Mais cor para portadores de Down

Décor Solidário 2018 vai contemplar associação voltada para pessoas com deficiência

Projeto revitaliza imóvel, deixando cômodos mais funcionais, práticos e bem arrumados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 02/07/2018 09:04 / atualizado em 02/07/2018 12:12 Joana Gontijo /Lugar Certo
Ao todo, 18 ambientes do Instituto Viva Down sofrerão intervenção por 20 profissionais - Aline Resende/Divulgação Ao todo, 18 ambientes do Instituto Viva Down sofrerão intervenção por 20 profissionais

Estar em um lugar agradável alegra qualquer um. Quando o espaço ganha personalidade e faz com que o usuário se identifique com ele, a experiência certamente é de bem-estar. É o sentido de estar pertencido. Atualmente, a casa tem novos contornos, a decoração se torna cada vez mais acessível e a diferença se faz nos pormenores. Mais do que isso, o design de interiores já é encarado como ferramenta transformadora, que, ao tirar a impessoalidade dos ambientes, é capaz de favorecer a autoestima das pessoas, deixá-las felizes, tranquilas e dispostas, na medida em que estimula o convívio e a interação. Diante de uma rotina tão intensa, renovar o meio em que se vive, muito além da estética, influencia na própria saúde, como um ato verdadeiro de cuidado e afeto.

Aline Resende/Divulgação

Em sua quinta edição, o Décor Solidário aposta nas boas ações. O projeto acredita que um trabalho bem executado, que deixe os cômodos funcionais, práticos e bem arrumados, melhora o dia a dia, assim desfrutado com mais prazer. Desde 2014, a iniciativa reúne arquitetos, designers, paisagistas, engenheiros e empresas, marcas e prestadores de serviço parceiros para revitalizar, de forma gratuita, instituições que estejam precisando de apoio. Com um time de peso, já modificou um lar de idosas, um abrigo para crianças, uma entidade que recebe mulheres em situação de violência doméstica e um centro cultural para senhoras. Agora, aporta no Instituto Viva Down, no Cidade Nova, em Belo Horizonte, com uma marca de ineditismo. É a primeira vez que a ação irá contemplar uma associação voltada a pessoas com deficiência, além de ser a estreia em uma organização que acaba de nascer.


O Viva Down foi inaugurado em 19 de dezembro de 2017 a partir da atitude de um grupo de mães de portadores da síndrome de Down. A casa para abrigar a sede foi conseguida em abril deste ano e, mesmo em pouco tempo, já atende a aproximadamente 60 famílias. “Esta quinta edição está sendo muito especial para nós. Estamos muito orgulhosos dessa trajetória de cinco anos. E não poderia ter um encontro mais feliz para celebrar esta data significativa do que com o Instituto Viva Down. Participamos, afinal, do nascimento do instituto e criando a possibilidade dele poder acontecer. Inclusive, remanejamos a agenda deste ano para ser o quanto antes, já que as crianças necessitam desse espaço”, diz a designer de interiores Fabiana Visacro, coordenadora do Décor Solidário.

VALORIZAÇÃO

Para Fabiana, o cenário onde se decorrem as experiências diárias é invariavelmente responsável para que as mudanças aconteçam de dentro para fora, mas também no caminho contrário, pela percepção do que está em volta e que adentra pela alma. "Nossa intenção é fazer com que esses espaços sejam uma maneira das pessoas se sentirem valorizadas, olhadas, cuidadas, dignas e merecedoras, ocupando um lugar que foi concebido com todo carinho para elas. A premissa é proporcionar uma visão diferente para o que já conhecem, só que agora com uma perspectiva transformadora até na própria maneira de encarar a vida", afirma.

Aline Resende/Divulgação

Já estão definidos 20 profissionais participantes e os ambientes que cada um assume para a intervenção, em um total de 18 cômodos. O planejamento é recriar a funcionalidade do imóvel com ideias lúdicas, que aparecerão em harmonizações de fachada, garagem, entrada, recepção, escadaria, sala de dança, sala de integração sensorial, banheiros, salas da diretoria e de informática, copa,cozinhas, jardim, terraço e quarto.

Oficinas culinárias, aulas de música, arte, expressão corporal, criatividade, amadurecimento dos atendidos pelo instituto, além de turmas de cidadania, informática e assistência essencial para o desenvolvimento das pessoas com deficiência que, muitos bebês e crianças, necessitam de fonoaudiólogos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. São apenas algumas das ações entre uma série de atividades que serão possíveis de ocorrer com a reforma da casa. Haverá ainda serviços de suporte aos familiares com psicólogos e uma advogada.

Aline Resende/Divulgação

Para a idealizadora e presidente do Viva Down, Iracema Machado Carmo, o momento é de muita alegria e satisfação. Ela revela que, sem o Décor Solidário, não existiriam condições ideais para acolher os jovens e seus parentes. "A ajuda do projeto está sendo um verdadeiro pontapé inicial para que possamos ter a força necessária para alcançarmos nosso objetivo, que é darmos uma segunda casa para nossas crianças e adolescentes. Um local agradável onde possam, além de tudo, serem felizes e se sentirem incluídos”, comemora.

AJUDA

Como se trata de um projeto que depende inteiramente de doações, nessa fase toda e qualquer ajuda é bem-vinda e, com demandas das mais diversas, quem estiver interessado tem muitas maneiras de entrar no time da solidariedade. O Décor Solidário, enfim, é viável com o trabalho de parceiros e voluntários, além do imprescindível apoio da população. Mesmo com a disponibilização de materiais e produtos de diversas lojas do mercado de arquitetura e decoração, nem tudo é suprido. Por isso, a equipe conclama aos espíritos generosos um auxílio precioso.

Aline Resende/Divulgação

Por ora, os materiais que o projeto precisa são: cinco latas de massa corrida; cinco latas de tinta epóxi para piso; cinco latas de tinta epóxi para portas; uma lata de tinta lousa; cinco latas de tinta branco neve; quatro ventiladores de teto; grades de proteção; marcenaria; mobiliário; tapete; espelho; acessórios para banheiros; assentos sanitários; box para banheiro e luminárias.

Aline Resende/Divulgação

Na opinião de Fabiana Visacro, a importância maior do Décor Solidário é, através da decoração, mostrar o cuidado e o compromisso de cada profissional com o projeto e com quem vai usufruir o ambiente. "É um grande poder transformador. Um planejamento benfeito, bonito, pensado para os usuários, resulta em um espaço digno e que atende a diversas necessidades, melhorando a logística do dia a dia e possibilitando até a introdução de novas atividades. As pessoas acabam se descobrindo capazes de fazer coisas antes impensáveis", finaliza.

Para participar, é so entrar em contato com Fabiano Visacro, pelo (31) 98315.2797, ou acessar o site do projeto: decorsolidario.com.br. O ideal é que as contribuições sejam feitas até o proximo dia 10 de julho.

Confira a lista de ambientes e profissionais do Décor Solidário 2018: 

Fachada e garagem: Marcos Anthony e Eliana Braga
Entrada: Analu Guimarães
Recepção: Luciano Costa
Escadaria: Luciano Costa
Sala de dança: Cláudia Zócoli
Sala de integração sensorial: Anna de Matos, Cláudia Aragão e Erika Medeiros
Banheiro da Sala Sensorial: Isabela Canaan
Banheiro do primeiro andar: Everaldo Ammorin, Silvana Mendes e Wesley Santtos
Sala da diretoria: Nina Abadjieff
Sala de informática: Everaldo Ammorin, Silvana Mendes e Wesley Santtos
Copa: Roberta Cavina
Cozinha: Anna de Matos, Cláudia Aragão e Erika Medeiros
Jardim: Andréia Campolina
Terraço: Cida Teles, Fátima Gomes e Rosinha Houri
Cozinha do terraço: Deusicléia Horta
Banheiro da Neidinha: Fabiana Visacro
Quarto da Neidinha: Fabiana Visacro
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
21 de julho de 2019
08 de julho de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura