Belo Horizonte

Com poucas ofertas de terrenos na Região Centro-Sul, construtoras investem em outras áreas

Empresas têm critérios bem determinados, como renda e tipo de imóvel mais buscado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 20/02/2016 14:30 / atualizado em 20/02/2016 14:53 Gustavo Perucci /Estado de Minas
Perspectiva do Residencial Tauros, empreendimento da MRV no Bairro Cabral: em menos de uma semana depois do pré-lançamento 25% das unidades estavam reservadas - Divulgação Perspectiva do Residencial Tauros, empreendimento da MRV no Bairro Cabral: em menos de uma semana depois do pré-lançamento 25% das unidades estavam reservadas

Belo Horizonte cresceu consideravelmente nos últimos anos. E as últimas décadas deixaram clara a tendência de expansão da capital: centralidades fora do circuito Centro-Sul estão cada vez mais valorizadas, ganham vida própria e infraestrutura comparável aos bairros mais tradicionais da cidade. De olho nas oportunidades e demandas do mercado, as incorporadoras imobiliárias têm papel central na transformação urbana de BH.

Vice-presidente do Sindicato da indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), Evandro Veiga Negrão de Lima Júnior explica que os investimentos migrarem da Região Centro-Sul para a periferia é natural. “Não tem como ser diferente, pois a cidade tem uma determinada capacidade. À medida que vai se esgotando a parte central, você tem que migrar para outros polos. Como os terrenos na região central de Belo Horizonte estão cada vez mais escassos e caros, as incorporadoras buscam alternativas que venham atender à demanda do mercado”, completa.

"Nos últimos cinco anos, o Vetor Norte talvez tenha sido a região que mais atraiu investimentos. E continua crescendo. Tudo ali melhorou: infraestrutura, o acesso, a urbanização" - Evandro Veiga Negrão de Lima Júnior, vice-presidente do Sindicato da indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG)
Segundo Evandro, os primeiros locais a sentir o impacto do aumento de empreendimentos imobiliários são os mais próximos ao Centro. Bairros como Sion, Anchieta, Cruzeiro, Santo Antônio, na Região Centro-Sul, e Gutierrez e Prado, na Oeste, já passaram por essa valorização. “São bairros que cresceram muito e os terrenos já estão caros. À medida que uma região é mais demandada e tem menos ofertas, os investimentos vão migrando para localidades próximas”, aponta.

Foi diante desse cenário que a Concreto Empreendimentos resolveu apostar no Vila da Serra, bairro do município de Nova Lima, próximo ao Belvedere, na Zona Sul de BH. Pioneira nos investimentos na região – a marca da empresa é das primeiras visões de quem chega à vizinhança pela rodovia MG-030 –, a construtora ajudou na consolidação da área como uma das mais cobiçadas pela classe A belo-horizontina.

“Os terrenos ofertados no Vila Serra tinham áreas maiores que proporcionavam uma elaboração de projetos contemplando tudo que o cliente precisava para uma melhor qualidade de vida. É um bairro muito calmo, arborizado, com clima de montanha, que remete ao aconchego do campo, sem deixar de lado a modernidade da cidade. Isso nos motivou a investir na região, e o resultado dessa escolha nos demonstra quão acertada foi a decisão”, afirma Miguel Safar Filho, diretor-geral da Concreto Empreendimentos.

As duas apostas da Concreto no Vila da Serra são os edifícios residenciais de alto luxo Blue Tower Tennis Residencial, pronto para morar, e o lançamento Green Tower Tennis Residence. Os dois empreendimentos contam com lazer completo, my office, apartamentos de mais de 200 metros quadrados e, no mínimo, quatro vagas na garagem. “Diferentemente de quando fizemos os primeiros investimentos, hoje o Vila da Serra é muito mais atrativo. O crescimento trouxe tudo o que ele precisava para sua independência, com muitos pontos comerciais, boas escolas, restaurantes, bancos, hospitais, além de várias linhas de ônibus”, lembra Safar Filho.

Evandro Veiga Negrão de Lima Júnior esclarece que a melhoria de acesso e o maior adensamento populacional acabam estimulando o surgimento de comércio e ofertas de serviços aos bairros em processo de expansão. O vice-presidente do Sinduscon-MG aponta que, atualmente, as construtoras estão voltando sua atenção ao Vetor Norte, que, após melhoria nas vias de tráfego e outros projetos do poder público, vem ganhando cada vez mais destaque no mercado imobiliário. Além de bairros da Região Norte, Nordeste, Venda Nova e Pampulha, o Vetor Norte abriga municípios da Região Metropolitana de BH, como Confins, Capim Branco, Esmeraldas, Jaboticatubas, Lagoa Santa, Ribeirão das Neves, Santa Luzia e Vespasiano. “Nos últimos cinco anos, o Vetor Norte talvez tenha sido a região que mais atraiu investimentos. E continua crescendo. Tudo ali melhorou: infraestrutura, o acesso, a urbanização. Aí, em seguida, veio uma maior oferta de empreendimentos imobiliários”, aponta.
Croqui da fachada do Green Tower Tennis Residence, aposta da Concreto no Bairro Vila da Serra, em Nova Lima, na divisa com a capital - CONCRETO/Divulgação Croqui da fachada do Green Tower Tennis Residence, aposta da Concreto no Bairro Vila da Serra, em Nova Lima, na divisa com a capital

SEM CRISE Sempre atenta às boas oportunidades que o crescimento da capital oferece, a MRV Engenharia vem conseguindo driblar o conturbado cenário econômico brasileiro dos últimos dois anos. E o Vetor Norte vem rendendo bons frutos à construtora. “Em momentos de incerteza de mercado, uma das coisas que as pessoas têm se preocupado muito é com a solidez de quem ela compra. Não tenho o que reclamar da crise. E os empreendimentos no Bairro Castelo têm vendido muito bem”, relata Sandro Perin, gestor executivo comercial da regional Belo Horizonte da empresa.

A aposta da MRV é no ‘primeiro imóvel’. Por isso, boa parte dos investimentos da construtora são de tipologia de dois quartos. Um exemplo é o condomínio fechado Treviso, no Castelo. O empreendimento que conta com 624 unidades de um ou dois quartos, tem área de lazer completa, com salão de festas, playground, espaço fitness e gourmet, piscinas e quadra. Outra aposta da MRV é um complexo de cinco grandes empreendimento no Bairro Cabral, em Contagem, chamado Vale das Estrelas. “Fizemos o pré-lançamento da primeira parte do complexo, O Residencial Tauros. Em menos de uma semana, já está com 25% das unidades reservadas. É um condomínio com lazer completo, em um bairro com infraestrutura boa, próximo ao shopping”, afirma o executivo.

Tags: volta sem caminho descentralização construtoras empresas

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
15 de dezembro de 2018
13 de dezembro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura