Móveis de design

Cuidado para não exagerar ao usar peças de design

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 04/12/2011 12:14 Júnia Leticia /Estado de Minas
Rafael Mendes, da Sava Móveis, ressalta a grande variedade de matéria-prima disponível hoje para fazer itens de qualidade para o lar - Eduardo Almeida/RA Studio Rafael Mendes, da Sava Móveis, ressalta a grande variedade de matéria-prima disponível hoje para fazer itens de qualidade para o lar
Para quem quer encomendar móveis com design, antes de mais nada, é preciso pensar na função deles no espaço e quem vai usá-los, como explica a designer de interiores Daniela Faustini. “Estudar a planta com medidas para adaptá-la à metragem do ambiente, observando sempre a circulação, ergonomia e funcionalidade”. Mas para quem quer ainda mais praticidade, a arquiteta Marina Dubal diz que há produtos com design diferenciado que já são produzidos em série. “Como cadeiras, luminárias, entre outros. Os móveis e peças sob encomenda são, em geral, aqueles mais artesanais ou cujo processo de fabricação inviabiliza a produção em série pelo alto custo”.

Se você optar por mandar fazer, uma boa alternativa é apostar nos multifuncionais, que estão sendo muito utilizados atualmente. Para se ter uma noção do espaço necessário para acomodá-los, considera de início que, em média, para cada pessoa há uma área de 60cm x 50cm, denominada zona de contato. “A partir dessa dimensão é possível determinar as áreas mínimas para circulação em vários ambientes”, explica Daniela.

Independentemente da opção – sob medida ou para pronta entrega –, o que deve permear a escolha são as reais necessidades do morador. Por isso, nem sempre peças com design têm de ser caras. “Móveis mais elaborados, repaginados, muitas vezes, por si só, decoram um ambiente. Pensando dessa forma, mesclar objetos de custo mais baixo, mas de bom gosto, fazem a diferença no total do ambiente”, diz a designer de interiores Ana Karina Chaves. Assim, tudo é uma questão de escolha, pois o que vai determinar o preço é a complexidade do projeto, os materiais a serem utilizados, entre outros aspectos. De qualquer forma, o investimento sempre vale a pena. “Móveis de design têm valor tão reconhecido que, mesmo usados, não desvalorizam. Ao contrário, assim como obras de artes, quando bem conservados se tornam ainda mais valorizados”, segundo a designer de interiores Klazina Norden.

CUSTO

A arquiteta Marina Dubal diz que projetos de ambientes abrangendo o design de móveis podem custar de R$ 1,5 mil a R$ 2 mil, valores que variam conforme o tamanho do ambiente, a quantidade de mobiliário a ser desenhado e a atuação de cada profissional. “Nesse caso, o projeto vai abranger desde os acabamentos de parede, piso, iluminação até o design de móveis e peças de decoração.” Segundo Rafael Mendes, diretor comercial da Sava, no caso dos móveis, os preços sofrem grande variação conforme o modelo, tamanho e acabamento. “Um sofá pode variar, em média, de R$ 3 mil a R$ 15 mil; uma mesa de jantar, de R$ 2 mil a R$ 10 mil; um rack, de R$ 2,5 mil a R$ 8 mil; e uma poltrona, de R$ 900 a R$ 5 mil”, explica.

Tags: cuidados

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
23 de abril de 2019
21 de abril de 2019