Restritos só no tamanho

Quartos pequenos podem ter decorações luxuosas que dão conforto e charme ao espaço

Especialistas dão dicas de como tirar proveito de cada centímetro do cômodo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 28/07/2013 08:00 / atualizado em 26/07/2013 17:03 Júnia Leticia /Estado de Minas
Com criatividade e escolha adequada de móveis e iluminação é possível criar ambientes confortáveis para qualquer perfil de morador - Eduardo Almeida/RA Studio Com criatividade e escolha adequada de móveis e iluminação é possível criar ambientes confortáveis para qualquer perfil de morador

Se organizar móveis, adornos e peças de decoração em um quarto já não é das tarefas mais simples tendo em vista a quantidade de opções disponíveis no mercado, imagine quando o espaço é reduzido. Nesse caso, cada cantinho tem de ser aproveitado ao máximo, deixando a sensação de que o ambiente é maior do que realmente é. Isso sem esquecer o conforto e a praticidade.

Para otimizar o quarto pequeno com estilo, a arquiteta e designer de interiores Valéria Alves diz que é preciso saber exatamente as necessidades de quem usará o ambiente. “Para não colocar móveis e objetos em demasia, pois cada centímetro deverá ser bem aproveitado. Móveis sob medida podem ser a oportunidade para isso. Ambiente reduzido não significa local sem conforto e beleza”.

Apesar de parecer uma tarefa difícil, existem alternativas. De acordo com Valéria Alves, o primeiro passo é investir em cores claras nos pisos, paredes, cortinas e mobília. “O ambiente com cores claras fica mais leve e dá a impressão de amplitude.” Como um quarto é sempre um espaço que remete a algo mais intimista, confortável e acolhedor, segundo a designer de interiores Fabiana Visacro, é importante que as texturas e materiais remetam a essas sensações. “É o ambiente da casa que normalmente utilizamos para repousar após o dia a dia agitado. Por isso, na hora de projetá-lo, como esse, é preciso pensar no perfil dos moradores. Como é um espaço íntimo, é importante que o local tenha as características deles.”

Para a especialista em projetos e diretora do Escritório de Arquitetura e Engenharia Izabel Souki, Maria Izabel Souki, um projeto bem elaborado é importante para montar qualquer espaço. “Principalmente quando pequenos, nos quais é imprescindível e possível aproveitar cada centímetro quadrado”, ressalta.

De acordo com ela, o leiaute é o primeiro ponto do projeto a ser definido, uma vez que permite determinar a distribuição e escolha exata do tamanho do mobiliário no ambiente. “Planejar o tamanho e a localização de cada peça ajustará a sensação de equilíbrio visual em termos de proporcionalidade, além da circulação adequada do espaço. É muito importante respeitar os espaços de movimentação do ambiente, que são de no mínimo 60cm entre os móveis ou em uma proporção possível para abrir porta e gavetas livremente”, orienta Izabel.

Escolha de peças com múltiplas funções contribui para o local ter praticidade - Eduardo Almeida/RA Studio Escolha de peças com múltiplas funções contribui para o local ter praticidade
MULTIPLICAÇÃO

Uma boa solução para esse ambiente é investir em espelhos, iluminação e na verticalização dos espaços. “Os espelhos são grandes aliados em espaços pequenos, pois criam a sensação de amplitude, difundem a claridade e duplicam a profundidade dos espaços. Já uma iluminação adequada não somente aumenta a sensação de ampliação como também ajuda a criar cenário e climas diferenciados”, explica.

A especialista em projetos acrescenta que a iluminação também deve ser bem projetada para que o espaço tenha conforto e praticidade. “Em se tratando da verticalização do espaço, acomodar novos objetos em armários e prateleiras nas paredes também ajuda a tornar o ambiente mais limpo e amplo”, completa Izabel.

Um dos itens que podem ser bem utilizados para fazer com que o quarto pareça maior é o armário, como ensina a designer de interiores Laura Santos. “Uma dica bacana é utilizar a porta do armário espelhada, inteiramente ou apenas parte dela. Isso dá sensação de amplitude do espaço, além de rebater a luz natural e a artificial. Utilize cores leves e claras também.”

Decoração no tamanho certo
Escolha de móveis para quartos pequenos deve ser muito mais criteriosa do que para espaços maiores. A compra de peças sob medida é uma solução quase indispensável
As designers de interiores Laura Santos e Fabiana Visacro dizem que projeto depende muito do perfil do cliente e sua rotina - Eduardo Almeida/RA Studio As designers de interiores Laura Santos e Fabiana Visacro dizem que projeto depende muito do perfil do cliente e sua rotina

Acostumada a trabalhar com locais reduzidos, a arquiteta Valéria Alves ensina que, em ambientes pequenos, o ideal é utilizar móveis sob medida, que permitam aproveitar todos os espaços possíveis. Segundo a profissional, esse tipo de mobiliário garante um projeto com maior flexibilidade na hora de criar soluções que aproveitem bem cantos, nichos e espaços residuais de forma criativa para que o local seja otimizado.

Na hora de projetar os armários, ela aconselha que se dê preferência às portas de correr, que ocupam menos espaço e permitem ganhar alguns centímetros de circulação entre os móveis. “Os espelhos em portas de armários passam a sensação de amplitude e conforto. Mas é preciso usar com cautela, sem exageros, já que o excesso pode deixar o quarto poluído”, acrescenta Valéria.

É possível, ainda, encontrar móveis modulares, que são oferecidos no mercado justamente para suprir a carência por alternativas para espaços pequenos. “Como armários, nichos e gaveteiros em tamanhos reduzidos, que podem ser acomodados juntos ou separados, e sua formatação dentro do ambiente pode ser feita por qualquer pessoa”, indica.

Para escolhê-los, a arquiteta indica o uso de módulos que possam ser empilhados ou colocados juntos em diversas disposições. “Assim, o aproveitamento torna-se eficaz. A opção por módulos com rodízios, como gaveteiros e pequenos armários, também ajuda na organização, aproveitamento e versatilidade do espaço”, completa.

A arquiteta diz que, para compor o espaço, é possível encontrar, facilmente, pequenos móveis com rodízios. “Pufes, mesas de centro um pouco mais altas para acomodar pufes ou mesmo pequenos bancos embaixo, cadeiras com tamanhos reduzidos e nichos de diversos tamanhos para ser usados como módulos”, explica Valéria Alves.

Como no quarto o mobiliário protagonista é a cama, segundo Fabiana Visacro, seja ela de casal ou de solteiro, é bacana valorizá-la com uma cabeceira em madeira ou até mesmo em estofado. “Ela pode ser fixada na parede ou já vir de fábrica na cama, como é o convencional. A cabeceira fixada na parede como painel tem a vantagem de que pode ser feita na medida que o cliente desejar. Aí, nesses casos, utilizamos o modelo de cama box.”

Como se trata de um quarto pequeno, para escolher o mobiliário, é preciso analisar as necessidades de cada um. “Alguns precisam privilegiar o armário, outros, de uma cama maior. Alguns pedem um espaço de trabalho, alguma bancada para notebook – o que não é recomendável em quartos de dormir, pois é um espaço que remete ao descanso. Tudo vai depender de como é a rotina da pessoa e quais as suas prioridades e especificidades”, acrescenta Laura Santos.

BRILHO

Para crianças é importante manter espaços livres para elas brincarem e andarem sem esbarrar em objetos - Eduardo Almeida/RA Studio Para crianças é importante manter espaços livres para elas brincarem e andarem sem esbarrar em objetos
Para compor de maneira aconchegante, nada melhor do que investir na iluminação e nos itens de cama, como diz a designer. “As luminárias são objetos que compõem muito bem os quartos. Além de iluminar, dão um efeito aconchegante ao espaço. Outros itens que valorizam o ambiente e o deixam charmoso e aconchegante são as colchas e almofadas. A cortina também deixa o local mais delicado e o tapete contribui para que o local fique bem confortável”, diz Laura.

Izabel Souki aposta na multifuncionalidade para fazer a composição. “O espaço reduzido faz com que cada centímetro do ambiente seja aproveitado com sabedoria, evitando o acúmulo de objetos e móveis. Além de bonitos, os móveis devem ser multifuncionais e facilitar a vida do proprietário do quarto. Para isso, vale usar a criatividade e descobrir novas utilidades para móveis já existentes no ambiente.”

Segundo a especialista, atualmente, existe uma gama deles que possibilita criar ambientes sofisticados e confortáveis. Alguns, por exemplo, podem ser utilizados de diversas formas. “Como cama com estante em sua lateral, prateleiras acopladas à cabeceira e cama que se transforma em mesa de estudos. Para aproveitar melhor os espaços, uma ótima opção é investir na personalização dos móveis planejados para o ambiente”, indica Izabel.

O que não pode faltar

Móveis planejados são indispensáveis para aproveitar ao máximo todos os cantos do quarto - Eduardo Almeida/RA Studio Móveis planejados são indispensáveis para aproveitar ao máximo todos os cantos do quarto
Em ambiente pequeno, como o espaço de circulação tem muito valor, é imprescindível evitar móveis e adornos grandes, como ressalta Izabel. “A falta de circulação, além de criar desconforto, polui o ambiente. Por isso, os móveis sob medida são os melhores para esses espaços pequenos.”

Nesses locais, é possível, ainda, trabalhar um pouco mais as paredes e marcenarias com detalhes, segundo a especialista. “Em geral, os armários ocupam bastante espaço no quarto. Por isso, quando ele é bem desenhado e com espaços internos bem projetados, conforme a necessidade de quem vai usá-lo, conseguimos reduzir um pouco ou ainda fazer caber mais objetos naquele espaço”, conta Izabel.

Além da cama e dos armários, a televisão é outro objeto que é bastante colocado nos quartos, como observa a especialista. “Para isso, é necessário prever fiações de elétrica e lógica. A automação de áudio, vídeo e iluminação também tem sido usada em quartos, sejam eles pequenos ou grandes”, completa.

Um projeto bem elaborado abrange todos esses aspectos, como reitera Izabel Souki. “A funcionalidade está diretamente ligada ao estilo de vida de quem vai usar o ambiente. Por isso, é preciso saber as necessidades de cliente. Já o conforto, conseguimos usando mobiliários com medidas adequadas e material que traz requinte e conforto. A praticidade está em algumas ideias para facilitar o dia a dia do cliente.”

Os valores para fazer esse tipo de projeto e sua execução vão depender dos profissionais envolvidos, da região e dos fornecedores contratados. “Para conseguir a execução de um projeto dentro da verba disponível, é preciso pensar o projeto dentro das limitações financeiras”, diz Izabel.

CUSTO

Para tornar o ambiente confortável, prático, funcional e, ao mesmo tempo, barato, Fabiana aconselha que se abuse de texturas aconchegantes na colcha, em cortina e almofadas. “São itens baratos e que valorizam o espaço. E, para deixar o quarto bem prático, uma boa iluminação é imprescindível. Um projeto bacana pode girar em torno de R$ 10 mil a R$ 15 mil. Vai depender da demanda e do perfil do cliente”, informa.

Valéria Alves conta que o profissional vai ajudar a viabilizar o projeto, de maneira a resultar em um espaço confortável, cômodo, prático e belo, como deve ser o ambiente. “Com a ajuda do profissional, a possibilidade de um projeto visando bom custo-benefício será maior.”

Eduardo Almeida/RA Studio
Palavra de especialista - Cioli Cassius Stancioli, arquiteto


Segredos para fazer bonito

Aos pequenos espaços, especial atenção deve ser dada a cores, mobiliário e iluminação. Uso de móveis que possam ser escamoteados ou ter mais de uma função, como estação de trabalho sob cama suspensa ou uma cama que se transforma, por exemplo, em um painel. Atualmente, já existem várias opções de mobiliário, incluindo os multifuncionais, no comércio. Porém, pensando em alternativas para espaços pequenos, a melhor ainda é recorrer a marcenarias com mobiliário sob medida. Não só para espaços pequenos, mas, especialmente para estes, o acabamento deve ser impecável, pensado ainda em não gerar pontas, aparas ou obstáculos que dificultem a circulação, especialmente se o quarto for para crianças. No quesito acabamento, deve ser utilizado material adequado para que o mobiliário seja durável e não fique vulnerável a riscos, arranhões e pequenos amassados, o que ocorre com mais frequência em locais mais apertados. Um bom exemplo é a laca, fosca ou brilhante, que é uma ótima opção e que agrega elegância e valor ao mobiliário, mas não deve ser utilizada em todas as partes do móvel.

Tome nota
Profissionais dão dicas para ter um quarto pequeno aconchegante

» Saiba exatamente as suas necessidades ou de quem vai utilizar o espaço para não colocar móveis e objetos em demasia. Cada centímetro deverá ser bem aproveitado

» Aposte em móveis sob medida para aproveitar bem espaços internos e externos

» Invista em cores claras e no uso de espelhos (como na frente das portas dos armários). Esses recursos podem ajudar, e muito, na sensação de amplitude do ambiente

» Recorra a produtos em módulos, como armários, nichos e gaveteiros com rodízios, em tamanhos reduzidos, que podem ser acomodados juntos ou separados, e sua formatação dentro do ambiente pode ser feita por qualquer pessoa

» Deixe tudo à mão, porém, guardado. Tudo deve ter seu devido lugar. E lembre que você precisa circular no ambiente. Por isso, deixe as passagens desobstruídas

» Invista em uma iluminação adequada. O recurso não somente aumenta a sensação de amplitude, como também ajuda a criar cenário e climas diferenciados
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura