Verão refrescante em casa

Mesmo longe das praias é possível curtir ao máximo o que a estação tem de bom. Áreas ao ar livre, varandas e terraços bem planejados garantem horas de lazer com a família e os amigos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 16/12/2012 11:32 / atualizado em 16/12/2012 12:05 Júnia Leticia /Estado de Minas
Eduardo de Almeida/RA Studio


No dia 21 começa o verão. Nessa época, não há nada melhor do que aproveitar ao máximo varandas, sacadas, quintais e terraços. Por serem espaços de convivência, esses locais devem ser valorizados para que fiquem confortáveis, aconchegantes, funcionais, práticos e, ao mesmo tempo, resistentes às mudanças do tempo. Ao pensar em fazer um projeto como esse, é preciso levar em consideração como o espaço será utilizado. “Se será somente para descanso e lazer, típicos de varanda, ou se terá alguma função, como gourmet. Afinal, não adianta ter uma varanda que não será usada. Por isso, muitas pessoas atualmente optam por integrá-la com a sala”, comenta a designer de interiores Carolina Lage.

Para a designer de interiores Milene Donato, o ponto de partida para um projeto de uma área externa é a dimensão. “É a partir daí que definimos as opções de entretenimento que ela comportará. Espaços amplos pedem lazer completo: piscina com spa, jardim, mesa de jogos, espaço gourmet com uma boa mesa e TV, sofás, além de lavabo e sauna”, explica.

A necessidade da família é o primeiro critério a ser analisado antes de pôr em prática a mudança no ambiente, de acordo com o designer de interiores Mauricio Bomfim. O valor a ser investido é outro item fundamental. Nesse caso, as apostas são as forrações de pedras, como seixos. “Que dão um ar todo especial para o projeto. Móveis de madeira também acabam tendo um custo um pouco mais baixo que os de fibra sintética”, sugere.

O designer de interiores Mauricio Bomfim diz que móveis de madeira têm um custo um pouco mais baixo que os de fibra sintética

O designer de interiores Mauricio Bomfim diz que móveis de madeira têm um custo um pouco mais baixo que os de fibra sintética  - Eduardo de Almeida/RA Studio O designer de interiores Mauricio Bomfim diz que móveis de madeira têm um custo um pouco mais baixo que os de fibra sintética
Mas, na hora de escolher o mobiliário, Carolina Lage afirma que ele deve ser apropriado para áreas externas. “Principalmente quando falamos de varandas e áreas sem fechamento de janelas e cobertura. Deve ser de fácil manutenção e com materiais que resistam às intempéries, ou seja, chuva, sol e entre outros”, ressalta. Por isso, algumas das opções mais indicadas são móveis de fibra sintética, de madeira de demolição tratada e protegida com verniz naval e revestidos com tecidos impermeáveis.

A arquiteta Valéria Alves reforça a importância de escolher materiais adequados às intempéries. “Atualmente, muitas peças do mobiliário são produzidas com material resistente ao sol e à umidade, como madeira reconstituída ou tratada, fibras sintéticas, alumínios, entre outros. Isso deve ser pensado tanto para os materiais de construção quanto para os móveis, adornos e acessórios.”

ACONCHEGANTE

Outro item importante é a escolha dos revestimentos, que devem proporcionar conforto e isolamento térmico. “Para uma atmosfera de maior frescor, o projeto deve criar uma circulação permanente de ar entre janelas e corredores. Isso evita que nos dias quentes sejam usados ventiladores ou ares-condicionados sem necessidade”, explica Valéria. Para completar, ela indica o uso de cortinas e tapetes feitos com tecidos de fibra sintética. “Eles não acumulam calor, dão mais charme e transmitem mais aconchego ao ambiente.”

Milene Donato diz que a preocupação com o conforto térmico é essencial para que os espaços ao ar livre sejam de fato usados. Para assegurar isso, a designer diz que é importante investir em telas solares. “Pois protegem bem nos horários de sol forte e podem sair de cena na sua ausência”, explica.

Valéria Alves aposta, ainda, no uso das telhas translúcidas nesse tipo de projeto. Segundo a arquiteta, a alternativa possibilita melhor aproveitamento da luz do dia. No que se refere à iluminação artificial, o indicado é que seja usada vedação para evitar a entrada de água e que sejam utilizados materiais resistentes à umidade, “como barro queimado, fibras sintéticas e alumínio”.

Eduardo de Almeida/Ra Studio


Para entrar no clima
Ainda que não haja muito espaço para as plantas, o uso delas completa o visual da casa e ajuda a refrescar ambientes. Confira algumas espécies indicadas para apartamentos e casas


Recurso que pode ajudar nos projetos de áreas agradáveis de verão é o paisagismo. Afinal, plantas possibilitam mais frescor aos ambientes, sejam eles internos ou externos. E contar com pouco espaço não é desculpa para não reservar a elas um cantinho todo especial, como explica o designer de interiores Mauricio Bomfim. “Jardins verticais, mesmo nas sacadas, dão um efeito aconchegante. Uma dica é usar samambaia, que geralmente tem mais folhagem.”

A arquiteta Valéria Alves diz que os apartamentos menores devem usar plantas de menor porte e com móveis planejados - Eduardo de Almeida/RA Studio A arquiteta Valéria Alves diz que os apartamentos menores devem usar plantas de menor porte e com móveis planejados
Entretanto, para que os espaços verdes fiquem sempre bonitos, é preciso ter alguns cuidados. “As varandas são os locais onde, frequentemente, as plantas estão mais expostas ao sol. Dependendo da insolação, a terra ficará seca rapidamente e será preciso regá-las mais vezes”, adverte Mauricio. Para quem quer investir nessa ideia, a indicação do designer de interiores é optar por plantas como a pata-de-elefante e a pleomele. “Há, também, a palmeira-areca, planta curinga que suporta tanto o sol como a sombra, mas que ocupa um espaço maior devido à altura e ao volume. Para quem gosta de ter o verde em casa mas tem pouco tempo, o ideal é a zamioculca, que é mais fácil de cuidar, se adapta muito bem ao interior e também ao ar-condicionado”, indica.

Para a designer de interiores Carolina Lage, o paisagismo é muito importante porque é ele quem caracteriza uma área externa e traz um prolongamento da natureza para dentro de casa. “As plantas são sempre bem-vindas, porém, com o cuidado de escolher as espécies apropriadas de acordo com a incidência de sol ou sombra, para que fiquem bonitas por mais tempo, e que sejam de fácil manutenção. O ideal é que um paisagista faça uma visita ao local e indique a melhor espécie.”

Observados esses cuidados, a arquiteta Valéria Alves explica que há uma gama de espécies que podem ser usadas e que devem ser separadas de acordo com o projeto. “Para ambientes internos, a palmeira-chamaedórea é uma das mais populares. Fica bem em vasos, não passa dos dois metros de altura, gosta de ambientes úmidos e longe da luz direta do Sol.” Os minicactos também são uma excelente alternativa para interiores. Encontrados até em supermercados, são ótimos para compor arranjos. “Além deles, a lança-de-são-jorge é outra indicada pelo seu visual bem ornamental.”

Milene Donato, designer de interiores - Eduardo de Almeida/RA Studio Milene Donato, designer de interiores
A designer de interiores Milene Donato diz que plantas bem distribuídas adornam e trazem vida ao ambiente. “Prateleiras, estantes e aparadores em desuso podem ser remanejados para varandas, sacadas, quintais e terraços para abrigarem vasinhos de plantas que antes ficavam espalhados pela casa. Esse tipo de montagem acaba valorizando o móvel e as plantas ao mesmo tempo. Flores, plantas e vasos de diferentes tamanhos e formas acabam se tornando destaque dispostos dessa maneira.”

EFEITOS DE LUZ
Para melhorar ainda mais essa atmosfera, Mauricio Bomfim aposta na iluminação, que valoriza tanto o paisagismo, como a arquitetura da casa. “Se você deseja evidenciar a textura dos muros, prefira a luz voltada para cima. Ao sinalizar o trajeto, posicione os balizadores e postes com foco para baixo e não para a frente. A boa luminária não ofusca nem nos deixa ver a lâmpada”, ensina.

De acordo com o designer, nesse tipo de projeto, deve-se perceber apenas o resultado luminoso. Por isso, ele diz que o foco nunca deve ser direcionado para o local de circulação das pessoas. “Para destacar árvores, é melhor virar os projetores para tronco e galhos. Espécies mais altas pedem lâmpadas com ângulos fechados, de 4, 8 ou 10 graus; plantas com copas densas, ângulos abertos, de 30 a 40 graus”, diz Mauricio.

Dicas valiosas

Confira algumas recomendações para não esquentar a cabeça na decoração

» Numa pequena sacada, cai bem uma rede. E, em uma dessas paredes, use um quadro verde ou objetos de decoração que sejam a sua cara.
» Para quem quer fazer da varanda um cantinho aconchegante, revista o piso com deque de madeira, coloque um fouton de tamanho confortável, vasos com plantas e uma fonte.
» A madeira é um acabamento que fica muito bem em tais ambientes e sempre está presente, por trazer a sensação de aconchego. O material pode aparecer em móveis, adornos e até mesmo em peças que a imitem, como pisos e revestimentos de parede.
» As plantas são um item imprescindível. Uma vegetação bem distribuída adorna e confere vida ao ambiente.
» A churrasqueira é um artigo bastante solicitado. Para tanto, é preciso avaliar e escolher um modelo que combine com o ambiente proposto.
» Prateleiras, estantes e aparadores em desuso podem ser remanejados para varandas, coberturas, sacadas e espaços gourmets. Esse tipo de montagem acaba valorizando o móvel e as plantas ao mesmo tempo.
» A utilização de materiais que tenham praticidade e sejam de fácil conservação é fundamental para esses espaços. Um exemplo disso são as bancadas feitas em granito para a área da churrasqueira e cadeiras laváveis e empilháveis.
» Esses espaços pedem uma iluminação planejada, realçando elementos importantes, como caminhos, a piscina, uma árvore, além de proporcionar o uso desses espaços após o pôr do sol.

Cada espaço do seu jeito

Eduardo de Almeida/RA Studio
Como cada tipo de imóvel exige especificações distintas conforme o espaço disponível, é necessário avaliar cada caso antes de colocar as mãos na massa. “Normalmente, as áreas de apartamentos são menores, sendo indicados mobiliários, tapetes e adornos em tamanhos planejados e, muitas vezes, feitos por encomenda. Em casas com ambientes amplos, deve-se evitar o exagero de peças e mobiliários e valorizar a mobilidade e o espaço para circulação de ar”, indica Valéria Alves.

De qualquer forma, para fazer com que as áreas externas sejam mais bem aproveitadas no verão, Carolina Lage defende o uso de um mobiliário mais despojado e colorido. “Também são usadas persianas tipo rolo ou romana em tecido apropriado, que reduz a temperatura e os raios UV. Essas peças devem ser fáceis de limpar, principalmente em se tratando de área gourmet”, diz.

Já os objetos de decoração devem ser um pouco rústicos, conforme Carolina. O mesmo vale para o uso dos revestimentos – como exemplo, placas cimentícias, pastilhas de diferentes formatos e tamanhos e porcelanatos amadeirados, que podem ser projetados para ser de fácil manutenção. “Esses materiais podem trazer uma sensação refrescante ao ambiente se combinados com plantas apropriadas.”

Também se pode criar um clima bem aconchegante com o uso de redes, mesclando plantas e revestimentos amadeirados, deixando o ambiente bem gostoso. Entretanto, a designer de interiores recomenda que elas sejam bem instaladas. “É necessário, inclusive, verificar se a laje ou parede têm resistência para servir como sustentação para elas.”

CUIDADOS
Mas para que essa decoração fique realmente agradável é preciso ter cuidado com a manutenção. “Opte por fibras sintéticas, produtos impermeáveis ou com tratamento próprio para ficarem expostos ao sol e à chuva”, aconselha Valéria Alves. Por isso, a recomendação da arquiteta é não agir por impulso, já que todo material usado em espaços como varandas e coberturas devem ser analisado. “É preciso conhecer como ele é produzido, onde poderá ser usado, como e de que é a estrutura do produto”, diz. A consultoria de um profissional evita a escolha de materiais e artigos inadequados. “E você economiza ao fazer o ambiente em uma única vez”, acrescenta Valéria.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
08 de julho de 2019
02 de julho de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura