Luxo cabe no bolso: Morar Mais por Menos aporta em BH cheia de criatividade para decorar a casa

11ª edição da mostra na capital é realizada no Mangabeiras, com 54 ambientes e mais de 100 profissionais, que apresentam propostas elegantes e acessíveis. Afinal, a decoração é um sonho possível

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 22/08/2017 14:31 / atualizado em 23/08/2017 17:07 Joana Gontijo /Lugar Certo
Leveza, de Willi de Carvalho - Gustavo Xavier/Divulgação Leveza, de Willi de Carvalho

Com foco no luxo acessível, na criatividade e na beleza sem ostentação, levando a decoração para a realidade de cada um, a mostra Morar Mais por Menos dá o pontapé inicial para a realização deste ano em Belo Horizonte. A partir desta quarta-feira até 1º de outubro, o chique que cabe no bolso é apresentado por mais de 100 arquitetos, decoradores, paisagistas e designers, em 54 ambientes sofisticados que valorizam os conceitos da sustentabilidade. O imóvel selecionado para abrigar a 11ª edição do evento na capital é o antigo prédio da escola Barão Vermelho, na Avenida Bandeirantes, no Mangabeiras.

Nos 40 dias de realização, os ambientes priorizam soluções que aliam o conforto ao bom preço, destacando o reaproveitamento, materiais alternativos, a produção nacional, e grandes ideias de design. A Morar Mais por Menos foge do convencional, do tom de showroom de loja, com espaço aberto para a imaginação. O visitante enxerga a possibilidade de, com o auxílio de um profissional, ter uma casa bonita, a preço baixo. Além disso, a mostra estimula parcerias e alimenta uma rede de negócios, fomentando o setor.

Jardim da Vila Urbana, de Jordana Cotta e Bárbara Chaves - Gustavo Xavier/Divulgação Jardim da Vila Urbana, de Jordana Cotta e Bárbara Chaves

Sustentabilidade, inclusão social, brasilidade, tecnologia, inovação, customização e estratégias de venda, buscando no mercado alternativas que apresentem melhor custo-benefício em relação a produtos e serviços. Os conceitos da Morar Mais, seu principal diferencial, são cada vez mais interiorizados pelos profissionais e pelos visitantes, sempre contemplados nos espaços.

Dentro da ideia mais por menos, vem à tona a preocupação em misturar peças de design e caras, com outras mais acessíveis, dosadas na composição, chegando a um bom resultado estético - é o belo de mãos dadas com o econômico. Os expositores são estimulados a perceber um cliente bem sucedido, exigente e poupador no momento de montar o projeto. Com inventividade, planejamento e pesquisa, a Morar Mais reafirma que viver bem é um sonho possível. A percepção do que é barato muitas vezes é deturpada. A mostra é voltada para a classe AB, que valoriza o elegante sem exibicionismo. Só para efeito de comparação, um ambiente criado por R$ 40 mil pode ter, em alguns casos, o mesmo valor que um sofá.


Em 2007, o evento se lançou como o primeiro do tipo a beneficiar o movimento Carbono Zero, com soluções ecológicas, racionalizando água e energia, em busca de materiais certificados, reciclados e alternativos. No que se refere a tecnologia e inovação, os ambientes mostram tudo o que tem de novo no mercado, o que é tecnológico, com lançamentos e produtos inovadores. Encarando a preservação ambiental como um objetivo global, a procura é por técnicas que sirvam à racionalidade na aplicação de recursos naturais, concepção cada vez mais arraigada nas empresas e corporações do setor.

Loja Criar Molduras e Mangini Adornos, de Jessica Fantini, Simone Fantini e Fernanda Lourenço - Gustavo Xavier/Divulgação Loja Criar Molduras e Mangini Adornos, de Jessica Fantini, Simone Fantini e Fernanda Lourenço

A brasilidade inclui valorizar o que é nosso, esquecendo um pouco o que vem de fora, exaltando os produtos regionais em cada estado onde o evento acontece - por aqui, as coisas mineiras. A atenção fica no que é genuíno e deixa os estrangeirismos de fora. A inclusão social significa buscar ONGs, cooperativas e comunidades que façam algum tipo de atividade interessante, e expor as peças na mostra, inserindo os trabalhadores informais no mercado convencional.

Loja Cabaças Imaginárias - Bambu by Regina - Gustavo Xavier/Divulgação Loja Cabaças Imaginárias - Bambu by Regina

O evento também aposta no lado artístico dos participantes, uma maneira de expressar a criatividade dos profissionais para conferir personalidade aos projetos, fazendo deles únicos e autorais. A customização é ainda uma saída da mesmice, da padronização e das tendências engessadas.

