Iluminação e adornos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 18/05/2009 19:51
Fotos: Gladyston Rodrigues/Ao Cubo Filmes
Mudar a iluminação também é um bom recurso para renovar o visual de uma casa. Mas a designer Ednei Aquino alerta que é preciso bom senso e consciência ecológica para o desenvolvimento e execução do novo projeto. "Não é preciso sair fazendo rebaixamento de teto com gesso em todos os ambientes e usar uma infinidade de lâmpadas, o que onera o custo do projeto, aumenta o tempo de execução e ainda vai aumentar o consumo de energia. No geral, apenas na sala a distribuição da iluminação só é necessária para a criação de uma cena ou a valorização de uma peça. Nos quartos, basta a iluminação central, com o apoio de uma luminária para uma bancada de estudos, ou próxima à cabeceira da cama", diz.

A arquiteta Renata Basques observa que o uso de arandelas pode substituir a distribuição da iluminação feita por meio do rebaixamento de teto com forros de gesso, e com um custo menor. "Não que o forro de gesso custe muito, mas é uma obra que traz algum transtorno. Portanto, uma luz central com um apoio de duas arandelas, por exemplo, pode dar uma graça especial na iluminação do ambiente".

Já o arquiteto Junior Piacesi considera que se deve privilegiar o uso de lâmpadas fluorescentes, de menor consumo, na cor amarela, na iluminação dos ambientes. "É preciso tomar cuidado com as fluorescentes brancas, que deixam o espaço cálido e frio. Uma boa ideia é substituí-las por lâmpadas florescentes amarelas, que trazem mais aconchego para o ambiente. A luz amarela tem melhor reprodução de cores e as deixa mais vivas. Para os que querem sugestões de uma iluminação mais aconchegante e relaxante, vale uso de velas ou lâmpadas coloridas, encontradas nas lojas especializadas".
Arquiteto Junior Piacesi explica que os armários podem ganhar vida nova com a pintura - Arquiteto Junior Piacesi explica que os armários podem ganhar vida nova com a pintura

CAPAS DE SOFÁS

A troca de capas de sofás e de almofadas também contribui para a renovação da decoração da casa e pode ser feita a baixo custo. "Capas para almofadas e sofás dão cara nova no espaço. Cortinas podem ser feitas com voal branco, que tem fácil limpeza, apenas usando a máquina de lavar. Já as capas podem ser feitas no brim, nas cores branco, barbante, concreto e cinza, que são neutras e nunca saem de moda", explica Junior. Renata Basques lembra que a camurça sintética é uma boa opção para um novo revestimento do sofá ou do estofamento de uma cadeira. "O preço da camurça sintética fica entre R$ 30 e R$ 50 o metro quadrado, não suja muito, permite uma boa sensação térmica e tem um aspecto mais moderno que o chenile, ainda muito usado", destaca.

Para a escolha de peças decorativas, como adornos e quadros, Ednei Aquino assinala que devem ser priorizadas aquelas de valor artístico reconhecido. "Se a pessoa tem um quadro de reconhecido valor artístico, por exemplo, basta trocar a moldura, optando sempre por um modelo que valorize a obra e não a sobreponha. Já se não tem a peça artística e nem dispõe de recursos para adquirir uma, usar fotos antigas de família, imagens ou mapas interessantes de uma cidade, por exemplo, que tenham identidade com os moradores da casa, podem ser boas opções", diz ao lembrar que peças de serigrafia de artistas reconhecidos costumam ter um preço bem mais acessível do que uma pintura ou desenho desse mesmo artista e podem dar uma bela contribuição à decoração. "É possível encontrar serigrafias de artistas reconhecidos a preços entre R$ 100 e R$ 200", assegura.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
18 de outubro de 2019
29 de setembro de 2019