Venda de material de construção desacelera

Estimativas de expansão do segmento para este ano são reavaliadas em função do baixo índice registrado no primeiro semestre

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 08/09/2011 14:44 Humberto Siqueira /Estado de Minas
Só os produtos para acabamento não sofreram impactos, tendo registrado aumento no faturamento em julho comparado ao mesmo mês do ano passado - Marcos Michelin/EM/D.A Press Só os produtos para acabamento não sofreram impactos, tendo registrado aumento no faturamento em julho comparado ao mesmo mês do ano passado

O resultado acumulado das vendas totais de material de construção este ano vem apresentando, até o momento, um crescimento abaixo das expectativas, em comparação com o ano passado. A Associação Brasileira de Materiais de Construção (Abramat) diminuiu a previsão de crescimento do setor de 7% para 5%, mas registrou expansão de apenas 0,90% no primeiro semestre. Mas o resultado já era esperado, segundo Daniel Ítalo Richard Furletti, coordenador sindical do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG). “Como tivemos um resultado expressivo em 2010, criou-se uma base de comparação elevada para este ano. Devemos crescer 5%”, acredita.

Outro dado importante que indica a diminuição das atividades do setor foi a redução nas vendas de material básico, usado nos primeiros estágios da obra. De acordo com o último boletim divulgado pela Abramat, as vendas em julho, comparadas com as do mesmo mês do ano passado, tiveram queda de 2,46%. O faturamento acumulado no período de janeiro a julho de 2011 apresentou queda de 2,82% em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado acumulado nos últimos 12 meses (ago/10 até jul/11) comparado aos 12 meses anteriores (ago/09 a jul/10) caiu 1,41%.

Leia a continuação desta matéria:
Imóveis com preços entre R$ 100 mil e R$ 250 mil tiveram seus lançamentos afetados em BH

Mas segundo o presidente da Abramat, Melvyn Fox, há também boas notícias. “A venda de material básico teve aumento de 1,30%, se comparado com junho. E o nível de emprego nas indústrias de material básico em julho cresceu 6,77%, em relação ao mesmo mês do ano passado. Na comparação com o mês de junho deste ano, houve crescimento de 0,47%”, pondera.

Melvyn Fox, presidente da Abramat - Abramat/Divulgação" title="Abramat/Divulgação" /> "No início de 2009 tivemos muitos lançamentos. Hoje, essas obras estão em fase de conclusão" - Melvyn Fox, presidente da Abramat
Ele explica que a construção civil vive de ciclos. “No início de 2009 tivemos muitos lançamentos. Hoje, essas obras estão em fase de conclusão”, avalia. Em julho, o desempenho das vendas internas de material de acabamento superou o atingido pelo material básico em todos os indicadores. Na comparação do nível de emprego atual com o do mesmo mês do ano passado, porém, as indústrias de material básico apresentaram maior crescimento.

VENDAS

O faturamento com vendas internas de material de acabamento em julho cresceu 11,71% em relação a julho do ano passado. O resultado acumulado no período de janeiro a julho deste ano apresentou crescimento de 8,51% em relação ao mesmo período do ano passado. Na comparação com junho deste ano, houve crescimento de 5,08%. O resultado acumulado nos últimos 12 meses (ago/10 a jul/11), comparado ao resultado dos 12 meses anteriores (ago/09 a jul/10), apresentou crescimento de 11,04%.

Na avaliação dos empregos formais do setor, o número de funcionários da indústria de material de acabamento apresentou crescimento de 3,56% em julho de 2011, comparado ao mesmo mês de 2010. Na comparação com junho de 2011, teve expansão de 1,28%.

Tags: construção

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Carlos - 09 de Setembro às 13:48
Parabéns ao EM pela matéria, pois essa vem sendo a realidade do mercado de construção, que está em queda livre desde o final de 2010. E essa cenário, segundo representantes do setor, deve durar de 4 a 5 anos... Esta informação está disponível no excelente blog www.observadordomercado.blogspot.com

Últimas Notícias

ver todas
21 de novembro de 2019
28 de outubro de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura