Ainda jovem

Bairro Castelo, em BH, é hoje muito valorizado e conta com grandes empreendimentos

Bairro na Região da Pampulha foi construído com o loteamento de duas principais fazendas da capital

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 19/01/2015 11:35 / atualizado em 22/01/2015 06:53 Redação Lugar Certo /Estado de Minas
Marcos Vieira/EM/D.A Press
Considerado um “adolescente” em relação aos bairros tradicionais de Belo Horizonte, o Castelo foi construído devido à união de duas grandes fazendas, na década de 1970: a Fazenda Serra, que pertencia à família do coronel Francisco Menezes Filho, e a Fazenda São José, do casal Alípio Ferreira de Mello e Ursulina de Andrade Mello. À época, os herdeiros Menezes receberam uma proposta da Construtora Cinova, primeira loteadora de Belo Horizonte, e resolveram vender suas terras para que os lotes fossem construídos.

De acordo com o empresário Lúcio Souza Assunção, antigo diretor da Cinova, foi feito todo o processo de expansão urbana do bairro, com água, luz e saneamento básico. “Foram feitos aproximadamente 1,3 mil lotes. No começo, demorou um pouco, mas, como tínhamos experiência com loteamento, por termos urbanizado o Cidade Nova, tudo ocorreu como planejamos”, destaca. Assunção explica ainda que as ruas do bairro permaneceram da mesma forma que eram antes. Foram acrescentadas apenas algumas avenidas de grande importância, como a Tancredo Neves, que dá continuação à Pedro II. “O que modificou muito foi o uso dos lotes. No início, eram construídas apenas casas, depois começaram a erguer os prédios e edifícios, e, posteriormente, os conjuntos de prédios começaram a tomar conta da região.”

Localizado na Região da Pampulha, o Castelo é apontado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas Administrativas e Contábeis da Universidade Federal de Minas Gerais (Fundação Ipead/UFMG) como um bairro de alto padrão. A classificação foi feita pelo fato de a renda média mensal dos domicílios ser igual ou maior a 8,5 salários mínimos e menor do que 14,5 salários mínimos. Por ser um bairro residencial, existem vários comércios no Castelo que abastecem os moradores da região, como padarias, farmácias, restaurantes, lojas, escolas e posto de gasolina. Os residentes que preferem utilizar o ônibus como transporte público contam com várias linhas para se deslocar do bairro para as principais regiões da cidade.


Bairro da Região da Pampulha tem imóveis de alto padrão e comércio diversificado, além do Parque Ursulina de Andrade Mello - Marcos Vieira/EM/D.A Press Bairro da Região da Pampulha tem imóveis de alto padrão e comércio diversificado, além do Parque Ursulina de Andrade Mello
O diretor da Prolar Netimóveis, Vinícius Araújo, afirma que o Castelo está bastante valorizado, por ser tranquilo e estar próximo de um dos principais cartões-postais de Belo Horizonte, a Lagoa da Pampulha. “Antigamente, quem vinha para o bairro eram aqueles que compravam seus primeiros imóveis. Normalmente, casais que estavam construindo uma família ou, até mesmo, solteiros que começaram a se virar sozinhos. Esse perfil de moradores era devido aos baixos custos. Hoje, temos condomínios de alto luxo e classe média. Quem está aqui não deseja sair de forma alguma”, explica o gestor da imobiliária, que tem sede no Castelo.

Ainda segundo Araújo, os preços por metro quadrado na região variam. Se for um padrão médio, com até duas vagas de garagem, varia entre R$ 6 mil e R$ 7 mil o metro quadrado (m²). Caso seja um estabelecimento mais luxuoso, o valor aumenta entre R$ 7,5 mil e R$ 8 mil o m². Já os lotes podem ser encontrados por R$ 5 mil o m².

TRANQUILIDADE

Como o bairro não tem muitas opções de atrações noturnas, é conhecido pela tranquilidade e segurança. No local, moradores contam com o sistema de prevenção contra a criminalidade criado pela 9ª Companhia Especial do 34º Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG). Para se divertir, os moradores precisam se deslocar para os bairros próximos. “Bem perto do Castelo tem a Avenida Fleming, conhecida por ser uma via gastronômica da região. Mesmo sendo no Bairro Ouro Preto, lá é o ponto de encontro para quem quer se divertir durante a noite”, destaca.
Marcos Vieira/EM/D.A Press
O bairro conta ainda com o Parque Municipal Ursulina de Andrade Mello. Implantado em 1996 e com 307 mil metros quadrados, ele é uma das maiores áreas de vegetação remanescentes de floresta tropical de Belo Horizonte. O bosque foi criado por meio do processo de divisão da Fazenda São José, propriedade de Alípio Ferreira de Mello e Ursulina de Andrade Mello, que determinou a criação de um parque no local.

» Curiosidade: Por que o nome Castelo, segundo Lúcio Souza Assunção, antigo diretor da Cinova

“O bairro foi urbanizado no período do regime militar no Brasil. Como os donos da Fazenda da Serra, que tinha muita influência na cidade – com atividades voltadas para a pecuária extensiva de gado leiteiro, a extração de madeira e a agricultura de subsistência – eram favoráveis à ditadura, colocaram o nome de Castelo Branco, ex-presidente militar. Porém, como não sabíamos se ia ser ou não positivo colocar esse nome, nós, da Cinova, preferimos deixar apenas Castelo. À época, consegui ainda com a Prefeitura de Belo Horizonte colocar as ruas do bairro com nomes de castelos. A maioria deles é portuguesa, já que o Brasil não conta com esse tipo de construção.”

Tags: bairro

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Letícia - 19 de Janeiro às 12:07
Sei que a matéria é de propaganda... mas dizer que "várias linhas de ônibus" alimentam o Castelo foi sacanagem!!

Últimas Notícias

ver todas
18 de outubro de 2018
15 de outubro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura