Por dentro do mercado

Fique sabendo o que rola no meio imobiliário em Minas e no Brasil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 14/07/2014 14:05
GRUPO EPO
A arte nas ruas

Grupo EPO/Divulgação
Para dar mais cor às ruas da capital, o Grupo EPO está participando do projeto Tapume com Arte, lançado pela Prefeitura de Belo Horizonte em 2013. Desta vez, o empreendimento enfeitado pela construtora é o centro empresarial composto pelos edifícios BHM 2550 e BHM 2600, na Avenida Barão Homem de Melo. Os blocos foram pintados pelo artista plástico Marcelo Albuquerque. A primeira edificação do grupo que teve esse tipo de obra foi o Línea Empresarial, na Região Centro-Sul da cidade. O Empresarial Veredas também entrou para a ação, ambos com a autoria de Albuquerque. De acordo com a diretora de comunicação e marketing da EPO, Eliana Pimentel, a pintura no tapume será uma forma de melhorar a qualidade visual da cidade. “A iniciativa incentiva a produção artística, melhorando também o visual do canteiro de obras. Marcelo Albuquerque foi escolhido por retratar em sua arte a convivência harmoniosa entre a paisagem urbana e a natureza, uma forma de equilíbrio que a EPO sempre busca em seus projetos”, destaca.

PHV ENGENHARIA
Investindo em Lagoa Santa

PHV Engenharia/Divulgação
O Vila Arcádia, condomínio loteado da PHV Engenharia, está pronto para ser entregue aos moradores. Localizado em Lagoa Santa, Região Metropolitana de Belo Horizonte, o espaço tem 54 lotes, a partir de 2 mil metros quadrados (m²), totalizando 235 mil m². O empreendimento tem duas grandes áreas verdes, guarita de acesso e praça de convívio. O projeto da portaria é assinado pelo arquiteto Gustavo Penna.
De acordo com o diretor de desenvolvimento da construtora, Marcos Paulo, o loteamento se destaca por estar localizado próximo à Linha Verde, que liga o Centro de BH ao Vetor Norte. “A cidade foi escolhida para receber o empreendimento por ser reconhecida pelo ótimo clima e belas paisagens que conquistam cada vez mais. O município era muito procurado como a segunda moradia. Aquela de fim de semana, principalmente para os belo-horizontinos. Hoje, tornou-se a opção de primeira moradia”, enfatiza.

REDE TAUÁ
O game dos descontos


Os jogos em smartphones já não são apenas para passar o tempo. A Rede Tauá de Hotéis e Resorts criou o Fly firefly, game que pretende estimular a divulgação e fortalecimento da empresa entre os clientes. O aplicativo para celulares e tablets também foi desenvolvido para aumentar a visibilidade do Tauá Grande Hotel e Termas de Araxá, na região do Alto Paranaíba. A brincadeira funciona da seguinte forma: o jogador coleta vaga-lumes para ganhar pontos e conforme a quantidade acumulade pode receber descontos para hospedagem no hotel. Todos os jogadores que fizerem mais de 100 pontos ganham, automaticamente, 10% de desconto. Ao final de cada mês, os 10 melhores colocados no ranking ganham 50% de desconto. Segundo o gerente de marketing da Rede, Pedro Vieira, o uso dessa ferramenta é algo inovador no setor hoteleiro. “Aplicativos e jogos eletrônicos estão cada vez mais sendo usados por grandes empresas e marcas para engajar e fidelizar o público. No setor hoteleiro, esse recurso ainda é pouco utilizado. Acreditamos que esse é um caminho promissor e vai possibilitar um crescimento expressivo da marca.”

PROJETO DE LEI
BH mais limpa

A Câmara Municipal de Belo Horizonte aprovou o Projeto de Lei 919/2013, que pretende limitar o número de placas de vende-se e aluga-se afixadas nos imóveis comercializados na cidade. Além de contribuir para a despoluição visual da cidade, a norma vai disseminar no mercado imobiliário a importância da prática de exclusividade na venda e locação das propriedades. A autoria da proposta, que aguarda a sanção do prefeito Marcio Lacerda (PSB), é do vereador Tarcísio Caixeta (PT).

Segundo o presidente da Câmara e do Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário Minas Gerais (CMI/Secovi-MG), Otimar Bicalho, o projeto estipula que cada imóvel deve ter uma placa de vende-se e outra de aluga-se. As faixas devem ter apenas o nome do anunciante, telefone e objeto do anúncio. “Em relação ao local para afixar os cartazes, o texto estipula que eles não deverão estar nas áreas comuns dos prédios, o que também contribui para diminuir a poluição visual na cidade.”

Tags: brasil

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
17 de junho de 2018