MERCADO IMOBILIÁRIO

De volta ao Centro

Revitalização atrai novos investimentos e moradores para a região. Imóveis nessa área têm preços mais em conta

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 07/12/2015 17:00 Carolina Cotta /Estado de Minas
Edifício Excelsior, no Centro de BH, passou por retrofit e virou um residencial - Gustavo Xavier/Divulgação Edifício Excelsior, no Centro de BH, passou por retrofit e virou um residencial
O Centro de Belo Horizonte não é mais o mesmo. A transformação de prédios importantes em espaços culturais, a revitalização de praças e a instalação de câmeras de segurança não trouxeram de volta o glamour do passado, mas uma série de investidores e pessoas interessadas nas facilidades de morar na região central. Se houve um tempo em que muita gente deixou a região em busca do sossego dos bairros, o movimento contrário fica cada vez mais evidente. Este mês, por exemplo, começaram a se mudar os primeiros moradores no Edifício Excelsior. O antigo hotel na esquina da Praça Rio Branco (da Rodoviária) virou um residencial com lofts que juntam a modernidade das instalações com o charme de morar em um prédio de época.

A requalificação foi feita pela Construtora Diniz Camargos. Para marcar a nova fase do prédio, foi instalado um portal de 6,70 metros de altura, do artista plástico Jorge dos Anjos. Quem circular pela Rua dos Caetés, esquina com Avenida Afonso Pena, poderá observar a obra, cuja intenção é promover o diálogo entre arte, arquitetura e cidade. O prédio conta com unidades de variam de 28m² a 80m², com preços que vão de R$ 230 mil a R$ 396 mil. Do 1º ao 15º andar funciona uma escola profissionalizante, e do 16º ao 25º andar, o residencial com 152 apartamentos. O acesso à escola e ao residencial é distinto.

Teodomiro Diniz Camargos conta estar nesse mercado de retrofit há cerca de 10 anos, apesar de seguir fazendo prédios novos. Para o construtor, o que incentiva essa revalorização do Centro é a mobilidade, mas essa não bastaria se o espaço estivesse degradado. “As mudanças no Centro trouxeram um clima positivo. Quem mora ali tem comércio, lazer, emprego e transporte fácil e o preço é bom, até porque não precisa de vaga de garagem. “O que fizemos foi criar uma oferta especial. O prédio requalificado tem preço atraente com toda a qualidade de um prédio moderno, como medição individual de água, sistemas econômicos de energia e elevadores novos.” A filosofia, contudo, é aproveitar tudo o que está bom.

ATRATIVOS Desde 1987 no Centro, Antônio Carvalho Mota, proprietário da Ariane Imóveis, acha que o Centro está, inclusive, na moda. “A revitalização do Cine Palladium e do Cine Brasil trouxeram a oferta cultural de volta para a região. E a tendência é melhorar. Existe, por exemplo, planos da Justiça do Trabalho de se mudar para o prédio da Escola de Engenharia da UFMG”, diz. Segundo Mota, vários prédios antigos passam por reformas, o que valoriza o imóvel. O aluguel de apartamento de um quarto no Centro varia de R$ 800 a R$ 1 mil. Mas há também grande oferta de imóveis maiores. Os de dois quartos têm aluguel entre R$ 1 mil e R$ 1,3 mil. Já os de três quartos vão de R$ 1,5 mil a R$ 2 mil, mas sem vaga de garagem. O preço de venda varia de R$ 180 mil até R$ 400 mil, dependendo do número de cômodos.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
17 de junho de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura