Casa Cor lança tendências

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 22/08/2011 15:19 / atualizado em 22/08/2011 15:31 Redação /Estado de Minas
Jardim do apartamento - Sarah Sotero, Ronaldo Moraes e Edna Oliveira
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Com 400 metros quadrados, o espaço segue o conceito dos jardins dos condomínios verticais, com plantas e vasos de baixa manutenção, com o charme de bacias que se transformam em espelhos d’água. Foi trabalhada uma cerca-viva de fórmio e vasos de fibra com pintura automotiva. Há ainda um percurso de pedras de quartzito ladeado por palmeiras. Esse caminho se abre em uma praça que abriga um automóvel. Compondo o jardim, bambu-mossô, bromélias e forrações.

Quarto do adolescente - Gislene Soeiro
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Criado para um adolescente moderno e de hábitos urbanos entre 15 e 16 anos, apreciador do skate como esporte radical, em que expressa seu potencial criativo. Os tons neutros fazem a base da decoração com a cor presente na cadeira, mesa de apoio e roupa de cama. Destaque para o concreto aparente, juntamente com o xadrez dos tecidos, que fazem uma linha pop. Luminárias de LED e lâmpadas fluorescentes escolhidas pelo baixo consumo energético. Uso de lona de caminhão como material reciclado no revestimento da cama, bem como a reutilização da cadeira e das luminárias de pé antigas.

Quarto da filha - Bruna Figueiredo e Virgínia Reis
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Inspirado em uma menina de 20 anos, o objetivo foi criar um lugar aconchegante e clean. A laca brilhante e o linho têm predominância no espaço e foram escolhidos por se tratar de material nobre e elegante. Os móveis em acabamentos e tons neutros dão leveza. O papel de parede “rendado” e as luminárias com desenhos lúdicos fazem referência ao lado romântico e sonhador da alma feminina.

Estar das crianças - Melissa Rezende
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Concebido com o intuito de unir os filhos num espaço de entretenimento e lazer, o ambiente foi modulado para cada um deles e contém uma caixa de brinquedos e um rolo de papel e pincéis para o menino de 3 anos, um reduto de leitura e fantasias para a menina de 10 e um canto do esporte a ser explorado pelo adolescente com bicicleta, ferramentas e acessórios. Os módulos são integrados por um espaço com mídias e outros equipamentos. O módulo central é todo em madeira de reflorestamento e as luminárias tem baixo consumo de energia e cadeiras são restauradas e trabalhadas manualmente em tecido de algodão.

Garagem - Flávia Zambelli
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Inspirada em um homem aventureiro, com personalidade marcante e gosto apurado. O espaço, multiuso, agrega elementos do cotidiano e é convidativo para reuniões descontraídas. Pautado pela sustentabilidade, o projeto tem móveis produzidos com madeira de reflorestamento e o aproveitamento de resíduos para confecção de mobiliário e adornos. O leiaute é objetivo: há uma extensa bancada que liga o ambiente interno e o externo, coifa embutida no teto, projeção de imagens em vidro duplo e tocheiro para aquecer a área externa.

Hall do colecionador - Helmara Lício
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

As belas vinícolas inspiram o ambiente intimista. O projeto compreende espaço para degustar vinhos e colecionar lembranças de momentos relacionados à bebida. O hall abriga coleções de rolhas, rótulos e vinhos e memórias de viagens. O material remete às tabernas e a iluminação aplicada é suave e indireta. A madeira predomina nas paredes e no teto e o piso é rústico. Os móveis são de madeira certificada e rolhas.

Sala da lareira - Manuela Senna
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Criada para ser um espaço de descanso e leitura e inspirada num escritor que precisa de um refúgio para trabalhar em seus romances deitado em uma chaise ao som de boa música e perto do calor da lareira. O coração do ambiente é a lareira à base de álcool. O revestimento sustentável é feito a partir do aproveitamento das sobras da olaria, que tem aspecto rústico para fazer contraponto com a modernidade da lareira. Destaque para o extenso painel de peroba, que se revela combinação perfeita com a atmosfera de aconchego, e o uso do piso feito em PVC, que se assemelha a madeira e inclusive é antiqueima. Chama a atenção a radiola, que volta com força total para tocar discos de vinil. Assim como as luminárias de pé em madeira, que podem ter a iluminação regulada para qualquer direção.

Loft do rapaz - Flaviane Pereira
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Ambiente inspirado no conceito de moradia que surgiu em Nova York nos anos 1960: a fusão do open space ao estilo de vida contemporâneo. No espaço, há ausência de paredes, divisões internas, vigas e pilares aparentes. A iluminação natural é garantida por grandes janelas. Revestimento de paredes em placas cimentícias, efeito de pintura texturizada no estilo madeira para paredes e teto, objetos de arte e móveis esculturais dão o ar moderno. No projeto, não foi executado rebaixo em gesso para deixar o ambiente com pé-direito alto.

Coffee garden - Droysen Tomich e Elcy Celani
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Os paisagistas pensaram em um jardim que fosse convidativo não apenas para ser admirado, mas interativo. Há mesas no jardim para os visitantes darem uma pausa e tomar um drinque. Foi projetado com fonte, lareiras e são utilizadas poucas cores. O mobiliário é de material sustentável. O charme do projeto está na sua integralidade de um jardim vertical bem planejado.

Jardim de entrada - Márcio Augusto Ferreira, Marilu Drummond e Lúcia Borges
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

A Casa Cor Minas este ano se localiza em uma região que é interface entre mata atlântica e cerrado, e nela foram usadas plantas das duas regiões. As bromélias aechemeas, alcantareas e neoregélias são oriundas da mata atlântica e foram dispostas em arranjos com formas arredondadas e contrastantes. Já as palmeiras licuris são típicas do cerrado. Além de
adaptadas à região atraem a fauna para o jardim com seus frutos dourados e saborosos. Apesar de usar poucas variedades de fácil manejo e manutenção, exploraram a beleza e encanto dessas plantas. Complementam o espaço os jardins verticais, que agregam valor e enfatizam as matas. Esses painéis verdes são tendência contemporânea, podendo ser construídos em ambientes internos e externos trazendo sofisticação e requinte ao espaço.

Bar e café - Viviane Lima
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Com 80 metros quadrados, o conceito é do local onde os visitantes da mostra se reúnem para descansar, jogar conversa fora, tomar um drinque, lanchar, ler ou tomar um café. Um ambiente despojado e com a cor vermelha vibram.

Café do jardim - Valéria Alves
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Espaço de 120 metros quadrados que se destaca pela aplicação de produtos sustentáveis, madeira de reflorestamento, revestimento reciclável, sem produção de poluentes e fabricantes com selo verde. Os revestimentos de piso e parede, móveis, adornos, iluminação e até a climatização proporcionam aconchego, sem deixar de lado o requinte. Há cinco mesas e o tradicional balcão das cafeterias. Na área externa, sofás que se transformam em chaises. Seis lareiras elétricas foram distribuídas embutidas em suporte de MDF. Os tons são sóbrios (bege, berinjela, cobre e concreto) em contraste com o colorido de alguns mobiliários em laca azul. Os tecidos são linho rústico, veludo de seda e mantas de crochê.

Lounge interativo - Luciano Costa, Flávia Freitas Costa e Maria Aparecida Teles
Rodrigo Câmara/Divulgação

A proposta do trio traz a nostalgia e o charme do mobiliário vintage convivendo com a ousadia e a tecnologia da música eletrônica. O ambiente foi concebido em diferentes níveis, em que cores, texturas e a iluminação conduzem os visitantes até o lounge, passando por um painel interativo que apresenta a árvore genealógica da música eletrônica. O mobiliário é formado por peças originais vintage, como o sofá Tonico (1963) e o par de poltronas Oscar (1960), ambas criações de Sérgio Rodrigues consideradas clássicos do design brasileiro. Há ainda uma mesa Le Corbusier, em aço e cristal, datada de 1970. Há um painel de MDF revestido por uma camada de garrafas PET.

Tags: cor

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
08 de julho de 2019
02 de julho de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura