Móveis de design

Aumento da renda e difusão da informação fazem com que o design seja democrático

Peças com estilo encantam cada dia mais pessoas. Unir funcionalidade e beleza é uma preocupação de todas as classes sociais

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 04/12/2011 12:18 Júnia Leticia /Estado de Minas
Para a designer de interiores Ana Karina Chaves, o perfil do consumidor dita as regras, independentemente do poder aquisitivo - Eduardo Almeida/RA Studio Para a designer de interiores Ana Karina Chaves, o perfil do consumidor dita as regras, independentemente do poder aquisitivo

Assim como há peças para todos os gostos, há preços para todos os bolsos e opções para as mais diversas faixas etárias. Essa gama de possibilidades é comemorada pela arquiteta Marina Dubal, que considera o melhor design aquele que consegue atingir um público maior. O aumento do poder aquisitivo da população é um dos fatores que contribuíram decisivamente para que mais pessoas pudessem adquirir artigos de design. “Com isso, cada vez mais o design industrial está sendo valorizado na diferenciação de um produto. Hoje, não mais se escolhe um fogão pela única questão prática de cozinhar. O design tem papel importante no momento da decisão da compra”.

A designer de interiores Daniela Faustini reconhece que, da mesma forma que há móveis para todos os gostos, há público para as diversas opções de produtos. Para escolher, basta saber o que se quer nos ambientes domésticos e procurar o profissional mais adequado para atender essa busca. “Apesar de reconhecer que a maior parte da demanda vem das classes A e B, graças ao acesso ao crédito, a população com menor renda tem buscado móveis com maior valor agregado”, comenta.

Com o aumento da renda, veio uma nova forma de pensar, que privilegia o investimento na qualidade de vida, que pode ser melhorada com a aquisição de peças bonitas e funcionais. “O poder aquisitivo do brasileiro está crescendo e aumenta também no sentido de almejar para a família um lar mais confortável, com a praticidade, beleza e harmonia”, diz Daniela.

O motivo dado pelo diretor comercial da Sava Móveis, Rafael Mendes, para que todas as classes sociais possam atualmente recorrer aos móveis com design passa pela variedade de materiais com os quais eles são produzidos. “O design no mobiliário hoje está presente em todos os móveis. O que muda são as matérias-primas usadas e a qualidade em cada produto”, explica.

Para a designer de interiores Ana Karina Chaves, independentemente do poder aquisitivo, o que dita as regras nas peças de design é o estilo de vida e o gosto do consumidor. “A aceitação vem por parte das pessoas que gostam do estilo contemporâneo, moderno, futurista, das apreciadoras das artes modernas etc”.

Daniela Faustini observa que nos diferentes tipos de realidade o que ocorre são demandas em conformidade com necessidades distintas. “Enquanto um cliente de classe social mais baixa recorre aos móveis sob medida para atender uma limitação de espaço, o que tem mais condições encomenda uma cozinha planejada para receber seus eletrodomésticos de última geração, criando verdadeiros espaços gourmet dentro de casa.”

Por todos esses motivos – além, claro, de agregar beleza à função –, as peças com design têm cada vez mais aceitação. “Ou seja, uma cadeira deve ser confortável e resistente, mas pode, ainda, aparentar leveza, modernidade, por exemplo, e compor melhor os espaços que necessitem desse conceito”, diz Marina Dubal.
Tendências internacionais também influenciam o crescimento da valorização das peças com estilo no Brasil, segundo a designer de interiores Klazina Norden - Eduardo Almeida/RA Studio Tendências internacionais também influenciam o crescimento da valorização das peças com estilo no Brasil, segundo a designer de interiores Klazina Norden

Outro aspecto favorável segundo a arquiteta é que móveis com design têm mais versatilidade, se encaixando nos mais diversos tipos de espaço. “Podem ser usados em qualquer ambiente, desde residências, escritórios, lojas, podendo ser facilmente reaproveitados em uma eventual mudança”, completa Marina.

APELO

A busca por produtos diferenciados e com mais qualidade, que surge naturalmente com a elevação do poder aquisitivo, também contribui para o aumento do sucesso desses produtos. E não há como o consumidor ficar indiferente a peças que têm forte apelo visual. “O cliente percebe isso naturalmente. Além disso, cada vez mais o design está sendo absorvido na nossa cultura e na mídia, sendo difundido pelas revistas, televisão, entre outros meios”. A designer de interiores Klazina Norden confirma a forte influência do que chega do exterior na difusão dos produtos que têm em suas formas um grande atrativo. “Tendências mercadológicas internacionais também influenciaram o crescimento da valorização do design em peças e móveis no mercado nacional.”

Com imóveis com dimensões cada vez menores, mais do que beleza, esse tipo de mobiliário passou a se tornar uma necessidade, já que são planejados. Aliado a isso, as peças de design se transformaram em desejos de consumo. “As pessoas passaram a perceber que é melhor fazer um projeto sob medida para quartos ou cozinhas. Assim, valorizam mais os ambientes”, explica Daniela Faustini.

A exclusividade também é um atrativo entre os consumidores. Como cada produto tem uma característica única, Rafael Mendes fala que é possível atender os mais diversos tipos de gostos. “De uns sete anos para cá, o consumidor começou a ter mais informação sobre design e hoje as lojas também oferecem produtos com mais qualidade”, acrescenta.

Tags: design,

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
02 de julho de 2018
19 de junho de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura