Apartamento alugado pode ter a sua cara; veja dicas de decoração

Diante das restrições de reformas e mudanças estruturais, intervenções decorativas conseguem levar ao imóvel locado o gosto e a identidade do inquilino. Projeto em BH é ótimo exemplo de como fazer um apartamento temporário ter jeito de lar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 26/08/2014 09:30 / atualizado em 26/08/2014 12:51 Joana Gontijo /Lugar Certo
O planejamento para o duplex de 80 m², alugado por 24 meses, priorizou soluções temporárias, baratas, fáceis de pôr em prática e de remover na hora de entregá-lo ao proprietário - Henrique Queiroga/Divulgação O planejamento para o duplex de 80 m², alugado por 24 meses, priorizou soluções temporárias, baratas, fáceis de pôr em prática e de remover na hora de entregá-lo ao proprietário
O apartamento alugado é sempre um desafio para quem faz questão de viver em um lar que tenha personalidade. O contrato de locação lista uma série de restrições e, na maioria das vezes, não vale a pena empregar as economias decorando um lugar que logo será abandonado. Para deixá-lo com cara de casa e a identidade do morador, o design de interiores é um bom aliado. Afinal, alterações estruturais, mobílias permanentes e itens que não possam ser aproveitados ou que deixem marcas no imóvel, provavelmente dificultarão uma futura mudança.

É o caso do projeto para um loft localizado no coração do Bairro Funcionários, em Belo Horizonte, em um cativante edifício da década de 1980. Com assinatura da arquiteta Marina Dubal, do escritório DAD Arquitetura, o planejamento para o charmoso duplex de 80 m², alugado por 24 meses, priorizou soluções temporárias, baratas, fáceis de pôr em prática e de remover na hora de entregá-lo ao proprietário. Com composição decorativa acompanhando elementos garimpados em liquidações, a ideia foi criar ambientes aconchegantes para reunir os amigos e que fossem de encontro ao perfil da morada, evitando investimentos altos em peças sob medida e marcenaria.


Integração de ambientes é ponto forte do projeto de Marina Dubal - Henrique Queiroga/Divulgação Integração de ambientes é ponto forte do projeto de Marina Dubal
O loft é a primeira casa de uma mulher que, aos 32 anos, acaba de sair do ninho dos pais. Conquistando a independência e um cantinho só seu, ela faz parte do conjunto de jovens adultas que procuram um imóvel para alugar como a opção inicial para morar sozinha - ao final do contrato, em dezembro, a intenção é ter algo próprio. Com tamanho adequado às suas necessidades do momento, bem localizado e com preço justo, o apartamento recebeu uma atmosfera acolhedora com soluções de decoração e pequenas obras pontuais, negociadas com o proprietário. “Minha cliente gostou muito do prédio, do espaço e, como o contrato não é longo, seu pedido foi realmente não investir tanto no apartamento. Mas, como é o primeiro dela morando sozinha, queria que tivesse a sua cara, afinal, dois anos é um tempo significativo. Ter uma casa confortável, onde você se sinta bem, é essencial”, pontua Marina Dubal.

Os ambientes se distribuem em dois pavimentos. No nível inferior, estão cozinha, área de serviço, lavabo e sala de estar e jantar. No segundo, o estar íntimo se compõe como um escritório que dá acesso a dois quartos e um banheiro. Com a planta em mãos, foi feito um estudo detalhado do imóvel, salienta a arquiteta. O projeto privilegiou a integração dos ambientes, valorizando a relação entre eles.

Assista ao vídeo especial sobre o projeto de Marina Dubal e aprenda a decorar um imóvel alugado:



Peças garimpadas dão charme ao imóvel

A mudança em janeiro coincidiu com o período de descontos e troca de showroom das lojas de decoração, e a moradora também precisava de peças que tivessem pronta entrega. Então, o plano para o apartamento foi se adequando à medida que os itens eram encontrados, aproveitando os preços melhores. “Foi um trabalho com os dois lados. Algumas coisas foram planejadas e, em outras situações, surgiram objetos que nos fizeram nos moldar a eles - muita coisa foi feita ao seu redor”, descreve Marina.


Na sala, o desejo da inquilina era um sofá bonito e de bom tamanho, para acomodar bem as visitas e conferir aconchego. A opção pelo móvel em linho sintético marrom, da Axis, complementado com pufe da Comjunto Estofados, que permite o uso como chaise ou apoio como mesa central, vai de encontro ao pedido – e ainda foi garimpado a valor mais baixo. Desenhando a composição do estar, duas poltronas com detalhes em madeira servem à conversação - a VK amarela em couro sintético, da Desmobilia, dá um toque de cor, e o modelo Jangada em linho cru, da Axis, também adquirida em liquidação, completa o visual junto a almofada geométrica da Tapetart.
Para a arquiteta Marina Dubal, mesmo que seja um apartamento alugado, ter uma casa confortável, onde o morador se sinta bem, é essencial - Cristina Horta/EM/D.A Press Para a arquiteta Marina Dubal, mesmo que seja um apartamento alugado, ter uma casa confortável, onde o morador se sinta bem, é essencial
“Como a sala é ampla, optei por um sofá grande, e especifiquei a televisão ao lado da cozinha para ter dois ambientes integrados. A mesa de jantar circular aproveita o vão embaixo da escada”, descreve Marina Dubal. A cozinha em modelo americano, original da planta, une-se à sala e, desta perspectiva, a janela foi trabalhada com duas prateleiras em MDF revestidas em laminado melaminico preto, encomendadas na Armários Nunes. A maior cobre toda a extensão da parede, favorecendo refeições rápidas e para momentos de gastronomia, acompanhada das banquetas em eucalipto e palha encontradas a bom preço na Tok & Stok. A prateleira inferior menor, na ponta oposta, acomoda os equipamentos de som e vídeo, embutindo os aparatos e escondendo os fios.

A bancada projetada pela arquiteta é alternativa a um rack tradicional ou uma peça em marcenaria cara. “A única obrinha foi tubular a parte elétrica, deixando uma caixa de passagem para a ligação da TV a cabo”, explica Marina. Sob a TV, o baú antigo de couro herdado da mãe da moradora dialoga diretamente com o assento amarelo ao lado, e guarda objetos cheio de charme, com ótimo custo/benefício.
Peças garimpadas em liquidações ou herdadas de família são dicas para gastar menos - Henrique Queiroga/Divulgação Peças garimpadas em liquidações ou herdadas de família são dicas para gastar menos
Na extremidade do sofá, os bancos em papelão são ideais para apoio e ainda se sobressaem como elementos esculturais.“Os pufes de papelão são super baratos e foram adquiridos na internet. Estão disponíveis até em esquema de compra coletiva”, dá a dica a arquiteta. As mesinhas pé palito laqueadas da Lider Interiores agregam colorido em harmonia com os tons do ambiente. O ventilador Hunter, vendido em lojas elétricas, adiciona o afeto retrô. As cores são salpicadas também nas almofadas estampadas, com destaque para a que reproduz a imagem da pintora mexicana Frida Kahlo.

Decoração esconde defeitos estruturais

O piso manchado, instalado recentemente pelo proprietário, foi o mote para o tapete em placas que engloba todo o caminho das áreas de estar e jantar - uma solução decorativa que resolve o problema sem maiores interferências. “O dono havia feito uma reforma no apartamento antes da entrada da moradora. Na sala principal, o granito escolhido para o piso é extremamente oxidável e ficou com muitas manchas. Então, gosto muito dessa ideia do carpete Interface Floor, da questão da modulação. É um carpete em placas, que oferece várias cores e padronagens”, explica a profissional. Com paginação xadrez em nuances de azul, contrastando com o marrom do sofá, o tapete com as pontas quadradas alternadas assim se assume, e desta maneira não fecha os ambientes - emoldura-os.
O tapete em placas é alternativa para esconder o piso manchado sem necessidade de reforma - Joana Gontijo/Portal Uai/D.A Press O tapete em placas é alternativa para esconder o piso manchado sem necessidade de reforma
O preto pintado na escada metálica, esquadrias e marcos das portas realça detalhes característicos da época da construção, como as esquadrias em metalon. Como pano de fundo, a arquiteta estendeu o tom concreto já pintado no teto para o volume da cozinha. Na parede cega ao lado da TV, o efeito vem do papel de parede em textura pie de poule cinza e azul claro, da Bobinex, que deixa a casa ainda mais identificada com a moradora. “O papel de parede foi comprado na Leroy Merlin, é de uma marca nacional que tem ótima variedade e preço mais acessível, além de pronta entrega. Fica entre R$ 80 e R$ 90 o rolo. Quando você opta por uma marca importada, geralmente tem que esperar 30 dias para chegar, tempo que não há em uma mudança rápida”, compara a arquiteta.

A iluminação desse ambiente se distribui basicamente em um trilho eletrificado central, da Loja Elétrica, paralelo aos quadros da artista Geo Victor. Os pendentes laterais sobre a mesa de jantar continuam a cena luminotécnica. Todas as luminárias podem ser facilmente levadas para outro imóvel e, onde ainda estão, esbanjam estilo.

Design vintage na sala de jantar

No canto do jantar, a estrela é a mesa circular com tampo de vidro e base em palhinha, de Isabela Vecci para a Lider Interiores. Cadeiras Wishbone de Hans J. Wegner se sintonizam às banquetas e ao banco utilizado na cabeceira, todos com o assento em palha. A iluminação ganha personalidade com três cúpulas de plafon escadinha em pegada vintage, com canoplas para pendentes. “Esses lustres são bem baratos e foram encontrados na Loja Elétrica. Você compra separados a cúpula escadinha, modelo antigo, e a base do pendente à sua preferência”, explica Marina.
No espaço do jantar, as estrelas são a mesa circular e as luminárias retrô - Henrique Queiroga/Divulgação No espaço do jantar, as estrelas são a mesa circular e as luminárias retrô
Papel de parede, adesivos, quadros, peças herdadas, objetos com apelo de design, móveis e almofadas bonitos, além da simples pintura, são detalhes que dão um charme, uma cor no imóvel, exalta a arquiteta. “São pormenores que quebram aquele clima de alugado, em que não se pode fazer uma coisa definitiva. Os próprios objetos de decoração podem conferir a personalidade do morador”, diz Marina. Ela enfatiza que, ainda que seja um lugar temporário, onde não se vai investir muito, um projeto adequado, mesmo simplificado, não terá custo alto e trará importantes diferenciais para saber aproveitar melhor o espaço e criar um lar aconchegante.

Tags: imóvel

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Fabio - 26 de Agosto às 09:50
Muito legal, excelente matéria!

Últimas Notícias

ver todas
21 de abril de 2019
10 de abril de 2019