Novos talentos

Arquitetura e decoração são áreas de destaque em Belo Horizonte

Jovens que surgem no mercado se sobressaem pela qualidade que sempre foi referência

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 30/01/2018 14:37 / atualizado em 05/02/2018 15:15 Isabela Teixeira da Costa /Estado de Minas
Minas sempre se destacou pela qualidade de seus arquitetos e decoradores e tem uma nova safra que faz bonito, conquistou seu espaço e tem alcançado um número representativo de clientes, o que comprova sua qualidade profissional.

Flávia Freitas

Escritório Flávia Freitas/Divulgação

É engenheira e decoradora de interiores com pós-graduação no IED de Barcelona em light design. Atua no mercado desde
2003 como decoradora, quando decidiu sair do antigo emprego – era engenheira do banco BMG. Na metade do curso de engenharia já pensava em decoração ou arquitetura. No ano seguinte que se formou entrou para decoração. Depois, fez algumas disciplinas de arquitetura, mas se mudou para Barcelona. Ousada, tem que atender a necessidade do cliente, e faz questão de aproveitar o que ele já tem.

“Os objetos que o cliente possui em sua casa são história de família, não podemos ignorar isso”, diz Flávia. Mas mesmo assim, gosta de ousar, desenhar o móvel em vez de comprar em lojas. Gosta de fazer coisas diferentes para que a casa tenha personalidade e peças exclusivas e únicas. A profissional se define como seguidora do estilo contemporâneo, porém atende o cliente de acordo com a demanda. “A maioria das pessoas que me procura vêm por indicação de outros clientes, então já conhece meu estilo. Ano passado, dez de meus novos clientes foram indicações de outros trabalhos que fiz”, conta.“Alguns clientes chegam com um briefing bem definido do que querem, outros são mais inseguros e dependentes. Depende de cada cliente. Ano passado um cliente do Rio de Janeiro que adquiriu uma cobertura aqui me deu carta branca para todo o acabamento da obra. Ele trouxe o mobiliário, mas todo o acabamento foi escolha minha”, explica

Fernando César

Escritório Fernando César/Divulgação

Tem 27 anos, se formou há cinco anos em arquitetura na Fumec e desde que entrou na faculdade iniciou estágio em design de interiores com Nádia Resende. Depois de formado passou a pegar projetos individuais e outros, fazia em parceria com a antiga chefe, que a esta altura já havia se tornado colega. Um dos projetos que marcou seu início foi uma casa de 702 metros quadrados, na Pampulha, que fez do zero, em parceria com Nádia. “Como ainda não tinha meu CAU, chamei o arquiteto Gustavo Batista, um grande amigo, para colaborar conosco e assinar o projeto”, conta Fernando que nunca teve medo de ousar, arriscar e se aventurar na profissão. O arquiteto tem, há dois anos, seu escritório individual, faz desde projeto de construção do imóvel a partir do lote vazio à reformas e decoração. “Em 2016 montei um site mostrando meus trabalhos. Nesta época já estava com 115 projetos executados. No ano passado fechei o ano com 160 projetos. Fiquei muito feliz, principalmente por se tratar de um ano difícil, economicamente falando”, diz César.

O jovem profissional não herdou o talento de nenhum familiar. “Não tem nenhum arquiteto ou decorador na família, mas sempre quis seguir este caminho, desde criança. Minha mãe nunca soube de onde surgiu essa vocação”, lembra. A escolha não foi novidade para Fernando, que desde os seis anos já havia definido seu futuro. Ama criar, fazer obra e reforma. “Lembro que tinha 12 anos quando meus pais construíram nossa casa e eu fazia questão de participar das reuniões com a arquiteta que fez o projeto, e prestava a maior atenção em tudo. Sempre que minha mãe ia visitar a obra eu ia junto. Já estava no meu sangue”.

O profissional, que tem Santiago Calacrava como inspiração, se define como tendo um estilo moderno- contemporâneo, porém mantendo uma linha atemporal. “Tenho minhas características e o cliente procura o profissional dentro da linha que ele gosta, portanto quem me procura é porque se identifica com meu estilo. Na reunião, tento captar o que o cliente quer. Todos os meus projetos - publico todos os projetos executados - são exclusivos dentro do desejo do cliente. Dentro da minha linha, mas com sua própria identidade. Nenhum é igual ao outro porque cada cliente é único. Faço uma leitura captando este gosto único”.

Estela Netto

Daniel Mansur/Divulgação

É arquiteta e decoradora há 12 anos. Gaúcha nascida em Porto Alegre, mudou-se para Belo Horizonte há 16 anos, quando já fazia faculdade de arquitetura. Transferiu seu curso para a PUC e desde que formou trabalha na área. Tem pós-graduação em história da cultura e da arte pela UFMG. Sempre se interessou por arte, herança da família que sempre esteve envolvida na área da cultura. “O gosto pela arte vem desde pequena. Foi passado para mim pelos meus pais, é impossível dizer quando, cresci aprendendo a admirar o belo, o artístico. Sempre foi uma coisa muito natural para mim. Sempre gostei muito de viajar e em todos os lugares que vou estão incluídos em meus roteiros visitas aos museus, igrejas e é claro, passeios pelas cidades para ver a arquitetura local, a cultura, os usos e costumes. A arquitetura foi um caminho natural por influencia familiar e pelo meu estilo de vida”, conta Estela.

Aos16 anos a jovem estudante se mudou para Havana para cursar filosofia da arte e estética. Quando retornou ao Brasil, entrou para faculdade de arquitetura. Sobre influências, diz que foram os modernistas como Paulo Mendes da Rocha e Lina Bo Bardi. “O movimento modernista brasileiro foi muito forte”, diz Netto, que ressalta que na área de mobiliário sua referência é Jorge Zupim. A arquiteta se define como clássica com um viés atemporal e elegante. Faz uma arquitetura que tem a ver com a realidade do cliente e não com modismo. “Gosto do clássico como sendo aquela arquitetura sem data”, explica a arquiteta que faz a construção do projeto em conjunto com o cliente. “O cliente não vem com ideia pronta, mas com algum repertório estético e desejos, necessidades específicas. Com meu repertório estético transformamos todo esse desejo e necessidade em projeto, com uma construção em conjunto que é sempre mais enriquecedora”, conta.

O escritório de Estela desenvolve projetos em várias áreas: residenciais, comerciais e corporativas. Está projetando um andar de luxo para o Hospital Life Center, atendendo a uma demanda por apartamentos com mais conforto e estética que se próximam de uma residência. Os clientes querem se sentir mais acolhidos, para que o período de permanência seja mais humanizado. Serão 13 apartamentos e todo o restante do andar dentro deste conceito. “Ficarão internados ali pacientes de cirurgias eletivas como cirurgias plásticas, por exemplo, e terão mais conforto e luxo. O andar vai agregar serviço especial e arquitetura especial. A previsão é que fique pronto em abril. Tem um conceito contemporâneo de experiência, hospital “sem” sofrimento. Receberá cores diferentes e equipamentos especiais para conforto, como frigobar, cafeteiras, etc.”, explica a profissional.

Tags: Belo Horizonte design de interiores arquitetura decoração destaque mercado

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
18 de abril de 2018
17 de abril de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura