Decoração

Descubra como trazer o frescor e a sensação de relaxamento da água para os ambientes

Sabe aquele barulhinho bom de água corrente? Você pode reproduzi-lo mesmo em espaços pequenos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 16/11/2011 11:15 Maria Júlia Lledó /Correio Braziliense
Divulgação

Ter uma fonte de água em casa é o sonho de quem mora há milhares de quilômetros de lagos, rios ou mesmo do mar. Esse também é o desejo de quem mora onde a seca castiga a vegetação e a população por longos meses. Para aqueles que têm um jardim em casa, uma opção é o espelho d'água. Além de ser considerado uma alternativa à construção de um reservatório subterrâneo, essencial para a irrigação das plantas, ele exerce a função de aguar a vegetação e tornar o local um oásis só seu.

"O custo de um espelho d'água, por exemplo, é acessível e a manutenção mais fácil que a de um reservatório. O recurso também funciona como elemento cênico para o jardim", explica o paisagista David Nehring. Se o desejo incluir a criação de peixes no espelho d'água, o paisagista Fábio Camargo recomenda cuidado redobrado. Cardumes provocam a proliferação de algas que podem atrapalhar o bombeamento da água. "Há necessidade de limpeza constante para evitar a formação de lodo. Um sistema de luzes ultravioleta - a lâmpada custa entre R$ 600 e R$ 700 - é capaz de funcionar como um filtro nesse caso", explica o especialista.

Já aqueles que moram em um apartamento, ter um espaço com direito ao barulhinho bom de água corrente é bem mais simples. Em um apartamento de poucos metros quadrados, a fonte pode estar na varanda ou no local onde o morador costuma relaxar. "Fontes de água proporcionam tranquilidade e aconchego", aposta o paisagista David Nehring.

Segundo o arquiteto e paisagista José Marcelo Martins Medeiros, professor de paisagismo da Escola de Paisagismo de Brasília e de arquitetura na Universidade de Brasília (UnB), é possível criar projetos sob medida ou investir em fontes comercializadas. Dica para quando o período de chuvas passar e deixar saudades.
Divulgação

Fique ligado!

Existem várias maneiras de incorporar a água aos projetos de arquitetura. Para o arquiteto e paisagista José Marcelo Martins
Medeiros, alguns cuidados são fundamentais:

- A água, preferencialmente em espelhos d'água, deve estar sempre limpa, por isso é importante limpar bem os ladrilhos, com produtos especializados;

- Nos pequenos lagos, onde existe a presença de plantas aquáticas e peixes, é necessário que a água esteja sempre em movimento para não haver proliferação de insetos transmissores de doenças;

Divulgação
- Firmas especializadas na instalação de lagos em jardins têm modernos filtros biológicos e alimentação automatizada para os peixes;

- Entre as espécies mais comuns usadas em jardins aquáticos estão: flor de lótus, ninféias, vitória régia, papiros, água-pé, alface d’água, lírio do brejo, íris amarelo e cavalinha.

Saiba diferenciar

Espelho d'água: Tanques com massa de água inerte, sem movimentação aparente, porém existem diversos equipamentos para oxigenar a água.

Fonte: Estrutura ornamental que joga a água em um movimento de baixo para cima. Normalmente é instalada em um espelho d'água. Podem ser luminosas ou não, alcançando diversos efeitos.

Cascata: A água é jorrada de cima para baixo. Foi desenvolvida uma série de equipamentos e técnicas para a construção de cascatas ornamentais nos mais diversos estilos e materiais.

Lago: Difere-se de um espelho d'água pelo tamanho e volume de água. Os lagos têm dimensões maiores e podem ser abastecidos por rios e nascentes. Podem ter peixes e plantas ornamentais aquáticas também.

Fonte: José Marcelo Martins Medeiros, Escola de Paisagismo de Brasília

Tags: ambientes

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
08 de julho de 2019
02 de julho de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura