Desafio da casa própria

Instabilidade econômica dificulta acesso do consumidor ao financiamento de imóveis

O pouco incentivo à construção civil e a falta de condições atrativas para financiamento direto com as construtoras agravam o déficit habitacional no país

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 24/10/2017 13:58 / atualizado em 24/10/2017 14:00 Herlane Meira* /Estado de Minas

Para conquistar a tão sonhada casa própria, a grande maioria da população precisa enfrentar diversos desafios. O pouco incentivo à construção civil e a falta de condições atrativas para financiamento direto com as construtoras agravam o déficit habitacional no país. Pelo menos é o que mostra o levantamento Déficit Habitacional no Brasil, realizado pela Fundação João Pinheiro e divulgado neste ano, que aponta carência de 6.186.503 de domicílios, o que representa 9,3% dos domicílios
particulares permanentes e improvisados.

Segundo o presidente da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH), Vinícius Costa, o financiamento habitacional concedido pelos bancos, por meio de recursos captados das poupanças (SBPE) ou do FGTS, é a forma mais fácil de conseguir o objetivo da casa própria. “É uma oportunidade para o trabalhador com renda adquirir um imóvel pagando pequenas parcelas, em vez de ter de desembolsar valor muito alto para a aquisição”, afirma.

Vinícius aponta ainda a possibilidade de financiamento dentro do programa Minha casa, minha vida. “O programa foi criado em 2009 por meio da Lei 11.977 e tem como finalidade propiciar a aquisição da casa própria por parte da população de baixa renda. As principais características desse programa ficam por conta da possibilidade de concessão de subsídio pelo governo para aquisição da casa própria e de taxas de juros mais baixas no mercado”, ressalta o presidente da ABMH.

AUTÔNOMO

Porém, o atual cenário brasileiro, de crise política e econômica, não tem se mostrado propício ao financiamento de imóveis. É o que explica o presidente da ABMH. “A crise econômica é um fator preponderante na hora de pensar em um financiamento a longo prazo (de 30 a 35 anos). A instabilidade das empresas e a instabilidade do emprego afetam diretamente na capacidade do mutuário de pagamento.”

Ele também expõe o mesmo raciocínio para o trabalhador autônomo, que tem evitado assumir um compromisso a longo prazo como a compra de um imóvel. “A queda de procura interfere diretamente na condição mensal do mutuário de pagamento das parcelas. Quando existe uma instabilidade econômica, a melhor alternativa para o cidadão é economizar, se programar e evitar fazer dívidas a longo prazo”, completa.

Para Vinícius Costa, alguns fatores influenciam negativamente a população na hora de contratar um financiamento habitacional. “A aquisição da casa própria é um sonho de todo brasileiro. Porém, como não temos o costume de guardar dinheiro para comprar o imóvel, dependemos excessivamente de bancos para aquisição de empréstimos voltados à aquisição da casa própria. Quando há falta de imóveis construídos, seja por dimensão geográfica, seja por crise no setor da construção civil, o mercado fica retraído e o consumidor encontra certa dificuldade em adquirir um imóvel”, diz.

O financiamento habitacional precisa ser encarado como uma possibilidade de aquisição da casa própria e não como uma regra. “Hoje, já não se consegue mais construir como antigamente nas grandes capitais, então o mercado deve focar regiões metropolitanas ou até um pouco mais afastadas. Contudo, para que possa ter procura, é necessário um plano do governo de desenvolvimento da região. Só assim você consegue atrair compradores para aqueles empreendimentos”, finaliza o presidente da ABMH.

* Estagiária sob a supervisão da editora Teresa Caram
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
15 de dezembro de 2018
13 de dezembro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura