Proteção sem sustos

Medidas simples ajudam a tornar os condomínios mais seguros contra criminosos

A cada dia mais completos e sofisticados, equipamentos de segurança, assim como funcionários bem treinados, ajudam a controlar acessos de todo tipo ao condomínio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 15/11/2018 07:00 / atualizado em 14/11/2018 18:25 Augusto Guimarães Pio /Estado de Minas
Reprodução/Internet/ProjetoViver News

Roubos e furtos em condomínios continuam sendo uma dor de cabeça para muitos proprietários e inquilinos. O pior é que este tipo de crime ocorre por todas as regiões do país e em dados alarmantes, segundo autoridades. Isso faz com que as pessoas reflitam sobre o assunto e busquem alguma maneira de diminuir, ou mesmo acabar, com o problema, como tornar os condomínios mais seguros contra criminosos, além de evitar invasões, trazendo proteção aos moradores, funcionários e ao próprio patrimônio.

Emerson da Fonseca Nascimento Silvério, gerente de Segmento de Controle de Acesso Condominial da Intelbras, considera a situação alarmante, com a necessidade de intervenções urgentes. “Pode-se dizer que a segurança condominial é formada por três pilares: mão de obra do condomínio bem treinada, equipamentos de segurança eletrônica e conscientização dos condôminos. Se um desses falhar, o condomínio fica mais vulnerável à ação externa. Hoje, sabe-se que a grande maioria das invasões é feita pela porta da frente, geralmente causada por erro humano, seja do porteiro, seja dos próprios moradores. Portanto, existem formas de deixar o condomínio mais seguro, trabalhando os três pilares de forma unificada, de modo a garantir tranquilidade aos moradores”, ressalta o especialista.

Ele esclarece que o sistema de circuito fechado de TV (CFTV), equipamentos e soluções com alta resolução e controle de acesso, como fechaduras biométricas com cartão de proximidade e/ou senha, tag veiculares e controles remotos não clonáveis estão cada vez mais acessíveis. “A sofisticação dos produtos disponíveis no mercado impressiona. Existem câmeras de segurança equipadas com iluminadores de longo alcance, de até 80 metros, e monitoramento contínuo mesmo em total escuridão, garantindo sistema de segurança completo e com resolução tão boa que é possível identificar uma pequena tatuagem ou marca de uma pessoa a metros de distância.”

Emerson explica que, além de CFTV, cada vez mais os sistemas de controle são utilizados para evitar acessos indesejados e permitir os autorizados, garantindo os registros de entrada tanto de condôminos quanto de veículos. “Além de produzir relatórios com parâmetros predefinidos, o sistema oferece informações com detalhes, em tempo real sobre as áreas comuns do condomínio. São dados como fotos e placas de veículos, entre outros. Tudo isso ajuda o síndico quando ocorre algo fora da curva, como danos às áreas comuns do condomínio, acessos indevidos etc. Tudo fica registrado”, garante.

TREINAMENTO

"Na prevenção a assaltos, não bastam apenas equipamentos. Moradores e funcionários têm de estar comprometidos com o sistema" - Emerson Silvério, gerente de Segmento de Controle de Acesso Condominial da Intelbras
O gerente acredita que investir no treinamento de funcionários, como porteiros, seguranças e faxineiros, é uma forma de valorizar o trabalhador e de tornar o local mais seguro. “A segurança oferecida pelos porteiros é a preventiva e de nada adianta o condomínio ter o melhor sistema de câmaras de segurança e controle de acesso se o colaborador não souber manuseá-lo e administrá-lo de forma correta. É necessário que a sensação de confiança e segurança seja constante, e um profissional bem treinado com o sistema de segurança eletrônica proporcionará isso.”

Emerson alerta que a conscientização do morador sobre as regras de segurança do condomínio é imprescindível. “Na prevenção a assaltos, não bastam apenas equipamentos. Moradores e funcionários têm de estar comprometidos com o sistema. Quando um condômino reclamar, por exemplo, de ter que receber a pizza porque o entregador não pode subir, ele está buscando a sua comodidade, mas colocando o condomínio em risco. O mesmo ocorre se a portaria permite a entrada de potenciais visitantes sem autorização do morador. A direção do condomínio deve divulgar as regras de segurança de forma clara e direta para todos os condôminos. Os que infringirem as regras devem ser notificados e, em casos mais graves, multados.”

O especialista acredita que investir em um bom sistema de CFTV e controle de acesso, treinamento de funcionários e conscientização do morador só trará benefícios. Se essas simples ações estiverem funcionando bem, com sinergia, o condomínio estará muito mais seguro”, garante.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
16 de junho de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura