Estantes

Conheça estantes diferentes e ousadas para animar o ambiente

As estantes e prateleiras são a opção ideal para quem precisa unir o útil e o agradável na hora de decorar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 12/01/2012 10:31 / atualizado em 12/01/2012 10:36 CorreioWeb /Lugar Certo
Divulgação

As estantes e prateleiras são a opção ideal para quem precisa unir o útil e o agradável na hora de decorar o ambiente. Conhecidas por sua funcionalidade para guardar livros, sustentar TV e enfeitar a casa com porta-retratos e vasos, as estantes também servem como assessório de decoração que exprime personalidade e repertório estético do proprietário. A professora e coordenadora do Núcleo de Desenvolvimento de Design, da Universidade de Brasília (UnB), Ana Cláudia Maynardes, explica como é o processo de idealização de um móvel, além de dar dicas sobre o que ter em mente ao comprar uma estante mais ousada.

Confira mais fotos de estantes
Veja fotos de nichos

De acordo com Maynardes, os móveis têm, no mínimo, três funções: utilitária, estética e simbólica. São justamente esses requisitos que devem ser levados em conta na hora da escolha. “Nem que seja para colocar um vazo de flor ela tem que servir. É preciso também que ela seja ‘bonita’ para aquilo que você gosta, dentro do seu estilo. E também existe aquele móvel que representa algo para a pessoa, que simboliza alguma coisa. Por exemplo, você tem uma estante que lembra a que tinha na casa da sua avó e por isso ela tem um valor a mais”, analisa.
Divulgação

A professora explica que dentro do universo do design de móveis existe o móvel do setor industrial e o móvel de autor. “O industrial é a grande produção. Eles apresentam um briefing bem detalhado, com vários requisitos que a gente tem que cumprir. Fazem estudo de mercado, de público e isso é passado para a gente. Então, desenhamos o que está escrito, seguimos a risca”, conta. Já o de autor, é um setor mais livre. “Varia de designer para designer. Porque ele vai fazer o que quer, o que acha legal, estudou, leu, pensou. Tem pessoas que já tem uma marca, faz em cima da linguagem que está acostumado, do material que gosta ou então em cima de experimentações”, esclarece.

Maynardes também explica que muitas vezes o valor do móvel está no seu conceito e não apenas na estética. “Tem vezes que um designer cria uma peça e quando o entrevistam ele explica que é uma peça pensada completamente pela utilidade. Daí entrevistam outro designer sobre um modelo parecido e ele fala que fez experimentações e que a peça é mais estética”, conta. “São visões diferentes. Às vezes o discurso que está por trás é que dá valor à peça”, ressalta.

Tags: decoração

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
11 de outubro de 2018
22 de setembro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura