Mobiliário

Fabricante investe em testes de qualidade de colchões

Centro de qualidade do grupo Americanflex avalia pureza, durabilidade e resistência dos colchões acabados, além de validar especificações para cada biotipo. Próximo passo é obter acreditação do Inmetro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/01/2016 19:07 / atualizado em 29/01/2016 19:15 Bruno Freitas/Portal Lugar Certo
Americanflex/Divulgação
Detentora da marca Minaspuma desde 2004, a Americanflex investiu na implantação de um centro de controle de qualidade voltado aos insumos utilizados nos colchões que produz. O laboratório, que funciona na sede da empresa em São José do Rio Preto, interior do Estado de São Paulo, recebeu novos equipamentos – estufa, mufla e Bico de Bunsen, máquina de rolagem e manta de mapeamento de pressão corporal – que se somam aos fadigômetro, resiliômetro, máquina universal de ensaio, balança e taquímetro, na avaliação de desempenho de produtos acabados. Três profissionais monitoram os processos. O próximo passo é obter acreditação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para testes de colchões de diferentes marcas. Foram investidos R$ 200 mil na ampliação.

Os novos equipamentos avaliam a pureza das matérias-primas, a durabilidade e a resistência do colchão, além de validar as especificações de acordo com cada biotipo.

Máquina de rolagem simula três anos de uso com rolo que pesa 110 quilos - Americanflex/Divulgação Máquina de rolagem simula três anos de uso com rolo que pesa 110 quilos
Na manta de mapeamento de pressão corporal, é testada a pressão do corpo exercida sobre o colchão. Desta forma é possível saber o modelo adequado a cada biotipo, levando em consideração peso e altura. A máquina de rolagem simula três anos de uso: são aplicados 50 mil ciclos (movimentos) com um rolo que pesa 110 quilos, medindo a perda em espessura e a possível quebra de molas. Cada modelo retirado da produção passa pela máquina. Os ciclos são movimentos sobre o colchão, como se a pessoa deitasse e levantasse. Realizado pela Estufa, Mufla e Bico de Bunsen, o teste de teor de cinzas consiste na queima da espuma, verificando se há presença de carga inorgânica na espuma. “A presença dessas substâncias pode causar um falso aumento da densidade e dureza da espuma. Esse teste é feito para constatar a pureza das matérias-primas”, explica a analista de qualidade da Americanflex, Ariele Ziroldo Buzato.

O Grupo Americanflex produz uma média de 400 a 500 mil colchões por ano. Além da sede São José do Rio Preto, possui fábricas em Campina Grande, na Paraíba, e em Montes Claros, na região norte de Minas. Somente a unidade mineira, que emprega 89 funcionários, teve uma produção total de 61,5 mil colchões em 2015.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
25 de setembro de 2018
23 de setembro de 2018