Pastilhas de vidro dão charme aos diversos ambientes

Pastilhas dão estilo e charme aos espaços da casa. De áreas frias, como lavabos, cozinhas e áreas gourmets, a quartos, há opções que garantem estilo a todos os ambientes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 17/03/2013 11:27 Júnia Leticia /Estado de Minas

Há pastilhas para todo tamanho e tipo de composição - Fotos: Eduardo de Almeida/RA Studio Há pastilhas para todo tamanho e tipo de composição
Elas são pequenas, mas o efeito que causam nos ambientes é enorme. As pastilhas, que há algum tempo eram pouco utilizadas e limitadas em opções, hoje são as queridinhas de arquitetos e decoradores, que usam e abusam das peças em banheiros, cozinhas e áreas gourmets e de lazer.

A arquiteta da loja especializada em acabamentos Bel Lar, Maristela Broilo, conta que as pastilhas caíram no gosto dos profissionais e clientes por serem coloridas, versáteis e de fácil aplicação. “Elas trazem mais graça aos ambientes e as possibilidades de criação são ilimitadas. Isso porque você pode colocá-las como detalhe nas paredes, acima de pias e de cubas, como adornos em áreas gourmet ou levando charme e elegância para lavabos, por exemplo.”

Para fazer a composição, existe uma série de opções, que variam muito em materiais, tamanhos, formas, cores, estilo, texturas e relevos. “As mais tradicionais são as de vidro e de porcelana. Hoje, porém, são encontradas de mármores, porcelanatos, madeiras, pedras, lajotas, cerâmicas, espelhos, aços, alumínio e cimento.”

Além desses, a consultora em acabamentos Adilma Quaresma aponta o coco, murano, resina, madrepérola, as de ladrilho hidráulico em forma de mosaicos e até de ouro. “Entre todas, as mais procuradas são as mais versáteis, de fácil manutenção e que não arranham facilmente, que são as de porcelana. As de vidro arranham com mais facilidade, por causa do próprio material.”

 

As mais comuns, segundo a arquiteta Eduarda Corrêa, são as de cerâmica e vidro. “Estão em alta as pastilhas metalizadas, que têm seu uso muito grande em cozinhas. Seu efeito fica muito interessante com os eletrodomésticos atuais. Mas as pastilhas cerâmicas e de vidro, ainda que mais comuns, são muito utilizadas, pelo efeito apresentado e o custo relativamente baixo do material”, explica.

VARIEDADE Os formatos também são muito variados, de acordo com a arquiteta Giselle Madeira. “Além dos mais comuns, de 1cm x 1cm, 2cm x 2cm e 5cm x 5cm, há as placas, que geralmente são de 30cm x 30cm. Mas os modelos ainda mais procurados são as mais comuns, de vidro de 2cm x 2cm, que ganham no preço e têm a opção de várias cores, entre elas a miscelânia, que é a mistura de três cores ou mais, de tonalidades claras e escuras.”

Maristela Broilo diz que elas podem ser quadradas, retangulares ou redondas, e ainda ter formas mais elaboradas, como de estrela ou de flor. “Existem, ainda, os modelos que misturam formas e tamanhos e os de cerâmicas que simulam o efeito pastilhado, sendo que algumas são sulcadas para receber rejunte, criando o mesmo efeito das pastilhas. Atualmente, temos utilizado as pastilhas para revestir paredes ou apenas criar detalhes, como barrados ou painéis, mescladas com cerâmicas monoporosas, porcelanatos ou pintura.”

Os principais diferenciais das pastilhas, segundo Adilma Quaresma, são, de fato, sua versatilidade. “Algumas, como as de vidro, porcelana e murano, têm uma variedade imensa de cores. Já as de madeira valorizam os ambientes como sala e home, dispensando até um investimento em mobiliário mais sofisticado. As de ladrilho hidráulico, do tipo mosaico, além de serem 100% impermeáveis na superfície, são muito coloridas e valorizam os ambientes gourmets.”

Com tantas opções, o recurso oferece muitas possibilidades, agregando um ar de sofisticação a um ambiente, sem a necessidade de muito investimento, conta Eduarda. “É um tipo de revestimento que inova na aparência e pode compor com uma cor ou textura diferenciada, além de ser muito resistente”, diz a arquiteta.

"Elas trazem mais graça aos ambientes e as possibilidades de criação são limitadas. Isso porque você pode colocá-las como detalhe nas paredes acima de pias e de cubas", Maristela Broilo, arquiteta

 

De acordo com cada ambiente

Que as pastilhas embelezam os ambientes, muitos já perceberam. Basta buscar na internet imagens de espaços nos quais elas são utilizadas para ter uma amostra de seus encantos. No entanto, para que o resultado tenha o efeito esperado, é necessário tomar alguns cuidados ao empregar as peças.

Adilma Quaresma reforça que é preciso escolher a argamassa adequada para cada pastilha, para não correr o risco de alterar o efeito - Adilma Quaresma reforça que é preciso escolher a argamassa adequada para cada pastilha, para não correr o risco de alterar o efeito


De acordo com a consultora em acabamentos Adilma Quaresma, os critérios para utilização de pastilhas em uma obra precisam ser um pouco mais rigorosos. Antes de escolher o material, é necessário observar suas especificações e aplicações. “As pastilhas de vidro não devem ser instaladas no chão de cozinhas e banheiros, por exemplo. Isso se deve ao fato de não terem esmaltação, o que significa não ter resistência ao tráfego. Dependendo do material, não tem garantia por parte do fabricante para ser instalada em pisos.”

Caso opte-se pelas esmaltadas que tenham resistência ao tráfego, a indicação de Adilma é que se dê preferência às acetinadas ou sem brilho. Mas, além disso, é preciso cuidado com a instalação. “É preciso escolher a argamassa adequada para cada pastilha. Se for translúcida, muito cuidado, porque a cor da argamassa muda a cor da pastilha”, adverte.

A especificação correta para cada ambiente é imprescindível, como informa Maristela Broilo, arquiteta da Bel Lar. “Algumas são mosaicos de pedra, madeira, mármores ou cimento e ficam ótimas em ambientes como salas e lavabos. Elas podem também entrar em banheiros, tomando-se o cuidado de não colocar na área do box os modelos que não podem ser rejuntados. Materiais que não aguentam umidade, como madeiras e espelhos, também têm uso restrito nesses ambientes.”

Para áreas molhadas, há outras opções, que aliam resistência à beleza, além de conferir sofisticação. “Pastilhas como as de vidro, porcelana ou cerâmica têm aspecto mais interessante em banheiros, saunas e spas. Já os modelos de aço são muito utilizados em cozinhas”, indica Maristela.

Giselle Madeira lembra que o surgimento de nova linha de pastilhas de madeira e pedra fez com que elas fossem muito utilizadas em salas e quartos, onde revestem a parede, dando uma sensação de conforto.”

 

Adilma ressalta a importância da contratação do profissional para fazer o serviço. Ele deve ter experiência e saber utilizar os instrumentos específicos para a instalação, para que não se corra o risco de perder o material. “É necessário verificar se o instalador está utilizando a desempenadeira dentada correta. E, dependendo da espessura da pastilha, é imprescindível utilizar uma camada de argamassa mais fininha. Caso contrário, o assentamento da pastilha ficará irregular, formando relevos, que dão um aspecto muito ruim ao acabamento”, diz.

BELEZA E DURABILIDADE A escolha correta também implica na durabilidade e conservação do material. Para garantir essas características, Adilma diz que as pastilhas de vidro, por exemplo, não devem ser instaladas em locais como box de banheiro e ou próximo ao fogão, devido à necessidade de uma limpeza mais pesada. “Com o tempo, as pastilhas ficarão totalmente arranhadas. Nesses ambientes, dê preferência para as de porcelana (acetinadas ou brilhantes) ou mosaicos esmaltados, como os ladrilhos hidráulicos, ou até mesmo o murano.”



Segundo Giselle Madeira, o que garantirá a durabilidade da pastilha é o modo de assentá-las. “Claro que temos que lembrar que escolher a pastilha certa para cada ambiente é primordial. Mas quando formos assentá-la, temos que levar em consideração o local que vai recebê-la e o tipo de argamassa e rejunte a serem utilizados. Se um desses itens não estiver de acordo com necessário para instalação, teremos em pouco tempo pastilhas se soltando.”


VARIEDADE
Conheça alguns tipos
de pastilhas e suas aplicações

» Vidro:
podem ser instaladas em ambientes internos ou externos, inclusive piscinas. Não devem ser usadas no chão de cozinhas e banheiros, por serem sensíveis e arranharem com facilidade.

» Cerâmica:
podem ser usadas em áreas internas e externas, como banheiros, fachadas, saunas, piscinas, entre outros.

» Madeira:
valorizam ambientes como sala e home. Podem se colocadas em paredes, pisos (de baixo e médio tráfegos), painéis, gazebos, desde que não sejam utilizadas em áreas molhadas.

» Aço:
recomendadas em cozinhas, lavabos, fachadas e churrasqueiras, oferecem alta resistência à oxidação. Devem ser sempre limpas, pois, com o tempo, a sujeira
pode provocar
alteração na cor.

» Ladrilho hidráulico:
do tipo mosaico, além de serem 100% impermeáveis na superfície, são muito coloridas e valorizam os ambientes gourmets.

» Pedras:
duráveis, não desbotam ou perdem o brilho. Ideais para áreas úmidas ou molhadas, como fachadas e piscinas.

» Murano:
uma releitura da antiga arte de trabalhar o vidro, herança familiar criada na Itália, na Ilha de Murano. Sua mistura de cores, profundidade e efeitos possibilitam a criação de ambientes diferenciados, com um forte apelo artesanal e original. Versáteis, servem tanto para ambientes internos quanto externos e revestimentos de paredes e pisos
de baixo tráfego.

 

Instalação delicada

Com tantas possibilidades e especificações relativas ao uso das pastilhas, para que se alcance o resultado esperado é fundamental a orientação de um profissional, como destaca Adilma Quaresma. “Não apenas pelo fator estético, mas principalmente pela parte técnica, uma vez que o consumidor está fazendo um investimento cujo objetivo é um resultado satisfatório.”

Quando da execução do trabalho, o principal cuidado é buscar uma especificação correta tecnicamente, segundo a consultora. “Caso contrário, o consumidor perde a garantia do produto que é fornecida pelo fabricante. Outro cuidado fundamental é a instalação de acordo com as normas do fabricante. Além disso, é indispensável a contratação de mão de obra qualificada.”

Segundo Giselle Madeira, o mais importante na hora de executar o trabalho é que o local esteja limpo e seja plano para receber o revestimento, que deve ser adequado para cada tipo de ambiente. E o rejunte tem de ser escolhido de acordo com a pastilha que será utilizada. “Além disso, o profissional que vai executar o serviço tem de ter tempo e habilidade para alinhar as placas, para que o resultado seja satisfatório”, acrescenta a arquiteta.

Eduarda Corrêa conta que as pastilhas vêm fixadas em placas de papel ou tela plástica. “O tamanho das placas varia de acordo com o tamanho das pastilhas e elas são assentadas com argamassa especial e rejuntadas posteriormente. Em alguns modelos, a própria massa de assentamento é o rejunte. Como todo revestimento cerâmico, o ideal é que as peças estejam sempre alinhadas.”

Entre as opções do revestimento disponíveis no mercado, as mais utilizadas são as de cerâmica e as de vidro, e geralmente são as mais baratas. “O preço pode ser por metro quadrado ou por placa, e varia de acordo com o tipo de acabamento e tamanho de cada material. Alguns modelos são importados e são bem mais caros”, avisa Eduarda Corrêa.

Adilma Quaresma aponta as de resina e de porcelana como mais baratas. “Já as de aço, murano, mármores, madrepérola, ouro e materiais naturais, como coco e madeira de demolição, e os chamados projetos especiais – que são desenvolvidos exclusivamente para aquele ambiente – têm custo mais elevado.”

Em virtude da gama de materiais dos quais elas são produzidas, há também uma grande variação de preço, que vai de R$ 14 e R$ 300 a placa (30cm x 30cm). “E como é imprescindível uma mão obra especializada, a instalação das pastilhas também é bem mais cara do que de um revestimento comum. Porém, o preço varia de acordo com a situação da parede. De qualquer forma, antes de contratar os serviços, é aconselhável visitar alguma obra executada pelo profissional contratado.”

"Como todo revestimento cerâmico, o ideal é que as peças estejam sempre alinhadas", Eduarda Corrêa, arquiteta


O diretor comercial da Bel Lar, Daniel Miranda, diz que as mais utilizadas são as pastilhas de vidro e porcelana nos formatos de 2,5cm x 2,5cm e 5cm x 5cm. “Como o assento é mais técnico, o custo da mão de obra pode variar até 100% da instalação dos revestimentos mais comuns.”

Para quem quer economizar, sem deixar de lado o efeito das pastilhas no ambiente, Giselle Madeira dá a dica. “Invista em peças cerâmicas, de 20cm x 20cm ou 30cm x 30cm, que são inteiras, mas têm um alto relevo marcando como se fossem pastilhas, e quando instaladas dão a aparência do revestimento. ” 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
09 de novembro de 2018
24 de outubro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura