Prevenção contra incêndios

Falta de conhecimento pode provocar acidentes em casa. Para prevenir, alguns cuidados são fundamentais na construção, como evitar gambiarras na instalação elétrica

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 18/03/2007 16:55
Coronel Cláudio Teixeira - Gladyston Rodrigues/Especial para o EM Coronel Cláudio Teixeira
Todo cuidado é pouco, na hora de proteger sua casa. Gambiarras na rede elétrica,
gás de cozinha mal instalado, produtos inflamáveis em locais impróprios são
apenas alguns dos principais causadores de incêndios residenciais. Por isso,
devem ser cuidadosamente evitados, para que o imóvel não seja destruído pelo
fogo.

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, a maioria
dos incêndios em residências ocorre por falta de conhecimento e cultura de
prevenção dos próprios moradores. No entanto, a prevenção não é a única coisa a
ser feita. Mesmo depois de comprovada a existência dos riscos, alguns cuidados
precisam ser tomados pelos moradores.

O extintor de incêndio, de acordo
com Lei estadual 14.130, é um equipamento obrigatório em edifícios e espaços
comerciais, industriais ou de prestação de serviços, além de prédios de
apartamentos residenciais. Mesmo assim, muitas vezes é pouco útil para a maioria
das pessoas. Muitos moradores não sabem e nunca se interessam em aprender como
usar um extintor. Assim, o ideal é aprender a forma correta de uso do
equipamento em qualquer eventualidade, afirma o coronel Cláudio Teixeira,
comandante operacional do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais.


Além do extintor de incêndio, outros equipamentos preventivos são
obrigatórios em edificações e espaços de uso coletivo, e devem ter manutenção
adequada. Como explica o coronel Teixeira, em edifícios maiores, que têm maior
fluxo diário de pessoas, é obrigatória a existência de saídas de emergência e
escadas com portas corta-fogo, além de sensores automáticos que acionam no caso
de existência de fogo no ambiente. Além disso, na rota de fuga, em caso de
incêndio, não pode haver materiais combustíveis aqueles que alimentam o fogo
, como madeira ou plástico, ressalta.

Para manutenção e melhoria dos
equipamentos do Corpo de Bombeiros, é cobrada a taxa de incêndio dos
estabelecimentos comerciais e industriais com mais de 12 metros quadrados de
área. A corporação informa que recebe toda a arrecadação. A taxa possibilita
modernização e compra de equipamentos, melhorando as condições de trabalho da
corporação. Com isso, podemos atender melhor os chamados, garante o coronel
Teixeira. Em 2006, tivemos a instalação de mais 10 unidades do Corpo de
Bombeiros em Minas Gerais, em cidades que não tinham nossa corporação. Em 2007,
a previsão é de mais 10.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
18 de dezembro de 2015
04 de setembro de 2015

No Lugar Certo você encontra o que procura