Atelier do Artista, de Alessandra Alonso Resende, Roger Resende, Felix Silva, Ana Luisa Castro e Uly Chaves - Gustavo Xavier/Divulgação Atelier do Artista, de Alessandra Alonso Resende, Roger Resende, Felix Silva, Ana Luisa Castro e Uly Chaves

Desde a origem, em 2004, a Morar Mais percebeu, pelo olhar comercial, a possibilidade de gerar efeitos tangíveis para arquitetos e fornecedores. O desafio é ultrapassar o perfil estético e arquitetônico, para atrair o público pelo viés do consumo, com ações direcionadas. Para quem quer saber o custo dos itens que integram os espaços, por exemplo, informações com o preço, nome da empresa fornecedora e a referência do produto são disponibilizadas em todos os ambientes, e o cliente pode preencher uma ficha para reservar o que mais o encantou. Além disso, ao final do evento ocorre uma super promoção, quando os artigos são ofertados com ótimos descontos.

Ideias para todos os gostos

Atelier do designer de joias, de Roseli Tupinambá e Paulo Armando - Gustavo Xavier/Divulgação Atelier do designer de joias, de Roseli Tupinambá e Paulo Armando

Com uma grande vitrine do segmento e inspiração para os visitantes levarem algo de que gostem para dentro do próprio lar, atualmente o evento é realizado em oito capitais brasileiras: Belo Horizonte, Campo Grande, Cuiabá, Goiânia, Rio de Janeiro, Rondônia, Vitória e Salvador. Neste ano, na capital mineira, os projetos estão recheados de ideias geniais e que respeitam o meio ambiente. O público poderá conhecer: deck feito em pallet, estante em vergalhão, tapete com sobra de tecidos, com retalho de carpete e couro, pneus e botas para suportes de plantas e cadeira de pneu, móveis de papelão, pendentes de vinil, fechamentos em telhas de zinco, luminárias produzidas com mangueiras industriais recicladas, arandela de pallet e vergalhão, luminária e porta utensílios com copo de vidro reaproveitado, jardim vertical com pote de vidro reciclado, iluminação e cadeira com material de ferro velho, bancos feitos com lata de tintas, telhado de casinha em cortiça, pufe customizado com latão de silicone, painel com resina pet, arara com canos de cobre, divisória com corda náutica, painel com resto de couro, luminária com dormentes, estante com caixa de bacalhau, painel e pergolado em pallet, sofá de pallet, cuba de tacho, arandela de garrafa de cerveja, pendente de vinil e mesas em tambores de carretel, cuba de tambor, espelhos reaproveitáveis, tapetes de suplá, painel de sisal, luminárias de origami com papel calandrado e revestido de jornal, gangorras com encosto de cadeira, espelhos com tachos de cobre, peças de artesanato com jornal e papel, tambor de água customizado, painel de fotos de varal e pregadores, tampo de mesa com porta usada, lixeira de lata de tinta, porta lápis com lata de milho e massa de tomate, teto com sacos de café, parede coberta com cortiça, móveis contêiner, spots de caixas de uva, árvores com sobras de metalon, bancada de madeira de demolição e casca de árvore, divisória e cabeceira da cama com grades de portões antigos, escultura com cápsulas de café na parede, caixas de leite como vaso de planta, escultura e lustre com vergalhão; entre outros.

Inclusão na cozinha

Brinquedoteca, de Eduarda Coelho - Gustavo Xavier/Divulgação Brinquedoteca, de Eduarda Coelho

Nesta edição, além da comida deliciosa, a Made by Debbi, marca renomada no ramo da gastronomia sustetável e responsável pela culinária na mostra, surge com uma proposta inovadora: a gastronomia inclusiva - os garçons na parte do buffet têm síndrome de Down. Eles participaram de curso de capacitação e treinamento intensivos para se tornarem aptos. O treinamento aborda as potencialidades de cada um e trabalha as dificuldades comuns à síndrome, como a hipotonia e deficiência intelectual. Entre as aulas, estão as de força, equilíbrio e resistência, de fonoaudiologia para melhorar a fala, fisioterapia e terapia ocupacional, musicoterapia, além das oficinas que contemplam as habilidades da profissão e sobre vinhos e cerimonial. Tudo com apoio de profissionais das respectivas áreas e, ainda, com apoio psicológico.

Morar Mais por Menos BH 2017
De 23 de agosto a 1º de outubro
Quarta a sexta, das 16h às 22h
Sábado, das 13h às 22h
Domingo e feriado, das 13h às 19h
Na Avenida Bandeirantes, 800 - Mangabeiras
Informações pelo telefone (31) 3261-6584 ou pelo e-mail bhapoio@morarmais.com.br

www.morarmais.com.br
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
20 de novembro de 2017
14 de novembro de 2017

No Lugar Certo você encontra o que procura