Mercado de móveis tem expansão em Minas Gerais

Crescimento é impulsionado pela expansão do mercado imobiliário e aumento do poder de compra das classes C e D. A previsão é que o setor moveleiro cresça 7% até o fim de 2011, no estado. 13ª Feira Mineira de Móveis e Decoração, tradição em BH, comprova esse crescimento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 09/09/2011 11:40 / atualizado em 09/09/2011 12:46 Joana Gontijo /Lugar Certo
Divulgação

O aumento do poder aquisitivo das classes C e D, com maior oferta de crédito e o sólido crescimento do setor da construção em Minas Gerais, tem refletido no aquecimento da indústria moveleira no estado, que deverá registrar crescimento de até 7% até o fim de 2011, de acordo com informações do vice-presidente executivo da Associação de Lojistas e Representantes de Minas Gerais (Alormov-MG), José Oscar Silva Pinto. Ele afirma que o mercado moveleiro por aqui faturou R$ 70 milhões somente em 2010. “Atualmente Minas Gerais é o terceiro maior mercado consumidor de móveis do Brasil e o 5º maior mercado produtor. Belo Horizonte fica em primeiro lugar no ranking de consumo do estado”, complementa.

Um dos dados que comprovam esse crescimento, é o faturamento de R$20 milhões registrado em 2010 pela tradicional Feira Mineira de Móveis e Decoração – Minas Móveis que é realizada na capital todos os anos, 18% a mais que na edição anterior, em 2009. De acordo com o diretor da MG Marketing e Êxito Marketing, empresas idealizadoras da feira, Uriel Pinheiro, foi realizado um investimento na ordem de R$ 400 mil e o evento promete movimentar aproximadamente R$ 22 milhões em vendas em sua 13ª edição (que vai até domingo no Minascentro), 10% a mais que em 2010.

De acordo com Uriel, setembro foi a data escolhida para a realização da feira, por ser um mês chave para a indústria moveleira. “As fábricas e lojas se preparam para o período conhecido como 'trimestre de ouro', que corresponde aos meses de outubro, novembro e dezembro”. Ele explica que com a chegada do fim do ano, as vendas aumentam e os lojistas chegam a faturar, em seis dias de feira, um valor correspondente a dois meses de trabalho.

Nos últimos anos, o perfil do comprador de móveis tem se modificado, contribuindo também com o crescimento do setor. “Em relação ao mercado moveleiro, no ano 2010 as classes C e D consumiram em torno de 5% a mais que no ano anterior. Já entre as classes A e B, houve um acréscimo de 2%”, destaca Uriel. “Esses consumidores têm comprado móveis com preços mais elevados. No último ano, o ticket médio de compras era de R$ 2 mil, em 2011 esse valor subiu para R$ 2,6 mil.

De acordo com o proprietário da loja Laurenzo Decor, Davidson Luiz dos Reis, a empresa registrou um faturamento 20% maior no primeiro semestre deste ano, em comparação a 2010. “No último ano, faturamos em média R$ 35 mil por mês. Nos primeiros seis meses de 2011, faturamos em torno de R$ 50 mil”. O comerciante, que participa pela primeira vez da Minas Móveis, afirma que a expectativa de faturamento durante o período de realização do evento é de R$ 170 mil. “Estamos nos baseando no ano promissor para o segmento e também no excelente resultado de uma pesquisa que realizamos com os expositores que participam da feira desde a primeira edição”, finaliza.

Com o crescimento do setor moveleiro e a aproximação do “trimestre de ouro”, período no qual são realizados 40 % dos eventos e feiras do setor, a expectativa é de que o mercado de trabalho desse segmento fique aquecido este ano. “A Feira Mineira de Móveis deve gerar em torno de mil empregos diretos e três mil empregos indiretos este ano”, avalia Uriel. Ele esclarece ainda que o evento reúne 60 expositores de todo o Brasil e espera receber aproximadamente 45 mil visitantes.

A Região Metropolitana de Belo Horizonte possui aproximadamente 1,5 mil lojas de móveis. No Estado, esse valor gira em torno 3 mil. Segundo a Alormov, o setor produtivo emprega atualmente em torno de 200 mil pessoas no estado. Em virtude da crescente demanda desse segmento, principalmente no segundo semestre, o mercado de trabalho deve ser ampliado em torno de 7% , ou seja, 21 mil novas oportunidades no setor moveleiro.

De acordo com o gerente financeiro da loja Oficium Móveis e Artesanatos, Vinícius Campos, devido ao aumento da demanda de consumidores este ano, a loja ampliou em 20% o seu quadro de colaboradores efetivos. “Para a 13º Feira Mineira de Móveis e Decoração, contratamos mais dois temporários”, acrescenta.

Minas Móveis

A Feira Mineira de Móveis e Decoração, a maior do estado, completa sua 13ª edição e está movimentando a capital. “As pessoas têm à disposição uma verdadeira vitrine de novidades do setor moveleiro e de decoração que são tendência no Brasil e no mundo”, detaca Uriel Pinheiro. Dentre os artigos de mobiliário expostos estão: dormitórios, sala de estar, sala de jantar, home office, móveis para banheiros, cozinha, móveis planejados e para área externa, colchões, adornos e decoração.

Uriel explica que a feira é uma excelente oportunidade para as pessoas conhecerem pela primeira vez as novas tendências e designers do mercado moveleiro, lançamentos das feiras internacionais como as de Milão, Turim e Vancouver. “Os visitantes contam com 60 lojas no mesmo local, além de preços e condições de pagamentos especiais”. Ele lembra que dentre as opções, o cliente pode parcelar em até 12x ou efetuar o pagamento da primeira parcela somente em janeiro de 2012.

A Tradição & Interiores, por exemplo, que está participando pela sétima vez da Minas Móveis, preparou uma coleção especial, inspirada na tendência italiana, com um toque de requinte e inovação. “Possuímos uma extensa linha de móveis que vão desde armários, estantes e sala de jantar, até sofás e aparadores”, afirma o proprietário da loja, Bruno Gomide. Ele destaca ainda que o carro chefe da empresa são as peças fabricadas em lâminas de madeira maciça, que podem ser feitas sob medida, de acordo com a necessidade do cliente e para todos os ambientes, inclusive para a área de serviço.

Um dos diferenciais com o qual os visitantes podem contar na Minas Móveis é com a consultoria de um decorador ou arquiteto presente em alguns dos estandes. O profissional orienta quanto aos móveis e adornos adequados para o espaço que será contemplado. “Este ano disponibilizamos duas decoradoras para oferecer um atendimento personalizado ao visitante, buscando atender a sua necessidade e interesse”, afirma Gomide.

O evento conta com o apoio da Associação de Lojistas e Representantes de Móveis de Minas Gerais (Alormov/MG), e reúne os principais lojistas de Belo Horizonte e do Estado, entre eles: Luciana Móveis, Barra Longa Móveis, Dulce Decorações, Laurenzo Decor, Ofícium, Só Lazer Móveis, Templum, Tradição & Interiores, Móveis Planejar, Pantheon, Rendas do Ceará, Sofá e Design, Toque de Artes e Glamour Interiores e Mobiliadora Universal.

Serviço: 13ª Feira Mineira de Móveis. Até 11 de setembro, no Minascentro, das 14h às 22h (terça, quinta e sexta) e das 10h às 22h (sábado, domingo e feriado). Valor do ingresso: R$ 5,00 (Crianças menores de 12 anos e idosos maiores de 60 não pagam). Os ingressos também podem ser adquiridos gratuitamente no site www.feiramineirademoveis.com.br.

Tags: crescimento

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Carlos - 10 de Setembro às 21:45
Por favor, EM! "sólido crescimento do setor de construção civil em MG"? E as duas matérias por vocês publicadas sobre a queda nas vendas de imóveis e nas vendas de materias de construção? São matérias completamente incompatíveis...o mercado imobiliário está em queda livre, dando enormes prejuízos...

Últimas Notícias

ver todas
08 de julho de 2019
02 de julho de 2019

No Lugar Certo você encontra o que procura