Nada de barulho

Soluções de acústica ajudam a barrar os sons indesejados dentro de casa

Incômodo provocado por ruídos externos pode ser minimizado com um projeto de acústica ainda na etapa da construção ou com alternativas oferecidas pelo mercado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 14/02/2014 13:00 / atualizado em 14/02/2014 09:21 Celina Aquino /Estado de Minas
Eduardo Almeida/RA Studio
Não suporta mais ouvir tanto barulho dentro de casa? O mercado oferece variadas soluções para resolver o problema de acústica em residências, como janelas e portas que barram o ruído, mas especialistas alertam que as alternativas mais eficientes devem ser usadas na etapa da construção.

Para diminuir o incômodo com ruídos externos, o arquiteto Umberto Tavares Soares, sócio da empresa Métron Acústica, sugere a instalação de janelas acústicas, fabricadas com vidros mais espessos e sistema de vedação mais eficiente, evitando frestas por onde o som pode passar. Normalmente, elas são parafusadas por cima das já existentes para não descaracterizar a fachada nem demandar grande obra. Segundo Soares, as janelas não comprometem a ventilação nem a iluminação do ambiente. “Esse tipo de intervenção costuma ser feita nos dormitórios, pois a principal reclamação dos clientes é em relação ao ruído de trânsito, mais perceptível na madrugada ou no início da manhã”, conta o arquiteto.

Na empresa Solucionne, as janelas acústicas são fabricadas sob medida. “Há 10 anos, fabricávamos as janelas com vidro duplo. Hoje, o nível de ruído é tão alto que preferimos dar mais garantia ao cliente com vidro quádruplo”, informa o técnico em acústica Ronaldo Lúcio de Carvalho, diretor da empresa. As lâminas de vidro ficam separadas por uma câmara de vácuo e as esquadrias de alumínio são preenchidas para garantir a vedação, deixando a janela mais pesada, o que dificulta a passagem do som. Com isso, elas chegam a pesar 120 quilos. Carvalho garante que o material consegue barrar até 30 decibéis. É possível instalar o isolamento em qualquer modelo de janela, inclusive de madeira, usando a estrutura na cor bronze. As janelas acústicas custam a partir de R$ 1,8 mil o metro quadrado.

As portas também ajudam a afastar barulhos indesejados. O sócio da Métron Acústica destaca que elas podem ser de vidro, metal ou madeira, material mais usado em residência. “O objetivo é o mesmo da janela acústica: usar materiais mais densos e sistema de vedação para eliminar frestas. A porta de madeira, por exemplo, pode ser maciça ou preenchida com manta acústica de lã de vidro”, esclarece Soares. É preciso desembolsar pelo menos R$ 2,5 mil para comprar uma de tamanho padrão. Soares ressalta que as portas acústicas podem isolar o ruído vindo da casa de máquinas de elevador, queixa recorrente de moradores de apartamentos do último pavimento de um edifício.

SALÃO DE FESTAS

A movimentação no salão de festas não deixa ninguém dormir? O arquiteto especialista em acústica diz que a melhor solução é instalar na fachada esquadrias acústicas e no teto de todo o ambiente forros acústicos, que proporcionam conforto tanto para os convidados quanto para os vizinhos de cima. As placas removíveis, que podem ser de fibra mineral, lã de vidro ou espuma, são encaixadas em uma estrutura metálica e já dão o acabamento do teto, gerando pouco transtorno para os moradores. Soares comenta que todos os materiais usados pela Métron Acústica, que custam entre R$ 25 e R$ 70 o metro quadrado, são certificados pelo Corpo de Bombeiros por não propagar chamas.
Vice-presidente do Ibape-MG, Clemenceau Chiabi aposta em mantas acústicas para barrar o ruído de tubulação ou dos vizinhos  - Juarez Rodrigues/EM/D.A Press Vice-presidente do Ibape-MG, Clemenceau Chiabi aposta em mantas acústicas para barrar o ruído de tubulação ou dos vizinhos
Para prevenir reclamação de barulho de descarga, salto alto ou conversa do vizinho, o vice-presidente do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de Minas Gerais (Ibape-MG), Clemenceau Chiabi, alerta que a acústica deve ser trabalhada durante a execução da obra. Isso porque as lajes estão cada vez mais finas e ficam mais suscetíveis à transmissão do som. “As técnicas de construção evoluíram tanto que você consegue fazer a estrutura de tal forma que pode economizar na espessura do concreto, o que prejudicou o conforto acústico”, explica. Por ser mais densa, a parede de alvenaria consegue isolar melhor o barulho que a de junta seca, em que os tijolos são assentados sem massa, deixando frestas.

Além de tentar isolar os dormitórios das áreas que podem ter mais barulho, como espaço de lazer e elevador, o engenheiro civil do Ibape-MG aposta em mantas acústicas para barrar o ruído vindo de tubulação ou dos apartamentos vizinhos. Com o chamado piso flutuante, que funciona como um amortecedor, consegue-se reduzir a transmissão de som pela estrutura da edificação.

Conforto aos clientes

As construtoras agora são obrigadas a garantir conforto acústico aos clientes. Em vigor há sete meses, a norma de desempenho de edificações habitacionais da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) prevê a responsabilidade do construtor de reduzir a transmissão do barulho de fora para dentro e também entre os vizinhos. O vice-presidente do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de Minas Gerais (Ibape-MG), Clemenceau Chiabi, informa que, em uma residência, o máximo recomendado de ruído são 60 decibéis. À noite, o limite cai para 30 decibéis.
Eduardo Almeida/RA Studio

Tags: construção

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
17 de junho de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura