Especialistas ensinam como aproveitar móveis e eletrodomésticos do tempo da vovó

Deixando os projetos de decoração modernos e sem que a harmonia e o charme sejam deixados de lado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 27/07/2010 17:16 Júnia Leticia /Estado de Minas
 Para a arquiteta de interiores Ana Flávia Mendonça, o uso de peças antigas garante elegância e romantismo em vários cômodos - Fotos: Eduardo Almeida/RA Studio Para a arquiteta de interiores Ana Flávia Mendonça, o uso de peças antigas garante elegância e romantismo em vários cômodos

Com tantas opções disponíveis atualmente para decorar os ambientes, há pessoas que preferem preservar peças que resistiram ao tempo e fazem parte da história da família. Seja pelo valor sentimental ou mesmo por sua qualidade e durabilidade, o fato é que algumas pessoas se perdem na hora de conjugar o antigo com o novo. Para a arquiteta de interiores Ana Flávia Mendonça, não existem peças difíceis de conjugar, desde que se encaixem com harmonia e personalidade ao projeto. "A mistura de elementos dá uma nova cara, um conceito renomado e marcante. Cada elemento deve ser disposto conscientemente para valorizar o uso e a funcionalidade. A cristaleira pode ser transformada em bar; o banco, em mesinha lateral; o baú, em mesa de centro", exemplifica.

Entretanto, para acertar na composição, a designer de interiores Andreza de Lucca Ozores diz que é necessário prudência. "O antigo e o novo sempre convivem em harmonia quando há bom senso. Na hora de decorar, é preciso fazer uma seleção das peças, separando o que é velho do que é antiguidade".

Ao se fazer a escolha de usar peças antigas, a arquiteta Luciana Savassi ressalta que as estrelas da ambientação sempre devem ser esses móveis, eletrodomésticos ou objetos. "O restante deve ser neutro, sem muita mistura. O estilo atual de nossa decoração contemporânea, com linhas retas e discretas, é perfeito para valorizar esses itens de estilos mais marcantes e cheios de história."

De qualquer forma, a arquiteta de interiores Ana Flávia Mendonça diz que, como todo projeto, a harmonia entre todos os móveis e objetos deve ser estudada para evitar excesso de informações. "O uso de peças antigas com o moderno dá um ar nostálgico e nem mesmo o aspecto pesado tira o toque de elegância e romantismo que nos remetem às lembranças vividas na época", observa.

Mas para que isso ocorra de forma harmônica, a antiguidade deve ser restaurada, para não perder seu valor, e o velho deve ser reformado, para agregar valor, segundo Andreza Ozores. "Depois de selecionados e renovados, fica mais fácil inserir essas peças nos projetos. Algumas peças antigas já se tornaram clássicos, como o pinguim de geladeira, que fica bem em qualquer cozinha, desde a mais tradicional até a mais moderna", fala.

 A arquiteta Luciana Savassi explica que a mobília deve ser umas das estrelas da ambientação dentro de casa - A arquiteta Luciana Savassi explica que a mobília deve ser umas das estrelas da ambientação dentro de casa
Com relação aos móveis, ela explica que armários pequenos, cômodas e baús podem ser originais e repaginados. Outro recurso é mudá-los de ambiente e usá-los para guardar cada hora uma coisa. "Mas eles sempre encontram sua função. Portanto, se você tem algo parecido, comece a pensar em que ele pode ser-lhe útil", completa.

Andreza diz que outro item bastante comum nas cozinhas eram as antigas máquinas elétricas ou manuais de moer café. Mesmo que não estejam em funcionamento, esses artigos são bem convidativos. "Atualmente, além de adornos, elas são um motivo para reunir os amigos para tomar um bom café."

A arquiteta Luciana Savassi explica que a mobília deve ser umas das estrelas da ambientação dentro de casa.

Leia mais
Projetos precisam considerar o impacto dos objetos no ambiente


ATUAIS

Independentemente da peça, a arquiteta Luciana Savassi diz que todos os objetos de design ou que foram ícones de sua época sempre podem ser reutilizados em novos projetos. "Todos esses fatores podem ser incorporados em um projeto." Entretanto, ela chama a atenção para que sejam respeitadas as características marcantes dos objetos e sua função, sem misturas de estilos muito distintos. "A geladeira vermelha, por exemplo, nunca poderia ser misturada com uma decoração de estilo clássico", aponta a arquiteta.

Mas existem formas diferentes para releitura de móveis, eletrodomésticos e objetos antigos, conforme a arquiteta Ana Flávia Mendonça. "O primeiro é restaurar as peças sem tirar suas características. O outro é reciclar, transformando os objetos com pintura, adesivos, entre outros, personalizando-as", diz. Segundo ela, a ideia é fazer uma releitura das peças, que ganham um novo visual, e o resultado é surpreendente nos dois formatos, pois ambos dão um toque exclusivo à decoração.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
06 de outubro de 2021
05 de outubro de 2021

No Lugar Certo você encontra o que procura