Aliado das vendas

Maquete 3D permite visualizar o prédio e detalhes em vários ângulos

Ferramenta agiliza decisão de compra

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 24/12/2013 09:00 / atualizado em 24/12/2013 09:16 Celina Aquino /Estado de Minas
Filipearcanjo/Reprodução

Não é de estranhar a insegurança que surge na hora de comprar um imóvel na planta. Unidade decorada e maquete permitem a visualização do espaço interno e da fachada, respectivamente, mas as áreas comuns não costumam ser contempladas. Para ajudar ainda mais o cliente no momento da decisão, as construtoras agora investem em tecnologia três dimensões (3D).

Parece mágica: o cliente aponta o tablet para uma mesa, o tampo se abre e o prédio surge na tela em 3D. À medida que dá a volta pelo móvel com o dispositivo em mãos, ele consegue ver o empreendimento em todos os ângulos. É assim que funciona a maquete virtual instalada no estande de vendas do edifício comercial Boss – Buritis Office Solutions, da Tetum Engenharia. “As pessoas definem a sala que vão comprar pelas vagas de garagem. Como são vários níveis, a ferramenta permite enxergar todos os portões de entrada, o acesso de carga e descarga e entender, por exemplo, como um motoboy entraria com encomenda”, avalia a coordenadora de marketing do Grupo Somattos, Patrícia Freitas. Em menos de um mês, foram vendidos mais de 70% do primeiro empreendimento da construtora a contar com o recurso 3D, lançado em outubro. Patrícia entende que a tecnologia ajudou na velocidade de venda.

O que também surpreendeu a Tetum Engenharia foi o interesse de clientes de todas as idades em conhecer o produto por meio da ferramenta interativa. Além de enxergar todos os ângulos, é possível aproximar a imagem em qualquer ponto em que haja necessidade de ver detalhes, o que facilita o entendimento do projeto.


Os visitantes também podem fazer uma imersão com tablet em todos os ambientes, caminhando e se movimentando pelo estande como se estivesse dentro do empreendimento. “O processo de venda fica menos pragmático quando o foco não são tabelas, números e plantas. Acaba virando uma brincadeira”, comenta Patrícia. A coordenadora de marketing adianta que a tecnologia será usada para o lançamento de um prédio residencial no ano que vem.

APELO VISUAL
Patrícia Freitas, coordenadora de marketing do Grupo Somattos: tecnologia ajudou na velocidade de comercialização de um edifício  - Euler Júnior/EM/D.A Press Patrícia Freitas, coordenadora de marketing do Grupo Somattos: tecnologia ajudou na velocidade de comercialização de um edifício

Ao perceber que a tecnologia caminhava para o 3D, com o conceito de realidade aumentada, o diretor da empresa especializada em inteligência corporativa Ledcorp, José Lúcio Balbi de Mello, se apressou para lançar, há três anos, a plataforma LedMídia. Ao apontar o smartphone ou o tablet para o código impresso em jornal ou folder, por exemplo, o cliente consegue visualizar o imóvel em 3D. Aproximar o dispositivo do papel dá zoom na imagem, assim como rodar o anúncio permite enxergar o empreendimento em todos os ângulos. “É preciso apelar para o desejo do consumidor, principalmente quem está vendendo um imóvel que vai ficar pronto daqui a dois anos. O cliente quer mostrar o apartamento para parentes ou para a decoradora antes de ele ser construído. Passar segurança é um diferencial muito grande”, pontua Mello.

Para a Patrimar Engenharia, que oferece empreendimentos de alto padrão, usar a tecnologia 3D é quase obrigatório. “Dá uma realidade maior para o cliente do empreendimento que nem começou a ser construído e mostra fidelidade ao que vai ser entregue. Assim, ele tem noção do que está comprando”, ressalta a gerente de marketing da Patrimar, Larissa Castro. Dependendo da estratégia, a empresa monta no estande de vendas salas especiais em que o visitante senta em poltronas para assistir a vídeos em 3D ou telas sensíveis ao toque para que ele possa passear pelos ambientes. Com o lançamento do Edifício Springfield, no Bairro Cidade Jardim, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, vem uma novidade: o tapume vai conter um código lido por dispositivos móveis (QR code) para que o público possa ter acesso em qualquer lugar a um tour virtual. A construtora já utiliza a ferramenta em folders, anúncios e até sacos de pão.
Divulgação

Tags: tecnologia

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
14 de agosto de 2018
13 de agosto de 2018