Espaço para dois

Decoração para o lar de recém-casados precisa ter equilíbrio para que ambos fiquem confortáveis

Arquitetas dão dicas de como deixar a casa aconchegante e com personalidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 20/01/2019 13:19 / atualizado em 20/01/2019 13:23 José Alberto Rodrigues* /Estado de Minas
O vermelho aquece os ambientes e tem a ver com amor e energia, sendo uma cor muito utilizada em casas para casais - Paula Brant/Divulgação O vermelho aquece os ambientes e tem a ver com amor e energia, sendo uma cor muito utilizada em casas para casais

Planejar o lar doce lar de um casal pode ser uma tarefa complicada, já que cada pessoa pode ter gosto e personalidade diferentes, mas os dois precisam se sentir confortáveis com a nova casa. Antes de começar a decorar o imóvel é necessário planejamento para não ter divergências na identidade do local. De comum acordo, a chance de criar um ambiente harmônico, que agrade aos dois, é bem maior. Laura Lopes, arquiteta da Arqsol, diz que o planejamento e a conversa são importantes para que o casal defina o estilo e o perfil da casa. “É um casal que recebe muitas visitas? Que gosta mais de ver filme? Cozinhar, ler? Esse perfil é importante para alinhar a funcionalidade e as necessidades da residência do casal”, explica a arquiteta. A partir da conversa é possível chegar a um acordo de como serão as adaptações para que a casa tenha a cara do casal.

A arquiteta pondera que na vida a dois é preciso ceder e que neste momento não há espaço para o egoísmo. “O importante é que ambos se identifiquem com os cômodos da casa. É necessário esse balanceamento”, diz. Os moradores precisam entrar em casa e ter a sensação de que o espaço lhes pertence. “Uma sugestão prática que costumo dar é deixar uma pessoa montar o quarto do jeito que ela quer e aí a outra personaliza a sala. Ou a sala de jantar com o gosto de um e o bar mais vintage ao gosto do outro, por exemplo. Pode ser uma brincadeira até legal”, afirma.

Segundo Monike Lafuente, arquiteta do Studio Tan-Gram, uma dica para manter um ar romântico e uma cumplicidade na decoração é a escolha de itens que simbolizem a união ou que contem um pouco da história do casal, como fotos, lembrancinhas de viagem etc. “O mais importante é que os dois consigam criar essa decoração juntos, sempre buscando um meio-termo e unindo o gosto de cada um, em que ambos conseguem encontrar sua identidade e seu conforto nele.” Outra dica importante é respeitar as medidas e circulações mínimas, evitando conflitos. E, principalmente, tentar entender a melhor forma de chegar numa mesma linguagem para o apartamento todo, que agrade a ambos.

Além disso, é muito importante entender como cada um usa cada ambiente, quais são as principais atividades de lazer, trabalho e organização, e materializar essas principais funções em cada espaço. “Por exemplo, se um gosta de trabalhar isolado e concentrado enquanto o outro gosta de trabalhar vendo o movimento da casa e interagindo, vale criar soluções que tornem o espaço flexível de forma a atender às necessidades dos dois”, comentou Monike. Umas das possibilidades é o uso de painéis de correr ou de outras formas de fechamento versáteis.

COR E LUZ

“Devemos pensar nas soluções de iluminação de uma casa de casal prevendo cenários diversos; não podendo faltar entre eles os efeitos de luz e sombra, com luzes difusas que proporcionam aconchego”, explica Lafuente sobre a disposição da iluminação dentro de um lar pensado para um casal.

Antes de começar a decorar o imóvel, é necessário planejamento para que o casal não tenha divergências na identidade do local - Paula Brant/Divulgação Antes de começar a decorar o imóvel, é necessário planejamento para que o casal não tenha divergências na identidade do local

Em relação à tonalidade do imóvel, as cores influenciam não só na vida do casal, mas nas sensações do lar. “Sempre aconselho que as pessoas usem no quarto do casal uma cor ou um acessório de uma cor mais quente para aquecer o ambiente. Pode até fazer um quarto clean, mas vale colocar uma almofada com um tom quente, ou uma cabeceira, uma pintura na parede, um quadro ou uma escultura. Sempre tem que ter um tom quente no quarto. Mas sem excesso”, destaca Laura Lopes.

A arquiteta da Arqsol salienta que o cinza está na moda para a cor de quartos; porém, um quarto todo cinza acaba trazendo uma sensação fria e triste para o cômodo. “Às vezes, acaba distanciando o casal e os dois nem entendem o motivo. É preciso jogar, nesse caso, objetos que possam dar cor e vida ao espaço”, explica. No escritório, é preciso colocar cores que incentivem a criatividade e a leitura, como amarelo e azul. É preciso evitar tons muito fortes, que levem ao agito.

MÓVEIS

A cama é um dos lugares mais importantes para a vida a dois, por isso precisa ser confortável. “O que recomendo é ir em uma loja, deitar, sentar, testar a altura... Só assim ambos poderão decidir qual é a melhor para a casa. Afinal, hoje é possível encontrar camas de diferentes alturas, dimensões, espuma, com pillow em cima ou sem”, aconselha Laura Lopes.

Um outro ponto para a arquiteta muito importante é que cada um tenha o seu cantinho, organizando os pertences em armários planejados na altura certa das coisas. “Na parte da sapateira, por exemplo, onde se guardam tênis e chinelos, a altura pode ser menor do que onde ficam sandálias e botas. Bijuteria também é importante pendurar para não embolar ou colocar em gavetas com divisórias. São detalhes que ajudam a manter o espaço organizado”, recomenda.

Na lavanderia o casal pode colocar prateleiras e acomodar os materiais em cestos identificados. Na entrada, a dica é ter um móvel ou um gancho na parede em que a pessoa possa colocar a bolsa para depois guardar. Idem com um lugar para deixar a correspondência, a chave do carro.

ESPAÇO

No início da vida de casal, a discussão para definir onde morar pode ser uma questão pertinente. “Casa costuma ter mais espaço. Em compensação, gera mais manutenção. Se o casal for mais prático, do tipo que não gosta de ter trabalho, aconselho apartamento, que é mais funcional. Se for um casal que viaja muito, pode ser mais interessante pensar em apartamento também por questão principalmente de segurança”, aconselha Laura Lopes.

Para a arquiteta, é preciso avaliar as desvantagens do apartamento, por exemplo: “Geralmente, as estruturas são mais frágeis em relação a ruído e conforto térmico, tem a questão de ter que lidar com vizinhos muito próximos, tem a proximidade com outros carros na garagem. A casa, se benfeita, costuma ter um conforto térmico maior, não tem um vizinho tão próximo - o que dá mais privacidade -, tem estacionamento próprio... Mas, em compensação, tem o problema da segurança e da manutenção”.

Outro detalhe importante na hora de tomar a decisão: pensar se o casal deseja ter filhos. Criança precisa de espaço.

CRIANÇAS

Com a chegada de filhos, a casa deve passar por várias adaptações tanto funcionalmente quanto estéticas. “Uma das coisas importantes é que o casal mantenha um espaço que seja só dele e delimite os espaços de brincadeiras”, salienta Monike Lafuente. A utilização de formas divertidas e esteticamente interessantes de organizar e armazenar brinquedos e outros objetos das crianças pode contribuir para uma arrumação mais objetiva.

Quando o casal tem filho é importante fazer um cômodo que ele se identifique com o espaço. Para a arquiteta, é providencial que o arquiteto pense em móveis, itens de decoração e soluções técnicas que proporcionem mais segurança à criança, como, por exemplo, o balizador noturno que orienta o casal e o filho durante a noite, e não incomoda a visão.

* Estagiário sob a supervisão da editora Teresa Caram
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
21 de julho de 2019
08 de julho de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura