando pela escolha dos materiais e detalhamento de banheiros, forro, iluminação, entre outros”, diz Mariana.

Tags:

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
08 de julho de 2019
02 de julho de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura