Bairros de BH

Alípio de Melo tem origem operária

Situado na Região da Pampulha, Alípio de Melo se destaca por um comércio aquecido, grandes avenidas, ruas arborizadas e tranquilidade interiorana nas vias secundárias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 11/01/2016 15:07 / atualizado em 07/03/2016 17:59 Gustavo Perucci /Estado de Minas

Av. Abílio Machado, principal via do Alípio de Melo - Beto Novaes/EM/D.A Press Av. Abílio Machado, principal via do Alípio de Melo
As ruas batizadas com nomes de profissões e pássaros dizem muito sobre o Bairro Alípio de Melo, na Região da Pampulha. Relativamente jovem, o início da ocupação da região se deu nos anos 1970 e ganhou força na década de 1990. Hoje, fora das avenidas com maior circulação de veículos e comércio, praças, vias arborizadas e muitas casas fazem prevalecer a tranquilidade nesta agradável vizinhança típica da classe média belo-horizontina.

Durante a construção da nova capital do estado, a área onde hoje estão bairros como Alípio de Melo, Castelo, Inconfidência e Serrano era completamente fora do ambiente urbano da cidade. Chamada à época de Ressaca, a região era ocupada por propriedades rurais que, com a expansão populacional e territorial de Belo Horizonte, foram dando espaço a loteamentos e ocupações ilegais.

Na área da Ressaca ficava a Fazenda São José, propriedade de Alípio Ferreira de Mello e Ursulina de Andrade Mello, dois nomes presentes até hoje na vida de BH. Um batiza o bairro que ocupa a área de sua antiga fazenda. Já Ursulina Andrade Mello é o nome de um parque ecológico com mais de 300 mil metros quadrado no vizinho Castelo. Os dois partiram de Perdões, no Centro-Oeste de Minas Gerais, e se instalaram na região em 1895. Dedicavam-se à criação de vacas leiteiras, extração de madeira, além da cultura de subsistência. Outras propriedades faziam limite com a Fazenda São José e, hoje, abrigam importantes vizinhanças das regionais Noroeste e Pampulha. A Fazenda dos Camargos deu lugar aos bairros Glória e Primavera; a fazenda de Francisco Menezes Filho, ao Castelo e Ouro Preto.

Vista parcial do bairro, ocupado a partir de construção de conjunto habitacional - Beto Novaes/EM/D.A Press Vista parcial do bairro, ocupado a partir de construção de conjunto habitacional
De origem operária, o marco da ocupação do bairro se deu com a construção do Conjunto Habitacional Alípio de Melo. A iniciativa do empreendimento foi de seis cooperativas de trabalhadores, em convênio firmado com o Banco Nacional da Habitação – antigo órgão público voltado para o financiamento de empreendimentos imobiliários –, em 1966, que comprou parte da área da Fazenda São José. Outros vizinhos do Alípio de Melo seguiram a mesma fórmula e, nas décadas seguintes, se formaram impulsionados pela implantação de outros conjuntos habitacionais ou o loteamento de outras partes da propriedade. As décadas de 1990 e 2000 foram fundamentais para o crescimento populacional e de infraestrutura do bairro.

Hoje, o Alípio de Melo conjuga o agito e intenso movimento de avenidas como a Abílio Machado e a dos Engenheiros, com a tranquilidade quase interiorana de suas ruas. O diverso comércio e rede de serviços se concentra nas vias maiores. São várias agências bancárias, padarias, açougues, hortifrútis, pequenos mercados, lojas de material de construção, oficinas mecânicas, pequenos shoppings, supermercados, pet shops, loterias, escolas públicas e privadas. Ou seja, tudo para atender seus habitantes. Boa oferta de linhas de ônibus e vias de acesso também facilitam a vida dos moradores.

Ao sair das avenidas com tráfego mais intenso, basta andar um quarteirão para mudar completamente a cara do bairro. As ruas são tranquilas, arborizadas e repletas de casas, preservando na vizinhança um clima de interior. Praças como a dos Compositores (mais conhecida como Praça do Coreto) e dos Agricultores são opções para a prática de exercícios, com suas academias a céu aberto, e passeio com a família ou animal de estimação.

Av. Joao XXIII é um dos principais acessos da região - Beto Novaes/EM/D.A Press Av. Joao XXIII é um dos principais acessos da região
“É um bairro tradicional, extremamente residencial. A característica mais importante do Alípio de Melo é a tranquilidade das ruas. Os vizinhos se conhecem, são prestativos. Como uma cidade do interior dentro de Belo Horizonte”, destaca Jacques de Oliveira Pedrosa, diretor da Spazio Imóveis, que há mais de 10 anos atua na região. Pedrosa afirma que outra vantagem do bairro é a localização, com acesso fácil a grandes avenidas como a Dom Pedro II, Presidente Tancredo Neves, Presidente Carlos Luz e Anel Rodoviário. “A pessoa só vai ao Centro se precisar de algum serviço específico, como cartório. No mais, ela encontra tudo por aqui”, completa.

ÁREA DE LAZER A região também abriga o Parque Ecológico Vencesli Firmino da Silva, com mais de 20 mil metros quadrados (m²). Além da área verde preservada, o espaço conta com pista de caminhada, campo de futebol de areia, quadras poliesportivas e de areia, pista de skate, playground e equipamentos de ginástica, além de mesas de dama e xadrez.

Pedrosa explica que os lotes no bairro não são muito grandes, variando entre 220m² e 260m², e boa parte das casas mais antigas já passaram por revitalização. Existem poucos prédios e os novos empreendimentos não são muitos. O valor dos imóveis varia de acordo com o estado de conservação, pois muitas das residências são da época da construção do conjunto habitacional e têm pouco mais de 40 anos.

Próximo dos limites entre Belo Horizonte e Contagem, o Alípio de Melo é vizinho, na Região da Pampulha, dos bairros Castelo, Serrano, Jardim São José e Manacás; na Noroeste, do Glória e Inconfidência. A vizinhança, inclusive, antes de fazer parte da Pampulha, pertencia à Região Noroeste. A Lei municipal 10.231/11, que alterou a área das regionais da cidade, foi o motivo da mudança.

 

LOCALIZAÇÃO
» Região Noroeste

ORIGEM DO BAIRRO
» Loteado no terreno da antiga Fazenda São José, o nome do bairro homenageia o ex-proprietário coronel Alípio Ferreira de Melo. De origem operária, um dos marcos do início da ocupação da região é a construção, em 1976, do Conjunto Habitacional Alípio de Melo, parceria de cooperativas de trabalhadores com o Banco Nacional da Habitação.

PRINCIPAIS VIAS
» Avenida Abílio Machado
» Avenida João XXIII
» Avenida João Paulo I
» Avenida Heráclito Mourão de Miranda
» Avenida dos Engenheiros
» Rua dos Geólogos
» Rua dos Médicos

PRINCIPAIS REFERÊNCIAS
» Parque Vencesli Firmino da Silva
» Praça dos Compositores
» Praça dos Agricultores
» Praça Paulo VI
» Paróquia Maria, Serva do Senhor

PRINCIPAIS LINHAS DE ÔNIBUS
» 1404A (Palmeiras/Alípio de Melo)
» 1404B (Estrela do Oriente/Jardim Inconfidência)
» 1404C (Palmeiras/São Salvador)
» 4403A (Zoológico – via Serrano)
» 4403C (Residencial Sarandi)
» 4403D (Urca/Confisco)
» 4410 (Celso Machado – via Saramenho/Urca)
» S54 (Dom Bosco/Shopping Del Rey)

Tags: ressaca castelo inconfidência serrano pampulha Alípio de Melo Bairros de BH Belo Horizonte Região da Pampulha

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
18 de outubro de 2018
15 de outubro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura