Projeto Boa Hora chega ao fim com saldo positivo para o setor imobilitário

Construtoras e incorporadoras que fizeram parte do programa contabilizam bons resultados nos dois meses de duração. Avaliação de empresários é que o evento movimentou o mercado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 07/05/2016 16:30 / atualizado em 07/05/2016 16:49 Gustavo Perucci /Estado de Minas
Um dos empreendimentos de destaque no portal foi o Via Gasparini, edifício residencial no Bairro Funcionários, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte - 22 graus/Divulgação Um dos empreendimentos de destaque no portal foi o Via Gasparini, edifício residencial no Bairro Funcionários, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte

O projeto Boa Hora, iniciativa inédita na capital, quando 19 das maiores incorporadoras do mercado imobiliário de Belo Horizonte se uniram, com o apoio do Sindicato da Construção Civil do Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), encerra sua atividade com saldo positivo e projeções de novas ações similares no futuro. A plataforma digital reuniu por dois meses ofertas de imóveis residenciais e comerciais em condições especiais de negociação.

O objetivo principal das construtoras era vencer a desconfiança dos consumidores diante da crise econômica e demonstrar que esse é o momento mais oportuno para investir. “Acho que o mercado precisa de mais ações como essa, ainda mais com o momento atual. Pelo fato de o resultado do Boa Hora ter sido positivo, temos expectativa de fazer outro no ano que vem. À medida que os anos passarem, vamos corrigindo eventuais falhas e aumentando e melhorando o projeto”, avalia Evandro Negrão de Lima Jr., vice-presidente do Sinduscon-MG e diretor da Sancruza Incorporações, empresa participante do projeto.

O portal Boa Hora ficou disponível ao público no período de 3 de março a 3 deste mês. Nele, as construtoras reuniram parte de seus estoques em um único ambiente virtual com preços e condições de negociação mais favoráveis ao consumidor. Foram 43 empreendimentos, totalizando cerca de R$ 500 milhões.

Fizeram parte do projeto as construtoras Canopus, Conartes Engenharia, Concreto Empreendimentos, Direcional Engenharia, EPO Engenharia, Katz, MASB Desenvolvimento Imobiliário, MRV, NeoCasa, Novolar, Patrimar Engenharia, PHV, Precon Engenharia, RKM Engenharia, Sancruza Incorporações, Somattos, Terrazzas, Tetum Engenharia e Valadares Gontijo.

Com mais de R$ 4 milhões em negócios gerados em empreendimentos disponibilizados na plataforma, Humberto Mattos, diretor comercial da Somattos, avalia a iniciativa como sucesso. “A impressão foi muito boa. O principal diferencial foi a união das empresas para fazer o projeto, algo inédito em Belo Horizonte. Trouxe credibilidade ao mercado. Mesmo sendo um evento passageiro, gerou grandes negócios. No primeiro mês, atingimos 70% da expectativa do volume de vendas. Foram geradas muitas procuras e contratos fechados”, ressalta Mattos. Um dos empreendimentos de destaque da construtora no portal foi o Via Gasparini, edifício residencial no Bairro Funcionários, na Região Centro-Sul.

Para o vice-presidente do Sinduscon-MG, Evandro Negrão de Lima Jr., o mercado é receptivo a ações como o Boa Hora, ainda mais num momento em que a economia está estagnada - Edésio Ferreira/EM/D.A.Press Para o vice-presidente do Sinduscon-MG, Evandro Negrão de Lima Jr., o mercado é receptivo a ações como o Boa Hora, ainda mais num momento em que a economia está estagnada


Para Mattos, a grande vantagem do projeto é que o interessado em adquirir um imóvel novo teve a oportunidade de, em um único local, avaliar as ofertas, entrar e negociar com todas as construtoras participantes. E, mais importante, conseguiu vencer o receio da população de investir no mercado imobiliário. “O evento se encerra agora e avalio que com grande sucesso. Gerou muita procura e movimentou o mercado. A impressão geral foi muito boa. Com certeza, novos eventos virão. Novas edições serão feitas, com certos ajustes que o comitê organizador observou”, conclui Mattos.

FAIXAS DE PREÇO O Boa Hora contemplou empreendimentos em quatro faixas de preço: até R$ 250 mil; de R$ 250 mil a R$ 500 mil; de R$ 500 mil a R$ 750 mil; e de R$ 750 mil a R$ 3,5 milhões. Durante a apresentação do projeto, o diretor-executivo da Concreto Empreendimentos, Miguel Safar Filho, enfatizou a variedade de produtos disponibilizados no portal. “O projeto contempla os três segmentos de mercado: imóveis econômicos, os de média renda e os acima desse valor. Como são inúmeras incorporadoras, conseguimos fazer uma cesta de produtos que contemplasse todas as categorias”, explica.

A gama de imóveis foi um dos grandes destaques do projeto. Oportunidades que iam do popular ao alto luxo, comerciais e residenciais, em regiões nobres e vetores em pleno crescimento, como o Norte e o Sul, injetaram ânimo em quem, diante da crise, estava receoso em investir. “Pela demanda e movimentação que o projeto gerou, estimulou a venda inclusive de outros empreendimentos da Sancruza. Movimentou bastante o mercado e aumentou a procura. Não tínhamos uma meta formal para o Boa Hora, mas os dois meses do projeto foram muito bons para nós”, enfatiza Negrão de Lima Jr. Um dos destaques da empresa foi o Unique Vespasiano, com apartamentos compactos na região metropolitana de BH.

O comitê do Boa Hora ainda não fechou o balanço total de negócios gerados no projeto. Mas dados da Direcional Engenharia exemplificam o estímulo que o portal trouxe ao mercado. No primeiro mês, os atendimentos dos três empreendimentos da construtora que participaram da plataforma (Reservas do Bosque, Portal Vistas do Horizonte e Gran Felicitá) triplicaram se comparados ao mês anterior, antes de a campanha ser lançada. As vendas também cresceram 32% no comparativo. “Temos uma expectativa futura de aumento na conversão das vendas, considerando que o processo de decisão de compra de um imóvel é longo. Vale ressaltar que neste momento oportuno para fechar bons negócios, o cliente consegue negociar não só o valor, mas também outras questões que podem ser mais vantajosas, como desconto na taxa de registro e ITBI”, afirma Guilherme Diamante, diretor comercial e de marketing da Direcional.

Tags: imobiliario setor positivo saldo projeto boa hora

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
20 de novembro de 2018
19 de novembro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura