Uso do ambiente, localização e recursos disponíveis devem orientar a compra de portas e janelas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 02/03/2008 14:37
Marcos César, gerente da Madepal, afirma que o mercado oferece bons produtos fabricados a partir de madeiras como itaúba, sucupira e ipê. - Glaydston Rodrigues/Produtora SE7 Marcos César, gerente da Madepal, afirma que o mercado oferece bons produtos fabricados a partir de madeiras como itaúba, sucupira e ipê.
Diante da variedade de produtos, em medidas, modelos e materiais diferentes, o consumidor, às vezes, se confunde na hora de escolher portas e janelas para a sua casa ou imóvel comercial. Como definir o material mais adequado? É melhor optar por produtos feitos sob medida ou industrializados? Comprar os kits prontos é uma boa solução? Para a designer de interiores Valéria Alves, o uso do ambiente em que se deseja instalar as portas e janelas é o primeiro critério que deve orientar a compra.

“Se no imóvel funciona, por exemplo, um comércio de jóias, é preciso pensar na segurança. Então, as portas maciças, de madeira ou aço carbono, com fechaduras de cinco voltas são as mais indicadas”, raciocina. Já se o caso for de um escritório de advocacia, que requer espaços de maior privacidade, acrescenta a designer, as portas acústicas de madeira maciça, revestidas com lã de rocha, são recomendadas, já que permitem o isolamento do ambiente.

É preciso também pensar, antes de optar por um tipo de porta, na localização da parede em que ela será instalada. Portas externas e janelas devem ter resistência à ação do tempo, pois estão mais sujeitas aos efeitos dos raios solares e da chuva, além da contaminação por pragas como cupins, se o material escolhido for a madeira. Já as portas internas podem ser menos resistentes, mas devem sempre seguir o padrão especificado pelo projeto.

“Observar as características da região também é importante. Em cidades litorâneas, por exemplo, em função da maresia, os projetos arquitetônicos têm privilegiado o uso das esquadrias de PVC, que não são atingidas pela corrosão como as de aço”, lembra Valéria.

TENDÊNCIA

Já na região de Belo Horizonte, informa a designer, uma tendência tanto para os edifícios comerciais e industriais quanto para as casas é a instalação de portas e janelas de alumínio e vidro. “A vantagem está na gama de possibilidades oferecidas pelo material para o desenvolvimento de projetos. Pode-se optar pelo alumínio brilhante, fosco, anodizado ou colorido. Flexibilidade importante para quem quer um projeto diferenciado.”

Os produtos feitos sob encomenda, orienta Valéria, devem ser escolhidos para o imóvel cujos vãos em que serão instalados estão fora do padrão oferecido pelas linhas industrializadas ou quando o projeto requer a personalização do ambiente. “A situação é muito comum na reforma de imóveis antigos, principalmente de apartamentos que precisam seguir o padrão estabelecido pelo condomínio do edifício, em imóveis comerciais, nos quais o logo da empresa precisa ser estampado na porta, ou em ambientes sofisticados”, explica.

Segundo a designer, não há dificuldade para encontrar no mercado esses produtos especiais. “Existem empresas que aceitam encomendas especiais de portas e janelas de qualquer material – madeira, alumínio, aço carbono ou PVC – e ainda que mesclam dois ou mais materiais.”

Valéria alerta ainda que outro item importante é a disponibilidade de recursos para a aquisição das portas e janelas. “Não podemos nos esquecer do orçamento e buscar produtos com a maior eficiência possível a um preço acessível para o cliente”, afirma. (DM)
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
18 de dezembro de 2015
04 de setembro de 2015

No Lugar Certo você encontra o que procura