Nova sede sustentável do Google, na Califórnia, será construída por robôs

O projeto da nova construção da gigante da internet tem foco na ecologia e na reconfiguração do espaço ao longo dos anos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 14/05/2015 14:39 / atualizado em 14/05/2015 14:47 CorreioWeb /Lugar Certo
Google/BIG/Heatherwick Studio/Divulgação
O novo espaço do Google surpreende com a tecnologia e a grandiosidade. A estrutura da futura sede da companhia, na Califórnia, será construída por uma equipe de híbridos de robôs com guindastes, chamados crabots, e isso tudo com foco na sustentabilidade.

O projeto é de autoria de dois grandes nomes da arquitetura internacional: o grupo de arquitetos BIG e o estúdio de arquitetura Heatherwick. O plano é erguer uma cidade do zero, autossuficiente e ecológica. Além disso, uma comunidade será construída em torno da empresa, com espaços verdes que poderão ser aproveitados pelo público geral. O projeto promete ainda incluir espaços destinados à vida selvagem.

Google/BIG/Heatherwick Studio/Divulgação
O maior destaque é o sistema ‘hackável’ que os crabots proporcionam para a construção das estruturas. Com isso, pode ser possível uma reconfiguração simples do espaço ao longo da vida do edifício, de acordo com documentos divulgados pelo Google. Movendo-se livremente por baixo do exterior translúcido do edifício, os crabots trabalhariam com um sistema integrado de colunas de aço e painéis de piso, que poderiam ser içados com pequenos guindastes internos e personalizados.

Google/BIG/Heatherwick Studio/Divulgação
A gigante da Internet garantiu que a ideia é simples, em um comunicado de imprensa. “Em vez de construir um edifício estático de concreto, criaremos uma estruturas leves que podem ser movidas pelos espaços à medida que investimos em novas áreas e produtos”, afirma a publicação do Google.

Google/BIG/Heatherwick Studio/Divulgação
A nova obra é focada no ambiente natural. Os escritórios são alocados em edifícios em forma de cúpula, onde a vida vegetal se faz presente nas áreas internas e externas. “Grandes coberturas translúcidas ajudarão a controlar o clima interno e permitirão a entrada de ar e luz. Com árvores, paisagismo, cafés e percursos de bicicleta passando por essas estruturas, esperamos diluir os limites entre edifício e natureza”, detalha documento emitido pela empresa.

Google/BIG/Heatherwick Studio/Divulgação
Google/BIG/Heatherwick Studio/Divulgação
Google/BIG/Heatherwick Studio/Divulgação
Google/BIG/Heatherwick Studio/Divulgação
Google/BIG/Heatherwick Studio/Divulgação
Google/BIG/Heatherwick Studio/Divulgação
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
19 de julho de 2018
15 de julho de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura