Ganhos em escala

Evento debate a transformação do mercado da construção por meio da tecnologia e inovação

Em meio aos intensos debates sobre essa nova era, a Minascon deste ano leva a Juiz de Fora uma discussão sobre as atuais configurações da cadeia do setor

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 17/09/2018 14:29 / atualizado em 17/09/2018 14:50 José Alberto Rodrigues* /Estado de Minas
Minascon: neste ano, o evento leva a Juiz de Fora uma discussão sobre as atuais configurações da cadeia da construção - Sebastião Jacinto/FIEMG Minascon: neste ano, o evento leva a Juiz de Fora uma discussão sobre as atuais configurações da cadeia da construção

A tecnologia nunca esteve tão presente no mercado da construção civil. Estar inserido nessa nova indústria significa encarar a era digital como a grande definidora na redução de custos, em processos mais limpos, planos mais inteligentes e de baixo impacto ambiental. Em meio aos intensos debates sobre essa nova era, a Minascon deste ano leva a Juiz de Fora uma discussão sobre as atuais configurações da cadeia da construção.

 Teodomiro Diniz Camargo, presidente da Câmara da Indústria da Construção da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (CIC-Fiemg), ressalta que os investimentos em novas tecnologias aumentam a produtividade do setor, reduzem custos no canteiro de obra e geram benefícios para moradores e condomínios. “A indústria sempre impôs modificações no que se diz respeito a ganhos para a produção ao longo dos anos. O uso da tecnologia é uma tendência que virou realidade e apresenta ganhos de produtividade e efetividade. A necessidade de maior produtividade com uma construção mais sustentável e durável por meio da tecnologia é uma resposta à demanda que se tem com o sonho da casa própria”, avalia.

Novas técnicas, invenções e tecnologias da construção civil têm contribuído para transformações expressivas no setor, ajudando na melhora da efetividade das obras e na redução de tempo e de custos, em alguns casos. “O momento é de inovar, o processo de construção sempre foi muito artesanal, e é preciso que haja alguns incentivos para que toda a cadeia produtiva entre nesse clima e mostre o que está acontecendo”, comenta Aurélio Manrangon, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) – Regional Zona da Mata e do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Juiz de Fora (Sinduscon-JF).

A indústria da construção brasileira vem transformando seus parâmetros de qualidade com a introdução das tecnologias na concepção das obras. “A norma de desempenho vem impulsionado a modernização tecnológica da construção, estabelecendo parâmetros técnicos como durabilidade, garantia e vida útil das obras, mantendo um nível mínimo de desempenho e qualidade. Essa norma amplia os desafios para atender o cliente cada vez mais com um padrão melhor dentro do sistema construtivo”, destaca Teodomiro.

A Minascon 2018 é uma oportunidade para que empresas e entidades de toda a cadeia produtiva da construção possam apresentar e conhecer novas tecnologias, materiais e soluções para o setor. A proposta é promover encontros e diálogos que sejam efetivos para que os empresários tenham contato com novos mercados, produtos e tecnologias; conhecer práticas de trabalho adotadas em empresas de referência; além de estabelecer contatos comerciais com potenciais compradores ou fornecedores. Os participantes poderão conhecer as principais tendências dos mercados de engenharia, arquitetura, indústria e construção.

INDÚSTRIA 4.0

"A necessidade de maior produtividade com uma construção mais sustentável e durável por meio da tecnologia é uma resposta à demanda que se tem com o sonho da casa própria" - Teodomiro Diniz Camargos,presidente da Câmara da Indústria da Construção da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (CIC-Fiemg)
Um dos conceitos trazidos pela Minascon é a indústria 4.0 e como essa integração do universo físico e virtual, por meio de tecnologias digitais, vai mudar a forma de produzir, gerar novos negócios e transformar o mercado. A maior novidade do evento será a empresa holandesa MX3D, que mostrará o projeto de construção de uma ponte por meio da tecnologia de impressão 3D. “O projeto da ponte de aço totalmente funcional será uma experiência única que nos permite analisar a impressão em 3D e mostrar as possíveis aplicações da nossa tecnologia de impressão 3D em vários eixos”, comenta Teodomiro Diniz.

Uma outra contribuição da tecnologia para o setor é o uso de recursos como internet das coisas visando aumentar a produtividade das empresas. “A internet das coisas está transformando a construção dos edifícios e tornando os processos mais integrados até chegar ao produto final. Ela começa a se fazer presente em elementos da construção, como nos sistemas de ar-condicionado, por exemplo. Ainda é incipiente, mas já em uso, principalmente nos equipamentos eletrônicos”, afirma Teodomiro Diniz.

Segundo ele, o BIM também vem sendo um grande aliado como plataforma de informação aplicada à construção civil. A metodologia é um conjunto de tecnologias, informações e processos combinados em plataformas digitais para auxiliar a projeção e o gerenciamento de uma edificação em todas as suas etapas. “O sistema projeta visualmente todo o processo da obra, uma construção por antecipação, e integra vários sistemas. O BIM representa redução de custos na obra, transparência no planejamento e precisão nos custos e cronogramas, por isso proporciona maior eficiência e confiabilidade, já que com ele é possível antever problemas que só poderiam ser percebidos nos canteiros de obras.

Também será organizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG) um debate sobre como o Sistema de Avaliação da Conformidade de Empresas de Serviços e Obras da Construção Civil (SiAC) está projetado para modernizar a construção civil no Brasil, como parte integrante do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Hábitat (PBQP-H).

MUDANÇAS

Luiz Henrique Ceotto, professor da Universidade Federal de São Carlos e da Escola Politécnica da USP, ressalta que, apesar do avanço da tecnologia, o panorama da cadeia produtiva da construção brasileira tem de passar por uma mudança dentro das empresas. “Sem tecnologia você não tem industrialização e temos toda a tecnologia de que precisamos. O grande problema é que as empresas não a usam, há uma baixa capacitação e tudo isso precisa mudar. No setor da construção, o prazo não é uma variável importante, e demora duas ou mais vezes o tempo se comparado a outros países. E isso gera altos custos fixos. É uma questão de mudança cultural e de percepção dentro das empresas”, avalia.

Luiz Henrique Ceotto afirma ainda que a inovação e a tecnologia dentro do ambiente de negócios se deram em etapas e que não é prático adiantá-las. “Racionalização, industrialização, transformação de valores e a revolução tecnológica e digital, não há como fugir dessas ondas. O setor precisa se beneficiar de itens em todas as etapas, já que esses avanços melhoram o serviço.”

Minascon

O evento está em sua 15ª edição e terá como tema central “Novas tecnologias e a reinvenção da indústria”. É resultado da união entre o sistema Fiemg, Sebrae Minas e Sinduscon-JF, para levar ao empresariado mineiro e profissionais da área o que há de mais relevante no segmento para o desenvolvimento da construção, como sustentabilidade, economia, legislação, além de inovação, tecnologia e tendências do setor.

SERVIÇO
De 25 a 27 deste mês
No Trade Hotel – Av. Presidente Itamar Franco, 3.800, Cascatinha – Juiz de Fora (MG)
Informações: 
www.minascon.com.br 

* Estagiário sob a supervisão da editora Teresa Caram
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
15 de dezembro de 2018
13 de dezembro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura