Quer dar leveza aos ambientes? Aposte nas candy colors

Depois de virar febre na moda, as cores clarinhas invadiram a decoração

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Divulgação

As candy colors dominaram as passarelas, as unhas e agora a decoração. Os tons claros de azul, rosa, amarelo, lilás e verde, que ganharam esse nome por lembrarem as cores de doces e balas, deixam os ambientes mais alegres e ao mesmo tempo passam a sensação de leveza e tranquilidade.



Por serem cores suaves e que não "brigam" entre si, os tons podem ser misturados na decoração. Para quem está em dúvida, aposte na combinação com o branco para não ter erro. Quem quer ousar um pouco mais, pode usar os tons pastel combinados com cores mais intensas. A mistura deixará o ambiente com um ar retrô. Já a mistura com estampas florais deixará o cômodo mais romântico.

Reprodução/Internet
Se antes os tons eram restritos aos quartos infantis, hoje podem ser usados em qualquer cômodo da casa. Na hora de decorar, vale pintar apenas uma parede que terá destaque ou o cômodo inteiro. Os móveis, eletrodomésticos e artigos de decoração que levam as candy colors também estão em alta e podem ser uma alternativa para quem quer dar um toque especial sem transformar totalmente um ambiente. Os papéis de parede também são boas opções. Além das cores, eles podem agregar textura às candy colors.

Na hora de escolher o tom ideal, analise a função do ambiente, quem são seus frequentadores e qual a impressão que ele deve passar. O azul-claro, por exemplo, é pacífico e libera tensões, o rosa passa a ideia de aconchego e desperta sentimentos como afeto, enquanto o amarelo ilumina.

Tags: decoração,

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
marlene - 27 de Fevereiro às 12:46
lindo adoro decoração

Últimas Notícias

ver todas
08 de julho de 2019
02 de julho de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura