Escolha do melhor sistema

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 31/08/2008 06:00
Beatriz Botelho, da Copasa, diz que adesão precisa de todos os condôminos - Gladyston Rodrigues/AOCUBO FILMES Beatriz Botelho, da Copasa, diz que adesão precisa de todos os condôminos
Depois da obra de adaptação concluída, o condomínio pode optar por fazer a leitura dos hidrômetros e cobrar o consumo dos condôminos com a taxa de condomínio, ou delegar a uma empresa privada as duas tarefas, ou apenas uma delas. Num prazo máximo de três meses, a Copasa também vai oferecer os serviços, para cumprir a Lei Estadual 17.506, sancionada pelo governador Aécio Neves, em 29 de maio.

De acordo com especialistas, a escolha do melhor sistema vai depender do tamanho do condomínio e da qualidade da relação existente entre os moradores do prédio. “Em prédios pequenos em que os moradores têm uma boa relação, a leitura e a cobrança podem ser feitas pelo próprio síndico. Já em condomínios maiores ou naqueles onde as relações estão desgastadas, o melhor é optar pela cobrança por uma empresa privada ou mesmo pela Copasa, quando ela estiver oferecendo o serviço”, diz o engenheiro Vitor Prates Aguiar, diretor da Aguiar Construções, empresa que se prepara também para atender os pedidos de leitura e cobrança de água dos condomínios.

Na Aguiar, informa o engenheiro, não foram ainda calculados os custos dos serviços, mas o preço da leitura deve se situar em torno de R$ 5 por apartamento, valor médio cobrado na cidade de São Paulo, onde já existem cerca de 150 empresas que atuam nesse mercado. Na Souza Administradora e Individualizadora de Água em Condomínios, que em Belo Horizonte já atende cerca de 60 edifícios, o preço da leitura é também de R$ 5 por apartamento e sobe para R$ 10 por unidade, caso sejam prestados ainda os serviços de emissão de faturas individuais e corte de água do consumidor inadimplente.

Já a Copasa, diz Beatriz Borges Botelho, analista da Divisão de Ações Mercadológicas da concessionária, não vai cobrar pela leitura e emissão das faturas, mas o condomínio que solicitar na empresa os serviços deverá seguir critérios técnicos para o desenvolvimento do projeto, execução das obras e instalação dos hidrômetros, que deverão ser divulgados em breve. “A Copasa só vai cobrar pelos hidrômetros, os serviços de leitura e emissão de faturas serão gratuitos”, destaca.

Entre os requisitos técnicos que a concessionária deve estabelecer, adianta a analista, está a localização dos hidrômetros nas áreas comuns do edifício e em local de fácil acesso ao funcionário que fará a leitura. Outra exigência, lembra Beatriz, será a adesão de todos os condôminos à mudança de sistema – de medição global para individualizada –, por meio da assinatura de um documento que deverá ser entregue à Copasa.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
16 de dezembro de 2016
21 de outubro de 2016

No Lugar Certo você encontra o que procura