Nada como repaginar...

Ideia de reformar armário vai além do sustentável e premia valor sentimental

Reformar armários antigos é alternativa viável e descolada para preservar peças de alta durabilidade, sem precisar se desfazer do mobiliário que, muitas vezes, tem memória afetiva

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 17/08/2016 14:00 Lilian Monteiro /Estado de Minas

No projeto de Ivana Seabra, porta do meio do antigo armário foi cortada horizontalmente em três partes... - Henrique Queiroga/Divulgação No projeto de Ivana Seabra, porta do meio do antigo armário foi cortada horizontalmente em três partes...
Não é só questão de orçamento apertado ou economia, a ideia de reformar armário, além da questão sustentável, premia um valor sentimental. Ao decidir por repaginá-lo, você vai manter uma peça de família, valorizará uma história e a revitalização dará um ar de modernidade que trará outra vida à peça, aproveitando o que ela têm de melhor. Além disso, ficará mais barato do que um novo e planejado.

Ivana Seabra, arquiteta do escritório Ivana Seabra Arquitetura, Decoração e Design de Interiores, sugere a reforma de um armário quando a peça tem boa estrutura e é possível propor revitalização e nova roupagem com custo reduzido. “Antes de propor a reforma, devemos verificar se a madeira está isenta de cupins e/ou se o MDF está em boas condições e sem empenas. Para repaginar um armário, devemos garantir o diálogo com o ambiente onde ele está inserido e analisar o investimento disponível para a reforma. Para essas mudanças, podemos propor adesivos aplicados, pintura, como laca, aplicação de espelhos ou vidros pintados sobre as portas existentes.”

Ivana propõe também manter a estrutura e divisões internas e trocar antigas portas de abrir por portas de correr, que ocupam menos espaço para dentro do cômodo. “A solução mais indicada varia de cliente para cliente, conforme nova linguagem visual a ser adotada e investimento previsto.”

A arquiteta lembra que, como toda reforma, é preciso cuidado. “Em primeiro lugar, garantir que a estrutura existente esteja em bom estado de conservação. Depois, que a nova proposta esteja em harmonia com o ambiente inserido. Quando for com o intuito de ampliar o espaço, o espelho é uma ótima alternativa, já que proporciona reflexão e sensação de aumento do ambiente. Não existe material vetado para a reforma de um armário, devemos essencialmente garantir a harmonia e a funcionalidade. Outro fator importante para a nova composição externa é a definição dos modelos dos puxadores. Temos puxadores em couro, cava, perfis em alumínio, entre outros. Os puxadores são importantíssimos para a configuração do novo estilo adotado”, avisa.

...e, na parte central, criado o nicho para o oratório - Henrique Queiroga/Divulgação ...e, na parte central, criado o nicho para o oratório
Em termos de material, a arquiteta afirma que a madeira natural sempre será material sofisticado, usual e atemporal. Mas Ivana lembra que, cada vez mais, pela praticidade e custo, o MDF vem sendo amplamente utilizado, desde o amadeirado até o laqueado. Quanto ao custo da reforma de um armário, se vale ou não a pena, ela diz que geralmente, sim, mas dependendo da complexidade da intervenção proposta, a substituição completa pode ter um custo bem similar à reforma. “Cada caso é um caso, devendo ser analisado individualmente.”

Ivana Seabra conta que, em um de seus projetos, a demanda foi repaginar externamente a rouparia e agregar um oratório ao armário. “Originalmente, a rouparia tinha três portas inteiras de abrir, em madeira amarelada, com puxadores de bolinha também em madeira. A ideia do projeto foi revestir as portas com espelho prata, visando trazer amplitude para a circulação de acesso aos quartos. Em todas as portas inserimos fechamento com fecho toque, eliminando puxadores aparentes, proporcionando, assim, a sensação de painel espelhado. A porta do meio foi cortada horizontalmente em três partes, sendo que a parte do meio foi retirada. Nesse novo vão inserimos uma caixa em MDF laqueado e criamos o nicho para o oratório. E propusemos iluminação específica para destacar as imagens religiosas.”

FAMÍLIA
Jacqueline Ortega, designer de interiores do escritório Jacqueline Ortega Design de Ambientes, reforça que o peso maior na decisão pela reforma de um armário é emocional. “Fiz um projeto com um armário que estava na família há 20 anos. Não havia sentido descartá-lo. Decidimos laqueá-lo para dar aspecto mais leve e leitura atual. Colocamos vidro na prateleira e iluminação de LED para valorizar os adornos ou o que for exposto. Também alteramos a altura do módulo superior para um equilíbrio melhor.” O destaque desse projeto, enfatiza a designer, foi colocar uma pedra bacana, porque o móvel servirá de bar. “Escolheram a ônix, pedra de luxo, e ficou totalmente diferente.”

Nesse projeto de Jacqueline Ortega... - Hemerson Gomes/Divulgação Nesse projeto de Jacqueline Ortega...

...foi decidido laquear o armário de 20 anos, para dar um ar mais leve e leitura atual - Hemerson Gomes/Divulgação ...foi decidido laquear o armário de 20 anos, para dar um ar mais leve e leitura atual
Para Jacqueline, na hora da reforma, é importante atentar para que tudo no projeto converse e tenha uma ligação, para não gritar, já que reforma é para incluir. “O desejo é a inclusão do móvel, logo, precisa seguir uma linha. Se o quarto é infantil, que seja um tema lúdico, se a área é do bar, por que não usar a chita ou pedras como granito, mármore ou quartzo ou, se for o corredor, geralmente armário/roupeiro, é legal colocar um nicho, mexer na modulação para exibir as memórias da família, colocar um espelho com fecho, tirando o puxador e criando a sensação de camuflagem do armário.”

A designer enfatiza que cada um decide quanto vai investir. “Há saídas alternativas, como pintar ou trocar os puxadores ou ainda colocar portas deslizantes, recurso para manter espaço. A ideia é atualizar e sempre verificar se a parte interna está em boas condições. Os armários antigos têm presença e personalidade e a própria madeira (como é a maioria), já tem um peso. É importante valorizá-lo, mas dar uma nova roupagem ao móvel para o cliente reaproveitá-lo. Num mundo onde as coisas estão tão descartáveis, o eterno tem seu valor.”

Arrisque-se e mude a cara do móvel velho com...

» Tinta
» Tecido autocolante
» Colagem de papel
» Revestimento de chita
» Adesivo acrílico
» Troca de puxadores
» Nova iluminação

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600

Últimas Notícias

ver todas
09 de novembro de 2018
24 de outubro de 2018

No Lugar Certo você encontra o que procura