Economia

Iluminação ecologicamente correta é tendência que ajuda no bolso

Com o fim da fabricação e comercialização das tradicionais e pouco eficientes lâmpadas incandescentes, em 2016, investir um pouco mais na hora de substituí-las pode significar economia a longo prazo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 08/12/2015 17:00 / atualizado em 21/12/2015 17:04 Gustavo Perucci /Estado de Minas

OSRAM/Divulgação
Com o fim das tradicionais lâmpadas incandescentes, que foram banidas do país e, a partir do ano que vem, não serão mais fabricadas nem comercializadas, é bom ficar atento aos tipos e consumo na hora da troca. No mercado existe três opções disponíveis, e a atenção deve se voltar para a equação custo e eficiência energética. E, entre a halógena, a fluorescente compacta e a de Led, qual escolher?

Para se ter uma ideia da pouca eficiência das lâmpadas incandescentes, somente 5% da energia que elas consomem vira luz. O resto se dispersa como calor. Vantagens como atingir o fluxo luminoso máximo logo após o acionamento e ter luz amarela, mais agradável aos olhos humanos, não compensam quando se pensa em durabilidade e sustentabilidade.

Mesmo que as concorrentes não consigam competir na questão do preço, a economia a longo prazo compensa. Quer economizar energia? Então é importante ficar atento ao tipo de material que vai utilizar em casa. Ter um projeto de iluminação bem planejado, além de ficar esteticamente agradável e proporcionar conforto e segurança, valorizando detalhes arquitetônicos, já pode ajudar no aproveitamento mais racional da energia. Mas o tipo de lâmpada ainda faz toda a diferença.

Confira os três tipo de lâmpadas disponíveis no mercado para substituir as obsoletas incandescentes (usando o padrão mais comum nas casas brasileiras, de 60 W):

OSRAM/Divulgação
HALÓGENA

Além de possuir o fluxo luminoso imediato, como as incandescentes, seu índice de reprodução de cor (IRC) também é de 100%. Sua equivalente à incandescente de 60 W é a de 42 W. Com vida útil de cerca de mil horas, essas lâmpadas representam uma economia de consumo de energia de cerca de 30%.

 

OSRAM/Divulgação
FLUORESCENTE COMPACTA
Para substituir a incandescente de 60 W, compre a versão da fluorescente compacte de 15 W. A economia é de cerca de 80% de consumo. Uma das desvantagens é o tempo (cerca de dois minutos) para atingir seu máximo. Acender e apagar com frequência reduz sua vida útil, que é cerca de oito mil horas. O IRC não é tão bom quanto as outras, cerca de 80%, mas existem opções de cor branca, neutra e amareladas.

 

OSRAM/Divulgação
LED
Modelo mais novo a chegar no mercado, as lâmpadas de Led vieram para ficar. Para se iluminar o mesmo que a incandescente de 60 W, são necessário somente 10 W. A economia na conta passa dos 80%. Com opções de cor que vão da branca às amareladas, ela atinge seu máximo no momento do acionamento. Como as fluorescentes compactas, tem o IRC de 80%. Além da alta eficiência energética, uma das grandes vantagens da lâmpada de Led está na vida útil: cerca de 25 mil horas.

Tags: elétrica energia economia iluminação lâmpadas

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
14 de agosto de 2018
13 de agosto de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura