Lugar estratégico

Escolher certo o ponto comercial é fundamental para o futuro do negócio

Se a localização apresenta fatores negativos, isso pode comprometer o desempenho das vendas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 10/03/2018 13:25 / atualizado em 10/03/2018 13:29 José Alberto Rodrigues* /Estado de Minas
Ilustração/EM

Na hora de abrir ou expandir um negócio, a escolha de um ponto comercial pode ser uma tarefa complexa e exigir muita atenção. Afinal, a decisão sobre o novo local influenciará diretamente no futuro do negócio. Se a localização apresenta fatores negativos, isso pode comprometer o desempenho das vendas, e consequentemente, a vida útil da empresa.

Caio Simon Rosa, sócio do escritório NB Advogados, salienta que não há uma fórmula que determine o melhor ponto para montar o negócio.“Para a abertura de um espaço deve-se analisar previamente o local e verificar se tem apelo e boa circulação de transeuntes e potenciais consumidores. O mesmo vale para uma unidade comercial em shopping, pois existem nesses locais todos os tipos de pontos, os que atraem mais consumidores por se encontrar por exemplo nas proximidades de uma loja-âncora, e aqueles que ficam em corredores de menor tráfego”, comenta.

Foco muito importante para quem vai locar um ponto comercial é procurar uma boa negociação junto ao proprietário, levando em conta valores com reformas e também os custos adicionais mensais caso o espaço se encontre em um shopping. Isso porque nesses estabelecimentos existem encargos que são cobrados mensalmente, além do aluguel. “Custos fixos com a manutenção do espaço podem atravancar o sucesso de um negócio, pois dificilmente poderão ser renegociados após ter sido firmado o contrato de locação”, ressalta o advogado.

LOCALIZAÇÃO

O sucesso do negócio também depende muito da sua localização. Fazer uma pesquisa de campo é uma boa estratégia para a escolha do ponto. Visitar a região em horários específicos e verificar o fluxo de pessoas e suas movimentações podem influenciar na decisão. “A verificação do local deve ser feita com uma acurada análise do nicho em que se pretende implementar o negócio, com uma pesquisa cuidadosa do público consumidor e de seu potencial de gastos. O ponto deve se encaixar ao empreendimento pretendido, com o correto dimensionamento do local ao negócio e também aos custos que isso significará. O suporte de empresas especializadas na busca de espaços comerciais é sempre uma boa pedida”, aponta Caio Simon Rosa.

O advogado também conta que áreas com maior circulação tendem a atrair mais consumidores e assim mais vendas. Existem, entretanto, locais que mesmo com esses predicados não atendem ao que se pretende com o negócio que está sendo implementando. Existem públicos para cada local e para cada produto, e para tanto, o ponto deve refletir essa realidade.

Cidades como Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro têm locais de atração de consumidores específicos para determinados produtos e serviços. Nesse sentido, é muito importante a correta escolha do ponto quando se quer atrair determinado público.

REGULAMENTAÇÃO

As leis de zoneamento de cada cidade definem regras de ocupação do espaço municipal. Essas leis definem os bairros de uma cidade, que podem ser desenvolvidos com atividades de comércio, indústrias e moradia - sendo algumas dessas localidades de uso misto e algumas de uso restrito.

Para não haver problemas na busca por um ponto comercial para a instalação de uma atividade, é muito importante a análise dessas leis e a verificação da atividade pretendida.

“A burocracia junto à prefeitura de cada município varia muito, não há uma regra. Existem atividades que podem ser exercidas em cada zona, e para sua verificação o site das prefeituras oferece tanto a Lei de Zoneamento como o Plano Gestor para a verificação do código da atividade pretendida. O próximo passo é a apresentação dos documentos que cada prefeitura exige no setor competente para a verificação e análise. Após, caso seja deferido, é expedido o alvará. A contratação de assessoria legal é essencial para que não seja firmado contrato de locação antes de verificar a possibilidade de implementação de um negócio em local não propício ou proibido”, expõe o advogado.

CONTRATO

Após a decisão do local, é hora de fechar o contrato. É um momento em que se deve ficar bastante atento. O sócio do escritório NB Advogados diz que muitos contratos são negociados de qualquer forma, sem que haja a verificação prévia sobre a possibilidade de exercício de uma determinada atividade em uma localidade. Essa responsabilidade não pode ser posteriormente imputada ao locador, pois o inquilino deve verificar junto aos órgãos necessários a viabilidade de um negócio, e daí sim buscar pela assinatura do contrato.

“O que ocorre é que, na pressa, esses contratos de locação são firmados e somente após se buscam informações e alvarás. Não sendo possível a expedição de tais documentos, busca-se a rescisão imotivada do instrumento. O condicionamento do contrato de locação à expedição do alvará de funcionamento de uma atividade é uma alternativa, que deve ser analisada caso a caso”, comenta.

Ao negociar o contrato de aluguel, o inquilino deve verificar se o prazo é suficiente para implementar as melhorias necessárias, e assim sendo, negociar a carência dos primeiros aluguéis. “Os contratos de aluguel podem ser válidos por 12, 18 ou 30 meses, e em sua grande maioria dispensam o inquilino pelo pagamento de multa ao deixar o imóvel após o 12º mês. Havendo controvérsias quanto ao valor da multa a ser paga, é sempre recomendado buscar assessoria jurídica especializada”, finaliza Caio. O seguro de incêndio também é obrigatório, e deve ser contratado pelo inquilino.

* Estagiário sob a supervisão da editora Teresa Caram
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
29 de abril de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura