Sem perder o clima bucólico

Coração Eucarístico preserva o ar interiorano, ao lado de opções de comércio e diversão

Carinhosamente apelidado de "Coréu", bairro na Região Noroeste de BH se destaca por uma gama de lojas e formas de entretenimento, além da presença da PUC Minas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 05/01/2015 12:10 / atualizado em 05/01/2015 14:55 Marcus Celestino /Estado de Minas
Pracinha do Coréu tem vários barzinhos e lojinhas em seu entorno e é ponto de encontro para os moradores - Cristina Horta/EM/D.A Press
Pracinha do Coréu tem vários barzinhos e lojinhas em seu entorno e é ponto de encontro para os moradores
Carinhosamente apelidado de “Coréu” pelos mais chegados, o Coração Eucarístico (Região Noroeste de Belo Horizonte) tem algo que pouquíssimos bairros de Belo Horizonte conseguiram conservar ao longo dos anos: o ar interiorano. Delimitado por um pequeno espaço territorial, o bairro conta com charmosos prédios antigos de usuais três andares e casas igualmente fascinantes. O pequeno comércio comandado por famílias ainda predomina, mas estabelecimentos maiores também fazem parte da paisagem. Ah, e não podemos nos esquecer do belíssimo câmpus da Pontifícia Universidade Católica(PUC) – presente desde julho de 1958 e o maior dos câmpus da instituição no estado –, intrínseco à beleza provinciana do bairro.


Com moradores das classes média e alta, o Coréu, além disso, é um bairro nobre, de alto nível intelectual. “Temos muitos estudantes e professores universitários que moram no Coração Eucarístico e também membros do corpo diretivo da universidade. Por isso, a clientela tem um perfil muito exigente”, destaca Arthur Orlando Faleiro Santos, sócio-proprietário da Netimóveis localizada no bairro. Exatamente por ser morada de número considerável de pessoas ligadas à PUC, a tendência é de que opções culturais sejam abundantes na região. Contudo, apenas o Museu de Ciências Naturais da própria instituição é capaz de oferecer algo para os cérebros ávidos por conhecimento. Mesmo assim, os clientes desfrutam de uma boa gama de opções de comércio e entretenimento.


“O bairro é completo em termos de estabelecimentos comerciais que atendem de maneira satisfatória os seus moradores”, frisa Faleiro Santos. O Coração Eucarístico, de fato, conta com supermercados e farmácias pertencentes às grandes redes, padarias, restaurantes e bares concentrados, em sua maioria, na tradicionalíssima Praça da Federação. Recanto boêmio do bairro, a vulgarmente conhecida como Pracinha do Coréu reúne diversos barzinhos já tradicionais na região. Residentes, universitários e moradores de outros logradouros se reúnem frequentemente por lá para tomar uma cerveja bem gelada e petiscar algumas das porções mais fartas e baratas de toda a capital.

LOCOMOÇÃO

Apesar de muitos reclamarem do ambiente desértico nos fins de semana e nos períodos de férias da universidade, pela facilitação da atividade de criminosos nos arredores, a calmaria recria de maneira ainda mais fiel o aconchegante clima de interior do Coração Eucarístico. Suas edificações, aliadas à calmaria, trazem um bucolismo raro de se ver numa grande capital. Isso acaba sendo um tanto quanto prejudicial também quando se trata dos transportes. Se, durante semanas movimentadas, muitos já demandam mais linhas de ônibus para abastecer o Coréu, nos dias mais sossegados a situação se agrava.
Cristina Horta/EM/D.A Press
Por falar em locomoção, o bairro está bem próximo da Via Expressa e da Avenida Amazonas, facilitador quando você quer ter mais opções de transporte público. A estação de metrô da Gameleira também fica bem pertinho, servindo de alternativa para quem anseia por ir ao Centro da cidade, assistir a um filminho no Boulevard ou a uma peleja futebolística na Arena Independência. Ir para a Zona Sul, contudo, é um tanto chato. De dentro do bairro, há o infame 4111, que dá voltas e mais voltas por BH até chegar ao seu destino final. “Esse é um problema enfrentado por causa do trajeto do ônibus. Se existisse uma linha rápida para a Savassi, que fosse pela Avenida Amazonas, facilitaria demais a vida dos usuários”, comenta Arthur Orlando.

REPÚBLICAS E EMPREENDIMENTOS

Um dogma presente nas cabeças de quem não conhece a fundo o Coração Eucarístico consiste na alegada baderna provocada pelas repúblicas estudantis. No entanto, Faleiro Santos ressalta que o índice de reclamações sobre elas é ínfimo. “A república tem dois aspectos antagônicos. Muitos não gostam por causa do comportamento, do barulho, mas o percentual de reclamação é muito baixo. Por outro lado, como os pais geralmente efetuam o pagamento do aluguel, a inadimplência é quase zero”, elucida o empreendedor, que diz administrar mais de 500 repúblicas e ter recebido menos de cinco protestos formais contra essas.
Prédios residenciais predominam no bairro. Ao fundo, a imponente sede da PUC Minas - Cristina Horta/EM/D.A Press Prédios residenciais predominam no bairro. Ao fundo, a imponente sede da PUC Minas
Quanto aos empreendimentos no bairro, existe boa oferta de apartamentos de três e quatro quartos em prédios que propiciam aos moradores boas áreas de lazer. Ainda há grande demanda por casas, mas a oferta é muito pequena, o que acaba por dificultar a vida de quem busca uma residência mais ampla e privada na região. O metro quadrado no bairro começa em R$ 4 mil (para os imóveis mais antigos) e varia entre R$ 6,5 mil e R$ 8 mil para edificações novas. Se a calmaria em meio à tempestade urbana o contagiou, é mais do que válido buscar um imóvel nesse simpático logradouro. Para os menos familiarizados, Coração Eucarístico. Para os íntimos Coréu, muito prazer.

MORANDO AQUI

Carolina Sanches
Jornalista


Um ponto positivo é o movimento de pessoas. Durante o período de aulas, dá pra sair tranquilamente no bairro e andar sem problemas a qualquer hora do dia. Mas, nas férias, o bairro se torna um deserto e fica um pouco assustador. Mas, no geral, o bairro tem todo tipo de comércio, muitas linhas de ônibus e um clima de cidade pequena.

Bruna Carrusca Teatini
Universitária

O Coração Eucarístico é um bairro um tanto quanto aconchegante por ser movido, muitas vezes, pelos universitários. No Coréu, temos variados bares, academias, farmácias e supermercados, tornando-o prático para quem vive nele. Mesmo, assim o considero um bairro muito vulnerável em termos de assaltos, o que faz com que os moradores fiquem acuados em suas residências.

Fernanda Costa e Silva
Universitária

O bairro atende bem aos estudantes que vêm do interior para Belo Horizonte com o objetivo de estudar na PUC. O clima jovem do local ajuda na fase de adaptação de sair da casa dos pais para, na maioria das vezes, morar sozinho ou em república. O Coréu conta com estação de metrô próxima e várias opções para se divertir, como os bares da praça principal e diversos restaurantes. Porém, o período das férias torna-se um problema, já que o bairro fica pouco movimentado e a criminalidade na região aumenta.

Tags: bairro

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
patrick - 06 de Janeiro às 15:31
Só faltou falar da bandidagem.

Últimas Notícias

ver todas
16 de dezembro de 2018
15 de dezembro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura