Na medida exata

Demanda por móveis planejados só aumenta e estimula profissionalização do setor

Diante da procura crescente por peças sob medida, estabelecimentos especializados se capacitam cada vez mais para atrair o público atento às novidades

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 28/02/2014 09:23 Paula Takahashi /Estado de Minas
Eduardo Almeida/RA Studio
Beneficiados diretamente pelos anos de ouro da construção civil, negócios voltados para o fornecimento de móveis planejados continuam em alta. Isso porque a maior parte dos empreendimentos lançados no auge da expansão imobiliária, entre 2010 e 2011, vem sendo entregue desde meados do ano passado e está pronta para ganhar a cara do futuro morador. A personalização está entre as grandes vantagens dos armários sob medida e tem sido o principal mote para atrair um público cada vez mais exigente.

Diante de um mercado promissor, o número de estabelecimentos voltados para atender essa demanda multiplicou-se. Em funcionamento desde 1975, o Comércio de Modulados Kerley viu a concorrência ficar acirrada nos últimos anos. “Atualmente, há muita disputa nesse mercado e temos que lidar diretamente com negócios informais, que têm custos reduzidos e conseguem jogar os preços para baixo”, avalia Kerley Alves, proprietário e segunda geração de administradores da empresa.


Por isso, vale o alerta: para sobreviver nesse ramo, não há espaço para amadorismo. “O mercado está se profissionalizando cada vez mais. Várias grandes fábricas estão abrindo lojas próprias, franquias e concessionárias em todo o Brasil”, afirma Patrícia Hauck, sócia-proprietária da Predilecta. “Além disso, as marcenarias estão se preparando para atuar nesse campo mais competitivo e qualificado, comprando equipamentos, capacitando equipes e investindo em marcas e marketing para se aproximar cada vez mais do comprador dos imóveis no mercado imobiliário. Esse é o cenário em que atuamos”, acrescenta.

Aberta desde novembro do ano passado, a Predilecta foi fruto de muito planejamento. “Depois de quase um ano de análise, desenvolvimento de plano de negócio e principalmente namoro com a CelMar, fábrica que está a mais de 60 anos no mercado e é uma das primeiras a entrar no negócio de mobiliário sob medida, decidimos pelo início das atividades”, afirma Patrícia. Com investimento inicial de R$ 1 milhão, a empresa já trabalha com plano de expansão para os próximos cinco anos. “Nosso planejamento contempla a abertura de mais nove lojas da Predilecta e duas da CelMar no mercado mineiro, nos próximos cinco anos”, antecipa Patrícia.
"Nosso planejamento contempla a abertura de mais nove lojas da Predilecta e duas da CelMar no mercado mineiro, nos próximos cinco anos" - Patrícia Hauck, sócia na Predilecta
Mapear todas as etapas do desenvolvimento do negócio é visto pela empresária como uma das melhores alternativas para minimizar os riscos e buscar novas oportunidades. “Agora, o que vai diferenciar uma marca de outra, um fabricante de outro, um vendedor de um simples atendente e até mesmo a execução de um trabalho de produção e montagem é o nível de serviço e a atenção dada ao consumidor, que está cada vez mais esclarecido, exigente e conhecedor de seus direitos”, reconhece.

TERCEIRIZAR OU NÃO?

Antes de entrar de cabeça no ramo, é importante ter em conta se a produção será própria ou terceirizada, como é o caso da Predilecta, que conta com o fornecimento da CelMar. “Se o empreendedor pensa em montar a fábrica, terá custos com maquinário, que podem chegar a R$ 200 mil, se considerarmos a aquisição de equipamentos de corte, filetamento de borda e furadeira para furos sequenciais. Isso é o mínimo necessário”, orienta Kerley. Se o negócio for muito pequeno, é possível começar com maquinário básico, que não deve exigir investimentos superiores a R$ 50 mil.

Mas é preciso colocar na ponta do lápis os prós e contras de investir na cadeia como um todo, começando desde a fabricação até a montagem. “O material humano está muito escasso. A mão de obra, portanto, é uma das principais dificuldades de montar uma linha de produção atualmente”, alerta Kerley. Sem pessoal qualificado, corre-se o risco de comprometer os prazos de entrega e a qualidade do produto. Sem contar o investimento mais elevado, inclusive, com a necessidade de aluguel ou aquisição de galpão. Por outro lado, ganha-se na personalização do produto e, consequentemente, da marca.

“Se a intenção for terceirizar, é preciso verificar o registro da empresa nos órgãos competentes e sua idoneidade. No entorno de Belo Horizonte, o que não faltam hoje são opções de fornecedores”, afirma Kerley. Há oito anos no mercado, a Cort Plac é uma dessas empresas e se especializou na oferta de placas de MDF cortadas para as lojas. “Vimos que havia uma demanda. Quem estava no mercado, em geral, fornecia as placas de MDF inteiras e os marceneiros tinham todo o trabalho de cortar, o que demanda maquinário próprio”, explica Josimar Ferraz Silveira, sócio-proprietário da Cort Plac.

Com cinco máquinas dedicadas a corte e acabamento, a empresa fez aporte de R$ 1 milhão para atender as exigências de cada um dos 40 a 50 clientes fiéis. “Já ampliamos o galpão duas vezes e renovamos as máquinas. Nosso último investimento foi em um software, que é instalado na loja do cliente e permite que seja realizado todo o projeto, orçamento do material e entrada do pedido”, afirma Josimar. Mais um exemplo de como esse ramo está empenhado na profissionalização e agilidade na execução dos serviços.

De cozinhas a dormitórios
De olho nas construtoras como clientes potenciais, empresas de móveis sob medida ampliam e consolidam sua participação nesse nicho de mercado

O diretor comercial Gustavo de Almeida conta que a Linea D'Oro antecipou em dois anos investimentos para atender clientes corporativos - Euler Júnior/EM/D.A Press O diretor comercial Gustavo de Almeida conta que a Linea D'Oro antecipou em dois anos investimentos para atender clientes corporativos
Nem só de clientes pessoa física vive o ramo de móveis planejados. As construtoras revelam ser importantes fontes de negócios, principalmente por conta do volume e da regularidade da demanda. De olho nessa extensa fatia de mercado, a mineira Linea D’Oro – com mais de 50 anos de atuação na capital mineira e com unidades em Juiz de Fora e Brasília – realizou uma série de investimentos para atender à crescente demanda desse público.

Eduardo Almeida/RA Studio
“Antes, tínhamos apenas as linhas de cozinha, área de serviço e banheiros. Com a expansão do setor imobiliário, fomos incentivados a estender para dormitórios”, conta Gustavo de Almeida, diretor comercial da empresa. A ideia já existia, mas foi necessário antecipar em cerca de dois anos os investimentos na nova linha de produtos, para fazer frente à forte exigência dos clientes corporativos. “Realizamos a ampliação da fábrica, que hoje é capaz de produzir seis vezes mais que anteriormente e soma 7 mil metros quadrados de área”, afirma o executivo.

PARCERIA

Não é por acaso que, atualmente, as construtoras representam de 45% a 50% dos negócios da Linea D’Oro. Para se beneficiar de uma parcela desse mercado, muitas vezes é preciso contar com um empurrãozinho de quem já detém ampla experiência. “Fazemos um trabalho de captação de empresas e ajustamos os materiais e produtos ao perfil de cada uma das obras. Empresas que estão construindo prédios de padrão superior exigem qualidade melhor”, reconhece Gustavo.

Em algumas situações, a empresa mineira entra como aglutinadora de marcas. “Por meio dessas parcerias, damos evidência a negócios até então desconhecidos do público em geral”, afirma Gustavo. Com a união de esforços, a Linea D’Oro consegue musculatura para atender uma grande variedade de clientes e ainda ganha em diversidade, já que é capaz de atuar em gamas distintas de empreendimentos imobiliários. Dessa forma, amplia e consolida sua participação no mercado.

Aposta no profissionalismo

Conquistar a confiança do cliente está entre os principais desafios do ramo. Não são raros os casos de empresas amadoras e sem infraestrutura que deram o calote e sumiram. Ou histórias de produtos que não foram entregues e prazos que não foram cumpridos. Reclamações como essas pipocam na internet. Por isso, para fidelizar o cliente, cada vez mais precavido, é preciso apostar pesado em profissionalismo, seriedade e, acima de tudo, execução do serviço assim como previsto em contrato.

Rosália Campos Pires, sócia-proprietária da Art Plan, localizada no Minas Shopping, sabe muito bem a importância de atender às expectativas do cliente. “Trabalhamos muito com indicação e, até por isso, nossos riscos são menores”, reconhece. Segundo pesquisa realizada na loja, 80% dos clientes já voltaram para fazer outros projetos. “Em torno de 15% deles já retornaram mais de duas vezes. Por conta desses resultados, sabemos que estamos apresentando um produto de confiança”, afirma. Chegar a números como os da Art Plan exige escolha certeira dos fornecedores. “Tem muita gente no mercado e a nossa seleção foi baseada no atendimento.”

PROCESSO

Maria Cristina Goulart, proprietária da Euroline, localizada no Ponteio Lar Shopping, também elege a escolhe da marca como fundamental para a credibilidade e excelência do negócio. “Eu e meus sócios já tivemos uma marcenaria, mas, num determinado momento, acreditamos que seria mais produtivo trabalhar com materiais ligados a uma marca. Vinculamo-nos então a uma indústria com experiência e acreditamos que essa escolha foi mais produtiva”, avalia.
Para Maria Cristina Goulart, da Euroline, fazer o dimensionamento correto dos prazos solicitados é fundamental - Euler Júnior/EM/D.A Press Para Maria Cristina Goulart, da Euroline, fazer o dimensionamento correto dos prazos solicitados é fundamental
Com amplo conhecimento do mercado, eles já sabiam as empresas que inspiravam maior segurança e as regras do jogo. “A indústria trabalha com prazo de 30 dias, mas jogamos uma margem de segurança e pedimos em torno de 60. Os clientes já sabem que o processo é longo e fazer esse dimensionamento correto dos prazos solicitados é fundamental”, alerta.

Serviço:

Comércio de Modulados Kerley
(31) 3464-2070

Predilecta
(31) 3515-0309

Cort Plac
(31) 3454-5992/3455-8793

Linea D'Oro
(31) 3228-8666/ 3286-4600
www.lineadoro.com.br

Art Plan
(31) 3426-1054
www.artplanbh.com.br

Euroline
(31) 3286-6241
www.euroline.com.br

Tags: decoração

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
22 de setembro de 2018
18 de setembro de 2018