Bons fluidos

Livro traz receitas populares e cuidados para ter uma morada harmônica e saudável

Com sensibilidade, arquiteto lança obra que sintetiza terapias da casa, ecologia e bem-estar. Para Carlos Solano, o lar vai muito além das paredes e do design, e precisa ser significativo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 07/07/2014 13:21 / atualizado em 07/07/2014 13:31 Lilian Monteiro /Estado de Minas
SXC.hu/Banco de Imagens
Para Carlos Solano, uma casa apenas funcional não tem nada de especial. "É obrigação da arquitetura. O lugar onde se mora precisa ser significativo." Sabedoria do arquiteto de olhar sensível, que enxerga a morada além das paredes e do design. Ele valoriza a harmonização da casa com a vida. Com experiência e dicas preciosas, Solano lança no dia 26 o livro Casa natural, apresentado em dois volumes.

No primeiro, ele revela os saberes de dona Francisca, sua faxineira sabe-tudo, a quem chama de "um anjo da guarda que me marcou profundamente". Pela voz de dona Francisca ele mostra receitas de bem viver, como faxinas purificantes, quitutes e bênçãos com ervas e flores. No segundo, a leitura resgata receitas da cultura popular, de tias, avós e gente simples do interior do país e de cuidados com a morada, e sintetiza terapias da casa, jardinagem, ecologia e bem-estar. O livro é um compêndio da trajetória de um arquiteto que ama a casa, o planeta e a vida.
Beto Novaes/EM/D.A Press - 14/9/12
Solano diz que a proposta do livro é "que as pessoas possam ter acesso rápido, leve e agradável para a melhora imediata da vida delas e da casa, sem precisar de cursos ou de viagens à caça de receitas e conhecimentos antigos para preservar. São informações simples e úteis para a qualidade ambiental da casa, que é interligada com a vida". Ele reforça que tratar da qualidade da morada reflete-se no movimento da vida e do bem-estar emocional e mental, que é projetado no lugar. "É importante fazer esse diálogo conscientemente."

Para o arquiteto Carlos Solano, o lugar onde se mora precisa ser significativo - Beto Novaes/EM/D.A Press - 14/9/12 Para o arquiteto Carlos Solano, o lugar onde se mora precisa ser significativo
O livro Casa natural é uma delícia de ler. Além do conteúdo, graficamente é encantador, com fotos lindas e ilustrações delicadas. É o tipo de leitura que não precisa de sequência: o leitor pode abrir em qualquer página e seguir em frente. É também para ser consultado ao longo da vida, por ser cheio de ideias, propostas e dicas simples, mas essenciais para o dia a dia. "Simplicidade rima com felicidade. O simples é um grande desafio diante da vida agitada e corrida, mas esse caminho de resgate é fundamental."

No volume 2, Solano dá atenção especial à natureza. "É impossível desvincular a postura ecológica do bem-estar. Eles andam juntos. É preciso ter consciência de que, ao usar vinagre ou bicarbonato na limpeza da casa não vai poluir a terra, a casa não vai se intoxicar com o cheiro exalado dos produtos químicos. A água está em risco, então, antes de lavar as vasilhas. Vamos retirar os restos de comida, ensaboar e só depois abrir a torneira."

CHEIROS

Solano brinda os leitores com uma lista de objetos que fazem a diferença em casa. Ele indica um cesto vazio, logo à entrada das casas, com uma função simbólica de depositar ali as tensões, medos e mágoas e entrar naquela morada de coração limpo e alma lavada. Na saída, podem-se deixar no cesto os melhores votos. Ele pede para deixar à mostra, no meio da sala, um objeto inútil. Não uma quinquilharia, mas algo sem função prática, mas que encante e, por isso, estimule a lembrar uma pessoa ou momento especial. "É preciso dar sentido às coisas que o cercam, objetos de boas lembranças, memórias e que correspondam ou almejam um futuro. O legal é que carreguem mensagens e não sejam apenas decorativos. Só não abram mão da beleza, ela é fundamental."
Beto Novaes/EM/D.A Press - 14/9/12
Assim como os cheiros, que, conforme o arquiteto, "tocam o cérebro de imediato e modificam o estado de ânimo e a relação com o lugar". Aroma de limão revitaliza, a tangerina conforta, a rosa e o jasmim liberam bloqueios e elevam a autoestima e, de quebra, são afrodisíacos. O sândalo é contra o medo e o cedro combate o estresse. Essas são pequenas mostras de um conteúdo rico e recheado de boas ideais. Vale conferir.

RECEITAS

1) Limpeza não poluente: Cá em Minas, a mãe da Agostinha usa como desinfetante um chá forte de folhas de eucalipto perfumado. A casa fica num perfume só. A Renata, caprichosa, faz faxina com água e vinagre branco (a gosto), que limpa geladeira, cerâmica, vidro de janela, vaso sanitário e lavatório (é só deixar de molho por algumas horas) e ainda amacia e mantém a cor da roupa. O banheiro, ela escova com bicarbonato de sódio.
SXC.hu/Banco de Imagens
2) Jardinagem: A jardinagem é hoje o lazer que mais cresce no mundo, mesmo entre pessoas que vivem em apartamentos. Até quem não leva jeito, pressente: cultivar a beleza viva das plantas é cultivar a vida em sua plenitude. Quer samambaias mais exuberantes? Regue-as, de vez em quando, com um copo de água acrescido de uma colherzinha de chá de sal e outra de açúcar. Ou então regue, a cada 25 dias, com o suco de um limão misturado em cinco litros de água. Sabe aquele restinho de leite? E a água da lavagem do arroz e do macarrão? Se diluídos, eles também agradam às samambaias.

Reprodução
SERVIÇO

Livro: Casa natural
Autor: Carlos Solano
Editora: Editora do Autor
Volumes: I (224 páginas) e II (208 páginas)
Preço sugerido: R$ 120
Lançamento: dia 26
Horário: das 9h às 12h30
Local: Kahlúa - Cafés Especiais, Rua dos Guajajaras, 416

Tags: arquitetura

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
17 de junho de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura