Novo horizonte

Construção civil em Minas registra alta de 2,6 pontos no índice de confiança do mercado

Índice que mede a confiança do empresário da indústria da construção de Minas alcança melhor patamar desde janeiro de 2015. Resultado mostra recuperação gradual do setor

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 10/07/2016 09:07 / atualizado em 10/07/2016 09:16 Carolina Cotta /Estado de Minas
Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press
O Índice de Confiança do Empresário da Indústria da Construção de Minas Gerais (Iceicon-MG) registrou alta de 2,6 pontos em junho e chegou a 33,7 pontos, melhor patamar desde janeiro do ano passado. O resultado demonstra recuperação gradual do indicador, apesar de ainda estar abaixo dos 50 pontos. Em relação ao mês anterior, houve melhora em todos os indicadores do Iceicon-MG.

Segundo Érika Cristina Mendes Amaral, da assessoria econômica da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), o índice varia de zero a 100 pontos. Acima de 50 pontos indica otimismo e abaixo, pessimismo. Desde abril de 2014, o empresário da construção vinha mostrando falta de confiança, quando o indicador estava mais distante da linha divisória dos 50 pontos. No entanto, em junho deste ano o indicador chegou ao melhor resultado nesse período. “Apesar de ainda indicar falta de confiança, o índice está mais próximo de alcançar o patamar que o leve a mostrar confiança”, defende.

A economista explica que o índice é ponderado pelo indicador de condições atuais de negócio nos últimos seis meses, que alcançou 24 pontos em junho, mostrando crescimento de 5,9 pontos em relação ao indicador de maio, de 18,1 pontos, e pelo indicador de expectativas em relação aos próximos seis meses, que atingiu 38,6 pontos em junho.

“No curto prazo, não são esperadas grandes mudanças no indicador, uma vez que a situação política e econômica do país ainda não está definida. No médio prazo, são esperadas melhoras no indicador caso as propostas de mudança na economia do país mostrem resultados positivos. No entanto, não podemos esperar o retorno na confiança dos empresários da construção no médio prazo, devido à situação do país e à necessidade de contenção nos gastos, o que dificulta o retorno dos investimentos”, analisa Érika.

Para o economista Daniel Furletti, coordenador sindical do Sinduscon-MG, a perspectiva de mudança no cenário econômico do país está reduzindo o pessimismo do construtor mineiro. Entretanto, para que o otimismo retorne e os indicadores voltem a superar a linha divisória dos 50 pontos, são necessárias a retomada dos investimentos, a efetiva recuperação da demanda e também a redução das incertezas.

Arte/EM
O índice do nível de atividade da construção mineira também apresentou significativa alta em maio em comparação com abril, de 6,2 pontos, alcançando os 37 pontos. Esse é o melhor resultado desse indicador desde outubro de 2014. O índice que apura o nível de atividade em relação ao usual para os meses de maio registrou 23,2 pontos. Já o indicador de emprego fechou aquele mês em 35,8 pontos.

“Observa-se, de uma forma geral, que alguns indicadores sinalizam que o país está começando a reverter a tendência de queda da atividade, caminhando para a estabilização. As perspectivas para o crescimento da economia no próximo ano começam a ficar mais positivas e isso pode contribuir para uma melhora na confiança de empresários e consumidores”, acredita Furletti.

Tags: iceicon-mg fiemg mercado confiança índice minas Índice de Confiança do Empresário da Indústria da Construção de Minas Gerais construção civil

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
20 de setembro de 2018
17 de setembro de 2018