VITRINE DE IDEIAS

Modernos Eternos abraça o coração de BH com projetos cheios de estilo

Conhecida por enaltecer a união entre peças antigas e contemporâneas, a edição mineira da mostra de arquitetura e decoração ocupa prédio na Praça Sete

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 22/06/2022 09:50 / atualizado em 22/06/2022 10:01 Joana Gontijo /Lugar Certo
Carolina Davis/Divulgação

Conhecida por enaltecer a união entre peças antigas e contemporâneas, a edição mineira da Modernos Eternos 2022 começou nesta terça-feira (21/6) e vai até 7 de julho no coração de Belo Horizonte. Em nove andares do emblemático edifício P7, na Praça Sete, o evento, em sua sétima edição, abriga 39 ambientes assinados por 44 profissionais consagrados e jovens talentos, e conta com mais de 70 parceiros, entre fornecedores e apoiadores.

Alicerçada no conceito mix&match, a mostra anual de de arquitetura, design e décor também abre as portas para a arte e a cultura. Um dos principais objetivos da Modernos Eternos é dar visibilidade para profissionais e fornecedores, ampliando a noção da simples exposição de seus trabalhos, para uma realidade mais palpável sobre as oportunidades de comercialização, fomentando o mercado de arte, design, decoração, arquitetura, e toda a cadeia produtiva do setor, incluindo os lançamentos anuais.

A personalidade da Modernos Eternos está em promover estímulos e experiências sob um ponto de vista cultural e de lifestyle diferente, aliando o design consagrado a objetos com significado atemporal. Para os profissionais participantes, liberdade para a criação.

Em propostas para quartos, ambientes de convivência e bem estar, espaços corporativos, redutos gourmet, recintos dedicados à arte, e muito mais, arquitetos e designers ficaram à vontade para escolher o motivo de cada projeto, e o resultado são propostas belas, refinadas e arrojadas. Nas composições, a visão descortinada para o horizonte da cidade que aparece pelas superfícies envidraçadas, do alto, é um espetáculo em particular.

A Modernos Eternos apoia e quer fazer parte da requalificação econômica do Centro da cidade, conhecida pela cultura efervescente representada por criadores de diversas áreas. O hipercentro da capital reúne parte do patrimônio histórico, arquitetônico e cultural que identifica a cidade. Escolhido para abraçar a mostra, o prédio do P7 Criativo, um dos marcos da arquitetura moderna, é ponto de convergência das principais avenidas de BH. Um local cheio de história.

Carolina Davis/Divulgação - Gustavo Xavier/Divulgação

O P7 Criativo é a primeira agência de desenvolvimento criativo do Brasil, gerida pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), com a missão de conectar empresas e talentos para fomentar negócios inovadores e sustentáveis, que sejam significativos para a economia do estado.

MARCO DA ARQUITETURA

A Praça Sete é endereço de edifícios importantes para a história da capital mineira. Entre eles, o Cine Theatro Brasil, que foi inaugurado em 1932, como o primeiro prédio da cidade projetado sob a influência do estilo art déco. O estilo arquitetônico abriu caminho para várias outras edificações nas décadas seguintes, o que fez de BH uma das cidades brasileiras referência nesse tipo de arquitetura.

Outro importante movimento estético-cultural pelo qual BH é conhecida, o modernismo também é presente na Praça Sete, com o prédio do antigo Banco Mineiro de Produção, que depois ficou conhecido como o prédio do Bemge e, em breve, será polo da economia criativa de Minas Gerais, com a inauguração da sede do P7 Criativo.

Gustavo Xavier/Divulgação

O P7 Criativo foi projetado em 1953 por Oscar Niemeyer e marca o início da arquitetura moderna em arranha-céus na capital mineira. Com 25 andares e mais de 14 mil metros quadrados de área construída, o prédio representou uma revolução quando foi construído, pelo contraste com a arquitetura muito tradicional dos seus vizinhos na Praça Sete, e também o grande porte e desenho inovador. Em 2016, o edifício foi tombado como patrimônio arquitetônico pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA/MG).

Desde que foi inaugurado, a primeira grande reforma só ocorreu em 1998, quando o estado de conservação da edificação foi considerado crítico, com o revestimento original deteriorado, esquadrias em situação precária e a necessidade de uma limpeza geral. Recentemente, a construção passou por uma nova restauração para abrigar o P7 Criativo.

Quem passa por ali percebe a mudança. Brisesoleils estão novamente pintados de branco, assim como estão renovados as vidraças e os painéis de tijolos de vidro. Por dentro, foi feita a recuperação do revestimento em pedra lioz nas paredes da recepção e no hall dos elevadores, e os tacos de madeira peroba originais foram cuidadosamente removidos e restaurados, um a um, para serem reinstalados no terceiro andar.

O cuidado com a renovação foi tão grande que, para os banheiros, foi necessário encomendar a uma fábrica de azulejos a produção do revestimento branco no tamanho 15 x 15 centímetros, como usado na construção original, que não é mais encontrado à venda no mercado.

MUITO MAIS CULTURA

Uma série de eventos paralelos se somam à programação da Modernos Eternos, com atividades especiais e ações de cultura, moda, preservação histórica, incentivo à arte popular e contemporânea, lançamentos tecnológicos e entretenimento. Tudo em consonância com as características especiais da mostra, que todos os anos agrega diferentes iniciativas, incluindo intervenções artísticas e instalações urbanas.

A Modernos Eternos recebe a exposição "... na Cidade!", que se debruça sobre as histórias e lembranças de belo-horizontinos e evoca a memória afetiva em quem visita o evento.

Gustavo Xavier/Divulgação

A Ação Street desta vez homenageia o famoso copo lagoinha e a gastronomia é comandada pelo chef Leonardo Paixão pelo quinto ano consecutivo, que coordena o restaurante no rooftop. Destaque também para o Mina Jazz Bar e a presença da tradicional confeitaria Mole Antonelliana.

A Modernos Eternos 2022 tem o patrocínio da Gerdau, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e conta também com o Patrocínio da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Belotur.

Olavo Machado Neto, Sandra Penna e Flávia D'Urso - Gustavo Xavier/Divulgação Olavo Machado Neto, Sandra Penna e Flávia D'Urso

Juliana Vasconcellos - Gustavo Xavier/Divulgação Juliana Vasconcellos

Laura Costa - Gustavo Xavier/Divulgação Laura Costa

Diretoria Colaborativa - Luiz Henrique Ribeiro - Gustavo Xavier/Divulgação Diretoria Colaborativa - Luiz Henrique Ribeiro

Carol Horta - Gustavo Xavier/Divulgação Carol Horta

Sala da Espiritualidade - Dekko Arquitetura e Design - Cláudio Arroyo e Fernanda Ghirotto - Gustavo Xavier/Divulgação Sala da Espiritualidade - Dekko Arquitetura e Design - Cláudio Arroyo e Fernanda Ghirotto

Gislene Lopes - Gustavo Xavier/Divulgação Gislene Lopes

Galeria da Perfumista - Patrícia Bigonha - Gustavo Xavier/Divulgação Galeria da Perfumista - Patrícia Bigonha

Leonardo Rotsen - Gustavo Xavier/Divulgação Leonardo Rotsen

Escritório de Arte - Letícia Moretzsohn - Gustavo Xavier/Divulgação Escritório de Arte - Letícia Moretzsohn

Prosa - Janaína Pacheco - Gustavo Xavier/Divulgação Prosa - Janaína Pacheco

Quarto Origem - Marina Diniz - Gustavo Xavier/Divulgação Quarto Origem - Marina Diniz

Estúdio Sala - Carla Cruz e Philipe Pinheiro - Gustavo Xavier/Divulgação Estúdio Sala - Carla Cruz e Philipe Pinheiro

Coworking Memórias - Isabela Neves - Gustavo Xavier/Divulgação Coworking Memórias - Isabela Neves

Sala das Flores - Zilda Santiago e Anamaria Diniz - Gustavo Xavier/Divulgação Sala das Flores - Zilda Santiago e Anamaria Diniz

Ana Lúcia Rodarte - Gustavo Xavier/Divulgação Ana Lúcia Rodarte

João Uchoa - Gustavo Xavier/Divulgação João Uchoa

Confeitaria Mole Antonelliana - Marcela Machado - Gustavo Xavier/Divulgação Confeitaria Mole Antonelliana - Marcela Machado

Alexandre Bianco - Gustavo Xavier/Divulgação Alexandre Bianco

Sala do Jardim - Anna Henkelmann e Camila Belisário - Gustavo Xavier/Divulgação Sala do Jardim - Anna Henkelmann e Camila Belisário

Maximiliano Crovato - Gustavo Xavier/Divulgação Maximiliano Crovato

Living Horizonte - Camila Medrado - Gustavo Xavier/Divulgação Living Horizonte - Camila Medrado

NB Projetos - Patrícia Nicácio e Juliana Boechat - Gustavo Xavier/Divulgação NB Projetos - Patrícia Nicácio e Juliana Boechat

Estúdio Estúdio "VIP(E)" - Visionera Arquitetura - Cristina Valle, Letícia Valle e Thaís Valle

Quarto da Solitude - Luciana Garcia - Gustavo Xavier/Divulgação Quarto da Solitude - Luciana Garcia

Minas à Mesa - José Lourenço - Gustavo Xavier/Divulgação Minas à Mesa - José Lourenço

Estela Netto - Gustavo Xavier/Divulgação Estela Netto

Castello Cambraia - Marcela Castelloes e Gabriela Cambraia - Gustavo Xavier/Divulgação Castello Cambraia - Marcela Castelloes e Gabriela Cambraia

Isabela Nogueira e Nara Freire - Gustavo Xavier/Divulgação Isabela Nogueira e Nara Freire

Fernando César do Rosário - Gustavo Xavier/Divulgação Fernando César do Rosário

Casa Câmara - Rodrigo Câmara - Gustavo Xavier/Divulgação Casa Câmara - Rodrigo Câmara

Galeria Pedro Mazzinghy  - Pedro Henrique Couto Mazzinghy - Gustavo Xavier/Divulgação Galeria Pedro Mazzinghy - Pedro Henrique Couto Mazzinghy


MODERNOS ETERNOS 2022
De 21 de junho a 7 de julho
Terça a sexta, 15h às 22h
Sábado, 13h às 22h
Domingo, 13h às 19h
No edifício P7 Criativo
Rua Rio de Janeiro, 471 - Centro (Praça Sete)
Ingressos:
modernoseternosbh.byinti.com/ 
Informações:
modernoseternosbh.com/edicao-2022/
(31) 97244-2727
Instagram: @modernoseternosbh

Tags: mostra arquitetura design decoração Belo Horizonte Praça Sete Modernos Eternos

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
30 de junho de 2022
22 de junho de 2022

No Lugar Certo você encontra o que procura